Notícias

Os novos gestores da saúde

Os novos gestores da saúde

Nos últimos anos, as escolas portuguesas têm vindo a seduzir cada vez mais alunos, portugueses e estrangeiros, para as suas formações executivas. Os MBAs, e outros cursos de formação executiva, continuam a somar popularidade e o seu plano curricular está cada vez mais adaptado às necessidades de grupos profissionais específicos. O sector da Saúde não escapa à tendência.

22.04.2016 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



São muitas as razões que levam um profissional a investir na realização de um MBA ou uma formação executiva, mas em todas elas há um factor comum: alcançar um maior conhecimento no domínio da gestão que lhe permita liderar equipas, empresas ou projetos e, com isso, alavancar a sua carreira. Mas há muito que os planos curriculares dos MBA já não trabalham apenas as ferramentas e metodologias de gestão de forma genérica. Cada vez mais, estes cursos de formação executiva abordam a gestão na perspetiva específica dos vários nichos profissionais. Até porque, ter sucesso na gestão de uma startup ou de um negócio sustentado na criatividade e na inovação, é substancialmente diferente do que gerir uma organização na área da saúde.

E esta área específica está entre as que mais tem merecido a atenção das escolas na altura de estruturar os planos curriculares da sua oferta formativa. Nos últimos anos, têm surgido nas instituições de ensino nacionais cursos de formação executiva e MBA especificamente vocacionados para treinas gestores na área da saúde ou conferir competências de gestão a profissionais cuja formação base é no campo clínico. A lógica é a mesma que inspira oferta formativa semelhante noutras áreas: diversificar competências para ampliar oportunidades de carreira. Só a Universidade Autónoma de Lisboa, por exemplo, possui três MBAs direcionados para a área da Saúde: o MBA em Gestão e Economia da Saúde, o MBA em Turismo de Saúde e o MBA em Nova Gestão Comercial do Canal Farmácia. A esta oferta somam-se ainda uma pós-graduação em Cuidados de Saúde e Governação e vários outros cursos.

A instituição justifica a sua oferta formativa com os desafios atuais do sistema de saúde nacional e internacional – alavancados por novos contextos como a empresarialização dos hospitais públicos, a escassez de recursos, a forte competitividade no sector da saúde, nomeadamente com a implementação de unidades/grupos privados de prestação de cuidados de saúde, clínicas de diagnóstico e terapêutica, e laboratórios de análises clínicas privados, o controlo orçamental rigoroso que têm imposto reformas nas organizações de saúde – e com a necessidade que estes geram nas empresas de ter profissionais bem preparados, com competências polivalentes e diferenciadas ao nível da direção e gestão de projetos na area da saúde.

Foi esta mesma lógica que orientou a Porto Business School quando decidiu criar uma pós graduação em Gestão e Direção de Serviços de Saúde. A atual edição do curso arrancou em Outubro, com o objetivo de “promover e desenvolver capacidades específicas de gestão e direção na área de prestação de serviços de saúde” e tem entre os seus alunos médicos, enfermeiros, farmacêuticos e técnicos superiores de saúde que pretendam uma especialização em gestão e direção de serviços de Saúde, mas também administradores hospitalares, diretores de clínicas e laboratórios e diretores de serviços de ação médica. Uma aposta que a instituição considera estruturante num contexto em que “os responsáveis de topo e os quadros intermédios das diversas instituições de saúde têm vindo a ser confrontados com a necessidade de conseguirem melhores resultados com recursos que são cada vez mais escassos”, sendo para isso crucial o domínio dos conceitos e ferramentas de gestão e de economia.

Na Universidade Lusófona a aposta é feita no domínio dos Sistemas de Informação em Saúde. A escolar criou o MBA em Saúde e Sistemas de Informação, “um curso avançado de gestão de para área da Saúde e a sua interligação com Sistemas de Informação” que visa “garantir que os executivos e líderes empresariais da área da saúde alcancem elevados graus de competências inovadoras sobre a gestão empresarial, na qual os Sistemas de Informação têm uma preponderância fundamental”, explica a Universidade Lusófona na apresentação do MBA.



OUTRAS NOTÍCIAS
Portugal a Recrutar: os novos profissionais do imobiliário

Portugal a Recrutar: os novos profissionais do imobiliário


A necessidade de abordar novos mercados, novos clientes e investidores, habituados a padrões de excelência na consultoria imobiliária, levou as empresas do sector imobiliári...


"A profissionalização dos trabalhadores do sector tem uma relevância crescente"


Que balanço faz da evolução do sector imobiliário nos últimos dois anos em Portugal?O balanço é positivo, especialmente quando comparado com a realidad...

Os profissionais que o mercado procura

Os profissionais que o mercado procura


Century21, Remax Vantagem e Special Knowledge (SKSA) são algumas das empresas que a partir de segunda-feira, 18 de abril, estarão a identificar talento na job fair Portugal a Recrutar de...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS



ÚLTIMAS FORMAÇÕES


MMOG/LE V 5

RH OPCO Academia