Notícias

O que deve dizer do seu atual emprego...numa entrevista para o próximo

O que deve dizer do seu atual emprego...numa entrevista para o próximo

É a questão obrigatória em qualquer entrevista de recrutamento. Seja qual for o fio condutor que o recrutador escolha durante a entrevista, ele vai acabar por lhe pedir que descreva o seu anterior (ou atual) emprego. E a descrição que fizer, diz mais sobre si do que pode pensar.

13.05.2016 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



Se está a preparar-se para enfrentar, numa entrevista de emprego, um painel de recrutadores, há uma questão que deve treinar, até porque ela está sempre presente em qualquer processo de recrutamento. Antes ou depois de lhe pedir que resuma o seu percurso profissional, o recrutador vai certamente colocar-lhe a pergunta de ouro: como descreve o seu último emprego? O objetivo desta descrição não é apenas conhecer o seu grau de experiência. É, sobretudo, conhecer melhor a sua personalidade, atitude perante a vida, o trabalho, as empresas e as equipas onde se integra. E isso pode ser determinante para a sua contratação.

Conquistar um novo emprego depende das suas qualificações formais, mas também das suas competências humanas e de relacionamento interpessoal e essa são visíveis na forma como analisa o seu percurso de carreira, os seus fracassos, o seu papel nas empresas e equipas por onde tem passado e a forma como a sua atuação as impactou. Por isso é que a questão “como descreve o seu anterior emprego?” é para coach e especialista em recrutamento Peggy McKee, tão relevante.?Segundo a especialista, a questão pode não ser colocada exatamente desta forma, mas os seus objetivos são sempre “compreender a atitude do candidato perante a carreira, a empresa e os outros” e, acrescenta, Peggy McKee, analisar o grau de autoconhecimento e autoconfiança do candidato, no que respeita às suas competências e mais-valias enquanto profissional.

No decorrer de uma entrevista podem, por exemplo, perguntar-lhe quais eram as suas responsabilidades na última função que exerceu, ou na que atualmente desempenha (se ainda estiver em funções). “Nestes caso, é importante que o candidato se foque nas responsabilidades que podem ser comuns à nova função a que se candidata. Desta forma, estará a aproveitar a perguntar para reforçar as competências que detém para a função”, explica acrescentando que “é fundamental que o candidato seja estratégico nas respostas, adaptando-as ao que pode ser relevante e decisivo para o recrutador”. Em regra, a melhor opção é que o candidato se foque em três ou quatro competências-chave e as destaque, procurando enfatizar elos de ligação entre a sua experiência anterior e a função a que se candidata.

Desafios e dificuldades
O recrutador também poderá querer saber quais foram os principais desafios que encontrou na carreira e como os geriu. “O desafio aqui é responder à questão assegurando-se que fala do seu passado e responde ao pretendido, mas elenca desafios passado que podem replicar-se na nova função, demonstrando que está à altura de os superar”, explica a especialista. Não se iniba de falar de problemas que enfrentou, de dificuldades e até de fracasso, mas lembre-se que é determinante explicar como venceu as dificuldades e conseguiu progredir com bons resultados, para si e para a empresa. Quantifique, sempre que possível os resultados (em números, valores ou percentagens), mas nunca comprometa a confidencialidade com o seu anterior empregador.

Se lhe pedirem que elenque o que menos gostou no seu emprego anterior, deve também responder de forma clara e honesta. “Ser diplomático é muito importante para responder a esta pergunta”, explica Peggy McKee. Não deve responder de forma negativa, dizer mal do antigo empregador ou de elementos da sua equipa. Opte por falar da situação que mais o desagradou, assumindo a sua parte da culpa em eventuais falhas de gestão que possam estar associadas. “Ser estratégico nas respostas e saber aproveitá-las para demonstrar que é o melhor candidato para a função é fundamental”, garante a especialista.



OUTRAS NOTÍCIAS
Empresas reforçam a formação de temporários

Empresas reforçam a formação de temporários


A formação está a tornar-se uma clara necessidade para as empresas, seja como caminho para uma maior eficácia, seja como trampolim para a inovação em termos d...

OGMA está a formar novos técnicos de manutenção

OGMA está a formar novos técnicos de manutenção


“Conhecer os fundamentos da manutenção aeronáutica aliados a um conhecimento geral abrangente são as bases que acreditamos serem fundamentais para o sucesso de qualqu...

Startup SCAN: à procura da inovação

Startup SCAN: à procura da inovação


Durante um ano, o Grupo Auchan estará, em parceria com a Nova School of Business & Economics (Nova SBE), a selecionar ideias e projetos inovadores, capazes de revolucionar o sector do retal...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


Área Jurídica

Assembleia da República

Business Development Assistant

ARC International Design Consultants