Notícias

IKEA quer reunir 200 novos líderes até 2015

A IKEA está à procura daqueles que serão os seus líderes no futuro e para isso criou o programa BackPackers. A missão é detetar os 200 melhores talentos no universo da empresa sueca de mobiliário até 2015. Em cinco anos a empresa quer ter mil novos líderes e uma política de sucessões prática e eficaz.
14.07.2011 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



Dura um ano vivem e trabalham em dois países diferentes, com a missão de aprenderem o máximo que puderem sobre a cultura, economia, hábitos e perfil dos clientes dos países onde passam. Esta foi a maneira que a gigante sueca de mobiliário IKEA encontrou para detetar entre os 127 mil trabalhadores que constituem a sua equipa no mundo inteiro, os jovens líderes de amanhã. Catarina Tendeiro, diretora de recursos humano da IKEA Portugal falou ao Expresso sobre o projeto BackPacker Journey, que está a provocar uma gigantesca adesão entre os colaboradores da empresa. Tem apenas um ano de existência, mas para Catarina Tendeiro o BackPacker Journey é já uma aposta ganha. “No arranque do programa, no ano passado, tivemos logo 400 candidaturas, tendo sido selecionados 44 colaboradores e nesta segunda vaga recebemos já 500 candidaturas a nível global”, explica a diretora de recursos humanos. O BackPacker Journey é um programa de formação intensivo, pensado para detetar o talento que existe entre os 127 mil trabalhadores da IKEA no mundo inteiro. Durante um ano o colaborador terá de se adaptar a dois países totalmente diferentes, passando seis meses em cada um, e cumprindo com sucesso os desafios que lhe são lançados. “Normalmente um colaborador demora três ou quatro meses para se adaptar à função que vai desempenhar. Aqui tem seis meses para a cumprir com sucesso. É um desafio”, explica Catarina Tendeiro. Segundo a líder dos recursos humanos da empresa, “a primeira colocação que os colaboradores têm é, normalmente, no mesmo segmento que a área de trabalho que desempenham no seu país de origem. A segunda já decorre noutra área totalmente distinta”. Uma estratégia que possibilita aos colaboradores entrar em contacto com diferentes realidades da empresa e, consequentemente, conhecerem o universo IKEA de forma global preparando-se para liderar em qualquer departamento ou país.”Isto faz com que os colaboradores do self-service possam aprender a relacionar-se com os clientes na loja, enquanto os colaboradores das vendas se familiarizam com a logística”, explica Catarina Tendeiro adiantando que “durante este processo, trabalham para alcançar os objetivos que estabeleceram com os responsáveis”. Melhorar a competência e a diversidade entre colaboradores, bem como o desenvolvimento das suas capacidades de liderança, são algumas das metas a atingir por este programa que visa ainda facilitar a aprendizagem dos colaboradores sobre o negócio IKEA a nível mundial. Numa instância superior, refere Catarina Tendeiro, “contamos, com a implementação deste programa, conseguir criar um banco mundial de sucessores de suporte digital”. Em cinco anos a empresa quer ter mil novos líderes que tenham trabalhado em diferentes países e áreas IKEA. No futuro, a ambição da empresa é que cada responsável tenha um sucessor que esteja pronto a assumir a liderança no prazo de 12 meses e todas as unidades da empresa tenham planos definidos para gerir as sucessões. Na equipa portuguesa dois dos elementos já andam pelo mundo e terceiro inicia a sua viagem em outubro, rumo a Barcelona. Tiago Costa está na IKEA Khimki, na Rússia, e Vânia Andrade trocou Portugal pela China. Para a jovem o maior desafio desta experiência está a ser “a adaptação da nossa forma de trabalhar o negócio à realidade cultural do mercado chinês”. Em contrapartida as três lojas IKEA em território nacional já receberam três backpackers internacionais, oriundos dos Estados Unidos, Bélgica e Suécia. “Em termos de perfil os nossos backpackers têm idades em redor dos 26 anos, 50% são mulheres, 50% têm background em Gestão, 30% vêm de outras áreas que não o retalho, 50% tem grau académico e 45% já viajaram ou trabalharam no estrangeiro anteriormente”, explica Catarina Tendeiro. Tal como para outras funções, os candidatos são selecionados localmente, passando por várias fases que incluem entrevistas e assessments online. “O conceito de Backpacker é uma das várias iniciativas desenvolvidas para criar melhores líderes e utilizar melhor os talentos que já temos”, adianta. Em Portugal trabalham cerca de 2600 colaboradores no universo IKEA.


OUTRAS NOTÍCIAS
Oferta de emprego cresce na saúde

Oferta de emprego cresce na saúde


Dizer que a área está imune à crise poderá pecar por ser uma visão irrealista, mas os dados revelam que desde janeiro de 2011, o número de ofertas para as várias profissões ligadas ao setor da saúde e...

Liderança e gestão para farmacêuticos

Liderança e gestão para farmacêuticos


As farmácias portuguesas e o seus profissionais vão ter formação em liderança e gestão de equipas. A iniciativa é da empresa de formação comercial Ideias & Desafios, que tem vindo a realizar um conjun...


"vamos recrutar 1400 engenheiros a nível global"


Cremilda Romão é o rosto da Direção de Recursos Humanos da TÜV Rheinland Portugal. Aos 47 anos a líder tem uma sólida carreira há muito consolidada no setor financeiro e da gestão. Os recursos humanos...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


CONTABILISTA CERTIFICADO

Spring Professional Portugal

CONTABILISTA CERTIFICADO

Spring Professional Portugal