Notícias

Família: o fator decisivo na escolha do emprego

Família: o fator decisivo na escolha do emprego

Já ouviu falar de Work-life Design? É o desafio do momento na gestão de recursos humanos, num contexto de carreira onde as novas gerações de profissionais privilegiam cada vez mais empresas amigas da conciliação entre o trabalho e a família.

20.02.2016 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



As expectativas dos trabalhadores portugueses em relação à carreira estão a mudar. O salário já não figura no topo das prioridades na altura de decidir o seu futuro profissional ou escolher a empresa a que se candidata. Afonso Carvalho, diretor-geral da Kelly Services, cita as últimas conclusões do estudo Kelly Global Workforce Index, para clarificar a emergência de uma nova linha de prioridades entre os trabalhadores: “há uma maior exigência de ambientes de trabalho flexíveis e empregadores que promovam um maior equilíbrio entre a vida profissional e pessoal”, realça acrescentando que esta conciliação entre o trabalho e a vida familiar “é um fator cada vez mais determinante na escolha do emprego”.

O último Kelly Global Workforce Index, realizado pela Kelly Services junto de um universo de 7500 trabalhadores portugueses, realça que uma percentagem de 75% dos trabalhadores portugueses considera o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional é um dos principais fatores a pesar entre a a decisão de aceitar um emprego em detrimento de outro. “Este valor representa um aumento acentuado quando comparado com os 40% de profissionais que pensavam desta forma em 2012”, explica Afonso Carvalho. Na verdade, o estudo enfatiza que 34% dos profissionais lusos estariam dispostos a sacrificar o salário em troca de horários de trabalho mais flexíveis e 27% afirmam mesmo que seriam felizes se tivessem oportunidade de trabalhar a partir de casa.

“Atualmente, a possibilidade dos profissionais desenharem o seu próprio work life balance já não é considerada como uma opção, mas sim como uma norma básica pela qual as organizações são avaliadas”, explica o líder da Kelly Services. É neste contexto que se enquadra o conceito de “Work-Life Design”, cada vez mais em voga nas organizações mundiais e uma das principais estratégias de retenção de talento nas empresas. Além da flexibilidade de horários e da possibilidade de trabalhar a partir de casa, Afonso Carvalho destaca outras opções que pesam cada vez mais na decisão de carreira dos profissionais. Por exemplo, 40% dos profissionais inquiridos declararam apoiar a criação de políticas organizacionais que restrinjam o trabalho ou acesso ao email fora das foras de trabalho, fazendo com que o trabalho não ocupe o lugar do tempo pessoal. Afonso Carvalho destaca também o peso crescente dos trabalhadores (agora 42%) que afirmam que “programas de bem-estar organizados pela entidade empregadora, como centros de fitness no local de trabalho ou atividades que reduzam o stress, como yoga ou meditação, têm um impacto positivo no equilíbrio entre a vida pessoal e a profissional”.

Segundo o estudo, 45% dos profissionais portugueses valorizam também a oportunidade de procurar projetos inovadores durante as horas de trabalho, incluindo o trabalho de voluntariado. ?A mentalidade Work-Life Design está a popularizar-se em quase todos os grupos profissionais, mas é a geração millennial (nascida a partir da década de 80) aquela que mais valoriza este modelo de gestão de talento. “Hoje as pessoas esperam mais do que alguma vez esperaram dos seus empregos e ambientes de trabalho. Os profissionais altamente talentosos podem escolher onde e como trabalham”, relembra Afonso Carvalho.



OUTRAS NOTÍCIAS
ANJE forma digital marketeers

ANJE forma digital marketeers


O curso resulta de uma parceria entre a Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE) e a Universidade do Minho (UMinho), através da Escola de Economia e Gestão e...

OutSystems cria 30 empregos no interior

OutSystems cria 30 empregos no interior


Uma semana depois da empresa norte-americana de capital de risco North Bridge ter concluído o financiamento de cerca de €50 milhões (55 milhões de dólares) na portugue...

MSC Cruzeiros voltam a contratar em Portugal

MSC Cruzeiros voltam a contratar em Portugal


São mais de 70 vagas as que a MSC Cruzeiros tem atualmente disponíveis. A empresa tem a decorrer um processo de contratação que visa não só reforçar as...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


ACCOUNTANT BANKING SECTOR-PSA BANK

Spring Professional Portugal

ARCHITECT / PROJECT MANAGER

Michael Page Portugal

ASSISTANT ACCOUNTING CONTROLLER

Spring Professional Portugal