Notícias

89% dizem trabalhar demais

89% dizem trabalhar demais

Barómetro do Bem-estar e Motivação dos Trabalhadores, elaborado anualmente pela Edenred-IPSOS, estudou pela primeira vez a realidade dos trabalhadores portugueses. A larga maioria dos profissionais está insatisfeita com o seu poder de compra atual face às horas que trabalha, mas considera que seria muito difícil encontrar um emprego comparável ao que atualmente tem.

30.05.2014 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



Eurostat aponta perspetivas favoráveis a Portugal em matéria de crescimento até 2015, mas ainda assim a radiografia ao mercado de trabalho português realizada pela empresa especializada em soluções de melhoria da vida dos trabalhadores, Edenred, espelha os impactos que a crise gerou e continua a gerar nos profissionais portugueses. A empresa conduziu um estudo europeu junto de 8800 trabalhadores (800 dos quais em Portugal) para avaliar o seu grau de motivação e as suas preocupações no que à vida profissional diz respeito. Em Portugal, concluiu que 89% dos portugueses sentem que trabalham demais e 62% estão preocupados em manter o seu atual emprego.

Segundo o relatório, “em Portugal, os indicadores de confiança do barómetro (futuro coletivo, futuro individual) continuam baixos e a preocupação com o desemprego mantém-se bem marcada”. O país regista também a taxa mais baixa dos países da Europa do Sul no que diz respeito à satisfação com o nível do poder de compra. Os dados da Edenred apontam para que 85% dos portugueses estejam insatisfeitos em relação ao seu poder de compra atual, mas ainda assim 56% declaram nunca ter considerado sair da empresa onde atualmente trabalham.

Uma elevada percentagem dos 800 profissionais portugueses inquiridos (72%) reconhecem mesmo que será difícil encontrar um emprego comparável ao atual no caso de perderem o atual. A preocupação salarial ocupa 26% dos profissionais e apenas 39% se dizem otimistas em relação ao sei futuro profissional no seio da empresa onde trabalha. Entre os inquiridos não há grandes demonstrações de motivação profissional. Só 7% consideram sentir-se mais motivados e 35% assumem mesmo que a sua motivação está a diminuir.



OUTRAS NOTÍCIAS
Angola na rota da excelência

Angola na rota da excelência


Angola foi entre 2003 e 2013 uma das economias de maior crescimento, com o PIB nacional a evoluir a uma média de 11% ao ano. Nos últimos anos, inúmeras empresas estrangeiras inves...

BNP financia pós-graduação a desempregados

BNP financia pós-graduação a desempregados


A unidade do grupo BNP Paribas especializada na custódia e liquidação de tículos, o BNP Paribas Securities Services, quer apoiar jovens licenciados em situaçã...

Recrutamento de proximidade

Recrutamento de proximidade


Quando construímos uma equipa de loja, procuramos recrutar os vizinhos dos nossos clientes”. A estratégia, aparentemente demasiado simplista, é apontada por Sandra Barranqui...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


CANDIDATURAS AO CARGO DE REITOR

UAlg – Universidade do Algarve

DIRETOR DE OBRA

Companhia das Obras

Responsável da Qualidade

GAC – Ingredientes & Produtos Alimentares, Lda.