Notícias

Bolonha valoriza Mestrados

A maioria dos jovens encaram hoje como uma sucessão natural à conclusão da licenciatura o investimento num Mestrado. Mas se em Lisboa, na maioria dos casos são os pais quem paga para os filhos serem Mestres, no Porto quem quer o título tem de o pagar do seu próprio bolso.
11.03.2011 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



O investimento na qualificação é uma realidade para a grande maioria dos jovens da actualidade que não se ficam pela conclusão da sua licenciatura. Contudo, de acordo com um estudo realizado pela Circulo de Formacion, uma empresa especializada na prestação de serviços globais a universidades e escolas de negócios que organizou no início do mês a Feira Internacional de Cursos de Pós-graduação (FIEP), em Lisboa e no Porto, 44% dos jovens de Lisboa interessados em tirar um Mestrado recorrerá à ajuda do país para financiá-lo e 40% tencionam pagá-lo do seu próprio bolso. Já no Porto, apenas 19% conta com a ajuda dos pais e 42% os visitantes do certame que ponderam prosseguir os seus estudos e alcançar o grau de mestre irão pagar do seu próprio bolso para o fazer e 23,9% afirma que recorrerá a ajuda financeira para isso.

A formação pós-graduada tem vindo a assumir uma importância crescente e desempenha um papel cada vez mais determinante nos processos de recrutamento no mercado de trabalho europeu. Estudantes, recém-licenciados e profissionais no activo parecem concordar num ponto-chave: face à actual conjuntura e à crescente competitividade, torna-se fundamental a qualquer profissional diferenciar-se e valorizar-se muito além do que aprendeu na universidade. É com base nesta realidade que a Circulo Formácion organiza o FIEP. Trata-se de uma mostra pensada para dar a conhecer aos estudantes e profissionais não só as ofertas formativas disponíveis no mercado para a sua área, como também as saídas profissionais, bolsas de estudo existentes e possibilidades de financiamento.

A edição deste ano contou com 700 visitantes em Lisboa e 350 no Porto. Entre os presentes na cidade de Lisboa, é notório conhecimento das directrizes do Tratado de Bolonha. De acordo com o inquérito realizado no certame pela Circulo Formacíon, 96% dos visitantes acreditam que os mestrados sairão valorizados. Em termos globais são 60% os que acreditam que o Tratado de Bolonha os vai ajudar, contra 40% que não encontram nenhuma vantagem. Banca e Finanças (28%), Marketing e Comunicação (16,6%), Recursos Humanos (15,38%) e MBA e Turismo (10,2%) foram as áreas que registaram maior procura por parte do público na capital do país.

Já no Porto os números foram diferentes. Banca e Finanças aparecem como as áreas de estudo que reunem maior interesse na Invicta, com 17,6%), mas logo a seguir surgem os MBA (16%), o Marketing e Comunicação (15,1%) e os Recursos Humanos (11,8%). 83,6% dos visitantes do certame no norte do país, considera que os mestrados sirão valorizados com o Tratado de Bolonha, mas 25,9% acredita que pode sair prejudicado com as novas diretrizes.

Facto curioso, quer em Lisboa quer no Porto, tem a ver com as aspirações de vida futuras. Ceca de 22% dos lisboetas aspira criar e gerir o seu próprio negócio e 59,2% têm como meta ingresar numa multinacional. No Porto, a taxa de empreededorismo fica-se pelos 21,9% e 56,3% tem como missão ser quadro de uma empresa multinacional. Na cidade Invicta há também uma significativa taxa de estudante com a ambição de realizar o mestrado no estrangeiro (87,9%). Apenas 12,1% o fará em Portugal.



OUTRAS NOTÍCIAS
Os líderes do recrutamento

Os líderes do recrutamento


Apesar da conjuntura económica, as empresas nacionais parecem decididas em investir nas suas equipas de marketing e vendas. Estes profissionais lideraram em fevereiro o ranking das ofertas de e...

Empregos à la carte

Empregos à la carte


Chama-se Colunching e promete mudar a forma como se procura (e encontra!) emprego pelo mundo fora. A ideia nasceu em Paris e o conceito não podia ser mais simples: promover o networking profiss...

Nas tintas para a crise!

Nas tintas para a crise!


Dizer que a Robbialac se está ‘nas tintas' para a crise pode parecer exagerado, mas a verdade é que mesmo perante a conturbada conjuntura económica mundial, uma das prioridades da...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


COMERCIAL - CONSTRUÇÃO CIVIL - ZONA NORTE

Spring Professional Portugal

CONTABILISTA CERTIFICADO

Spring Professional Portugal

CONTABILISTA CERTIFICADO

Spring Professional Portugal