Notícias

Contratos temporários sobem

Contratos temporários sobem

O número de contratos temporários de trabalho cresceu quatro por cento no primeiro trimestre de 2010, face a igual período do ano passado.
20.05.2010 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



Os contratos de trabalho temporários aumentaram, no primeiro trimestre do ano, cerca de 4% segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), agora divulgados. Um crescimento que foi superado também pelos contratos a termo que aumentaram cerca de 10%.Os dados do INE mostram ainda o retrato de um país onde o fosso entre os salários elevados e o salário mínimo é cada vez mais acentuado.

Numa altura em que o desemprego bateu todos os records , Portugal assiste a uma nova realidade em matéria de desigualdade salarial. De acordo com os dados do INE, o número de portugueses que recebem salários superiores a três mil euros líquidos cresceu 23% só durante o primeiro semestre do corrente ano. O relatório do INE aponta para a existência de cerca de 28,6 mil pessoas com rendimentos salariais neste escalão. Numa fasquia inferior, mas ainda assim significativa, cresceu também o número de trabalhadores com remuneração superior a 2500 euros em 17%, face a igual período de 2009. Números que contrastam com uma taxa de desemprego que é a mais alta de sempre em Portugal e que atinge 10,6% da população activa, ou 592.200 portugueses, se quisermos falar em números reais. Na verdade, desde que se começou a falar de crise, Portugal já viu extinguir mais de 219 mil empregos e os jovens são os mais sacrificados.

O INE fala de reduções de emprego na ordem dos 11% para a fasquia dos 15 aos 24 anos, seguindo-se o patamar dos que têm entre 25 e 34 anos, onde os cortes de postos de trabalho cresceram mais 2,5% face a igual período de 2009. Mais a salvo parece estar o grupo dos 45 anos em diante que conseguiu manter níveis estáveis de empregabilidade.

O desemprego entre os licenciados aumentou 8,5%, somando actualmente 54,6 mil casos. As mulheres continuam a ser as que mais sofrem com a falta de trabalho, já que mais de 51% dos desempregados é do sexo feminino. O desemprego de longa duração apresenta também dados alarmantes, registando uma subida de 42% face ao primeiro trimestre de 2009. Neste momento, Portugal tem 305 mil pessoas desempregadas há mais de um ano e o número de trabalhadores inactivos desencorajados na procura de emprego aumentou mais de 39%.



OUTRAS NOTÍCIAS
Uma especialização crescente

Uma especialização crescente


Com a taxa de desemprego a superar a fasquia dos 10%, a ‘vida' dos centros de emprego não está facilitada e para as empresas privadas do sector do emprego os tempos adversos també...

Garra de desportista

Garra de desportista


O exercício físico é um bálsamo para a alma e para o corpo e apesar dos portugueses continuarem campeões do sedentarismo a nível europeu, a realidade é...

O poder do factor humano

O poder do factor humano


Para a líder da equipa portuguesa, Paula Baptista, o sector do recrutamento e selecção enfrenta grandes desafios e falta-lhe, por cá, uma legislação que ajude.O trabalho certo pode mudar a vida de uma...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


Área Jurídica

Assembleia da República

Business Development Assistant

ARC International Design Consultants