Notícias

UMinho regista 62 patentes

UMinho regista 62 patentes

Cerca de 35% da produção científica nacional é desenvolvida nos campus das universidades
25.03.2011 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



A Universidade do Minho figura entre as instituições de ensino com mais patentes registadas em Portugal. Entre 2001 e 2010, a instituição deu entrada com 87 pedidos de patente, 62 foram concedidas. Paralelamente, a universidade viu também já serem certificados seis pedidos de patente à escala europeia e dois nos Estados Unidos. A inovação e o desenvolvimento tecnológico são para a Universidade do Minho vitais e a instituição há muito que se muniu de ferramentas para desenvolver estas valências.
Uma ligação estreita entre os investigadores da UMinho e o tecido empresarial, uma aposta estruturada na promoção e apoio à propriedade jurídica de resultados de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico e à gestão da propriedade intelectual, uma intensa cooperação científica e tecnológica com a indústria, são alguns dos fatores de aposta da instituição e que a conduziram à uma das posições dianteiras no ranking das patentes nacionais.

Com efeito, apesar da conjuntura económica adversa, os últimos dados do Gabinete de Planeamento e Estatística (GPEARI) do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior revelam um crescimento cada vez maior do investimento nacional em Investigação e Desenvolvimento (I&D). Atualmente o país aplica quase 2800 milhões de euros, cerca de 1,71% do PIB nacional em I&D. Valores que aproximam cada vez mais o país da média europeia situada em 1,9% do PIB português.
Um esforço de crescimento que é sobretudo sustentado por universidades como a do Minho. Segundo os dados do ministério, cerca de 35% da investigação nacional é produzida no ensino superior. Uma realidade para a qual tem contribuído o importante papel da Fundação para a Ciência e Tecnologia, que tem sido apontada como um dos principais incentivadores deste crescimento tecnológico, através do aumento das verbas aplicadas no financiamento de projetos e centros de investigação, geralmente afetos às universidades nacionais.

Desde 2007, a Fundação para a Ciência e Tecnologia viabilizou a contratação de 1192 doutorados e ao estabelecimento de inúmeras parcerias com centros de investigação de excelência a nível internacional. Saem beneficiadas com o crescente número de protocolos estabelecidos as universidades nacionais. No norte do país, a UMinho soma e segue no registo de patentes. São muitos os exemplos de patentes registadas pela instituição que se encontram em efetiva exploração por empresas nacionais e internacionais. Na instituição, um dos meios privilegiados para a valorização de papentes geradas na UMinho é o apoio à criação de spin-offs. Um exemplo claro desta estratégia é o concurso SpinUM, organizado pela TecMinho e pelo SpinPark, com a missão de apoiar ideias de negócio inovadoras e com potenciar científico ou tecnológico. A universidade assume-se hoje como uma das mais empreendedoras a nível nacional.



OUTRAS NOTÍCIAS
77,9% querem mudar de emprego

77,9% querem mudar de emprego


Empregadores e candidatos tecem queixas de falta de confiança na economia nacional, mas a verdade é que 2011 pode não vir a ter um saldo tão negativo quanto se esperava em ...


"O maior valor de um candidato é não desistir"


A PwC emprega em Portugal cerca de 800 quadros, maioritariamente colocados na sede da empresa em Lisboa. Uma população empresarial predominantemente jovem, onde a média de idades ...

Como ter êxito numa entrevista?

Como ter êxito numa entrevista?


Se pensa que procurar emprego se resume a responder às ofertas disponíveis nos jornais e sites da especialidade, está redondamente enganado. Essa é de facto uma importante ...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


ARQUITETO GRÂNDOLA

Michael Page Portugal

ASSISTANT STORE MANAGER BEJA

Michael Page Portugal

ASSISTANT STORE MANAGER PORTALEGRE

Michael Page Portugal