Notícias

Profissionais em rede

Profissionais em rede

Em apenas um mês de atividade, a rede social portuguesa wePinch ultrapassou os cinco mil utilizadores em Portugal. A rede foi criada com o propósito de unir quem procura novos desafios profissionais, empresariais ou quem quer investir em novos projetos e Andreia Onofre, mentora desta rede que aproxima também os profissionais do mercado de trabalho, garante neste momento 42% dos projetos tem já um ou mais membros recrutados e 10% dos profissionais estão associados a projetos. O wePinch já prepara a abordagem ao mercado brasileiro. 

14.03.2014 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



Cinco mil utilizadores e 250 projetos publicados em apenas um mês é para Andreia Onofre, mentora e fundadora da rede social wePinch, o melhor cartão de visita que o seu projeto poderia ter. Num contexto de rede social, a wePinch (www.wepinch.com) une todos os intervenientes essenciais ao sucesso de um projeto empresarial: empreendedores, investidores e profissionais. Se aos primeiros a plataforma dá a possibilidade de conquistar investimento para o seu projeto, aos últimos pode garantir a entrada no mercado de trabalho.

Quando idealizou a wePinch, Andreia Onofre tinha já como ambição os mesmos objetivos com que hoje gere esta rede social criada em Portugal: “ser uma a rede social capaz de estimular um ecossistema de projetos disponíveis online que poderão estar na génese de micro e pequenas empresas e, quem sabe, das mais icónicas startups do futuro, tanto em Portugal, numa primeira fase, como no plano internacional”, explica a fundadora.

Na verdade, Andreia Onofre está já de olhos postos no mercado internacional. A empreendedora assume a vontade de ver este projeto tornar-se “uma referência mundial enquanto rede social para criação de startups” e prepara-se já para disponibilizar versões em inglês, espanhol e português do Brasil para a wePinch que, durante o segundo trimestre do ano, deverá estrear-se na América Latina, a começar pelo Brasil. Uma expansão que, garante Andreia Onofre, abrirá novas potencialidade de internacionalização aos empreendedores portugueses e aumentará também o seu potencial de criação de emprego.

O conceito da plataforma é simples e de fácil utilização (ver caixa). “Quem tem uma ideia, um projeto ou uma startup  - os Starters ou empreendedores do wePinch – publicam o seu projeto ou “beliscam” os profissionais inscritos na rede para participarem no projeto e formar uma equipa”, explica adiantando que os profissionais, por sua vez, “os investidores são mais passivos no processo, no sentido em que mantêm um perfil mais secreto e contactam diretamente os empreendedores quando pretendem saber mais sobre o projeto ou investir”. As equipas criadas no seio desta rede social – empreendedores e profissionais – podem ser multinacionais e não está longe da realidade um starter português utilizar a wePinch para recrutar, por exemplo, um programador em Singapura ou um designer em Nova Iorque, ou atrair a atenção de investidores estrangeiros A qualidade dos projetos, explica a mentora, “é validada pela própria comunidade wePinch que segue e aprova os projetos”.

Segundo Andreia Onofre, “nesta plataforma, há lugar para as startups tecnológicas que necessitam de recursos humanos altamente qualificados, assim como para os projetos que possam necessitar de colaboradores com competências artesanais”. A ideia da empreendedora é “que a wePinch possa tornar-se no equivalente à ‘Amazon das Startups’ ou seja, ter projetos para todas as classes de profissionais e profissionais para todo o tipo de projetos”. Networking é uma das chaves de sucesso deste projeto que reúne uma elevada franja de perfis ligados às áreas de IT, Web, Mobile & Jogos, Comunicação & Media, Gestão, Engenharia, com uma média de idades que ronda os 33 anos.

Andreia Onofre avança que 10% dos profissionais inscritos na plataforma estão já associados a projetos e que 42% dos projetos já integraram um ou mais membros nas suas equipas. Para a fundadora da rede, “o WePinch é, acreditamos, a primeira rede social a oferecer aos profissionais a possibilidade de fazerem parte de algumas daquelas que poderão ser as próximas grandes empresas do futuro”.

Como funciona a rede
O wePinch liga profissionais, empreendedores e investidores à escala global, em torno de projetos que pode ser empresariais, projetos pontuais ou ideias em embrião. Segundo Andreia Onofre, trata-se de uma rede social pura , totalmente interativa entre as partes, que integra funcionalidades de partilha, alertas e até um sistema próprio de “likes”, o botão “aprov”, para aprovar projetos. A rede contempla duas ferramentas de pesquisa e geo-referenciação que permitem localizar projetos ou profissionais, o Pro Match (para pesquisar e encontrar profissionais com as qualificações específicas para colaborarem em determinado projeto) e o Project Finder (que permite aos profissionais encontrarem projetos com que se identifiquem). Mas além destas valências a rede social, que permite importar diretamente o perfil do Linkedin, facilitando o processo, está “equipada” com outras funcionalidades:

. A Beliscadela
– botão “Beliscar” - permite aos empreendedores (Starters) chamar a atenção dos profissionais (Pros), convidando-os a conhecer os seus projetos.

. Os Aprovs (Aprovar Projeto), permitem aos utilizadores “aprovarem” os projetos que mais gostam. Os projetos com mais “aprovs” saltam imediatamente para a homepage do wePinch e para o top dos projetos mais aprovados por toda a comunidade.
 
. Convidar, permite a cada empreendedor (Starter) convidar profissionais para colaborarem no seu projeto.

. Participar, dá aos profissionais a possibilidade de, quando encontram um projeto com o qual se identificam, demonstrar interesse em integrar a equipa com o seu “Quero Participar”.

. Investir, está direcionado aos investidores e permite-lhes manifestar interesse em investir nos projetos através do botão “Quero Investir”.
 rede.



OUTRAS NOTÍCIAS
Nestlé vai criar 500 vagas até 2016

Nestlé vai criar 500 vagas até 2016


A Nestlé está a reforçar o número de vagas para estágio e contratações diretas. Até 2016, a empresa deverá integrar 500 novos elementos p...

Currículos: o seu é exemplar?

Currículos: o seu é exemplar?


O seu percurso de carreira pode ser fascinante e a sua experiência profissional acima da média, mas de nada valerão se no seu currículo deitar tudo a perder. Num mercado com...

Portugueses querem mudar de emprego

Portugueses querem mudar de emprego


Em 2013, 59% dos trabalhadores portugueses do sector público demonstravam vontade em mudar de emprego. Em 2008, a percentagem era de apenas 17%. Os números são avançados pe...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


ADMINISTRATIVO CONTROLO DE CRÉDITO

Experis Finance, Tax & Legal

ASSISTENTE FINANCEIRO

Experis Finance, Tax & Legal