Notícias

Accenture dá a mão a 250 mil

Accenture dá a mão a 250 mil

A Accenture Portugal quer dar o seu contributo para inverter a taxa de desemprego. A multinacional vai dar lições de empreendedorismo a 250 mil pessoas em todo o mundo. O objectivo: ajudá-las na sua caminhada para conseguir um emprego ou criar um negócio.
13.10.2010 | Por Marisa Antunes


  PARTILHAR



Foi considerada a “Melhor empresa para trabalhar em Portugal com mais de 1.000 colaboradores”, pelo Great Place to Work Institute, em 2009, um troféu a que veio juntar o da revista Exame, para a “Empresa com melhores práticas de Responsabilidade Social”. Na multinacional Accenture, o nível é elevado e é para manter. Não é à toa que o administrador da empresa em Portugal, Galamba de Oliveira, realça que a responsabilidade corporativa está inscrita no código de conduta da Accenture.

Agora, a multinacional de serviços de consultoria de gestão, tecnologias de informação e outsourcing, está a preparar-se para lançar uma iniciativa alargada a 50 países com impacto direto sobre milhares de pessoas. “Queremos formar pessoas em todo o mundo com competências que lhes permitam participar e contribuir ativamente para a economia e sociedade. Por isso, até 2015, a empresa compromete-se a dotar 250 mil pessoas a nível global com as competências necessárias para conseguir um emprego ou criar um negócio”, refere José Galamba de Oliveira, presidente da Accenture Portugal.

A iniciativa, batizada de “Skills to Succeed”, insere-se na política de responsabilidade corporativa da multinacional e abrange pessoas de diferentes faixas etárias, desde as mais jovens, que ainda frequentam a escola secundária até aos mais maduros, que possam estar a passar, neste momento, pela difícil experiência do desemprego.

“Estamos a analisar junto de várias entidades de que forma podemos dar o nosso contributo de formação adicional aos desempregados, para que estes possam ser mais facilmente absorvidos no mercado de trabalho. Já tivemos algumas reuniões, temos em cima da mesa várias opções de organizações com estatuto de IPSS, com acordos com a segurança social”, adianta Galamba de Oliveira. A previsão é que estas ações arranquem já no início do próximo ano.

O “Skills to Succeed” tem implícito um investimento global de 100 milhões de dólares, traduzidos em donativos globais e locais e contribuições dos colaboradores da empresa. Para esta iniciativa, a Accenture transporta toda a sua experiência de quatro anos da sua parceria com a Associação “Aprender a Empreender – Junior Achievemement” (ver caixa). Uma união que sai, aliás, reforçada pois o “Skills to Succeed” dá uma especial atenção às faixas mais jovens.

"Nas sessões que fazemos com estes adolescentes, queremos incutir-lhes a capacidade de organização, o saber medir os riscos, a audácia”, diz Galamba de Oliveira. “O desenvolvimento profissional está no centro daquilo que fazemos. A Accenture alcançou uma reputação ímpar no desenvolvimento de talentos exatamente porque incentivou e cultivou nos seus colaboradores as competências que permitem ajudar não só os nossos clientes como também as comunidades onde desenvolvemos a nossa atividade. Em Portugal, iremos continuar a apostar na parceria com a Junior Achievement, permitindo às nossas pessoas participar ativamente na formação de um espírito empreendedor dos líderes de amanhã”, reforça ainda.

Mas a Junior Achievement é apenas um dos parceiros. Para conseguir um bom “feed-back” com o seu “Skills to Succeed”, a Accenture irá continuar a associar-se a outros organismos estratégicos que partilham dos seus objetivos de qualificação: Enablis, Genesys Works, Oxfam, Passerelles Numériques e a Youth Business International.

Um milhão com mini-empresas

A Accenture foi uma das primeiras a alinhar na parceria com a Associação “Aprender a Empreender – Junior Achievement Portugal”, que fornece formação nas áreas de cidadania e ética, desenvolvimento de carreiras, empreendedorismo e literacia financeira, a crianças e jovens estudantes para os ajudar a ter sucesso na economia global. Desde o início da parceria local, mais de 300 voluntários da Accenture Portugal participaram em ações de formação a mais de 6.000 alunos do ensino básico ao secundário. Nos últimos cinco anos, mais de 1 milhão de estudantes na Europa participaram na criação de mini-empresas do programa “Enterprise without Borders”, ganhando assim experiência em primeira-mão de criar e gerir o seu próprio negócio. Cerca de 15% destes estudantes irão criar a sua própria empresa após o seu percurso formativo.



OUTRAS NOTÍCIAS
22,7 milhões de empregos para vencer a crise

22,7 milhões de empregos para vencer a crise


Três anos após o inicio da crise financeira, algumas economias mundiais registaram indícios de crescimento e há países onde até são visíveis sina...

Euroskills cativa talento nacional

Euroskills cativa talento nacional


Longe do cenário económico que afecta o país, há coisas em que Portugal marca pontos e faz bem. Sabia que em 2008 Roterdão rendeu-se ao talento e mestria de um jovem...

O poder está nas pessoas

O poder está nas pessoas


A Aspirina soma mais de 100 anos e a pílula contracetiva celebra este ano cinquenta. Ambas têm a chancela do grupo Bayer que cem anos depois de dar o primeiro passo em território n...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


ADMINISTRATIVO RH C/FRANCÊS - LISBOA

Kelly Services Portugal

ATUÁRIO

Grupo Egor

AUDITOR

Grupo Egor