Notícias

Negócio feito de sabores

Manuela Carabina apostou na área da alimentação e criou a gelataria Fragoleto
05.08.2005


  PARTILHAR




Maribela Freitas

HÁ CERCA de dois anos Manuela Carabina deixou o seu emprego com o intuito de se lançar num negócio próprio. Na altura não tinha uma ideia definida do que iria fazer, sabia apenas que queria criar uma empresa na área da alimentação. Pesquisou, ponderou os pós e contra dos negócios existentes neste sector e foi o elogio de um amigo aos seus gelados que a levou a criar uma gelataria em Lisboa.


«Trabalhei desde 1989 até 2003 na área da comunicação. Optei por deixar este trabalho, pois estava a sentir que precisava de fazer outras coisas que me motivassem mais. Gosto de arriscar e achei que tinha chegado o momento de avançar com um negócio próprio», explica Manuela Carabina. O que esta empreendedora queria era mudar de vida e fugir da rotina do trabalho diário. «Queria fazer uma coisa diferente na área da alimentação. A ideia de criar uma gelataria surgiu por causa de um amigo que é fã de gelado e, ao provar um que eu tinha feito, de maracujá, sugeriu-me que abrisse um negócio de gelados», relembra Manuela Carabina.

Na altura a empreendedora gostou da ideia e resolveu investigar para saber se existia formação neste domínio e obter mais ideias para concretizar o seu projecto. Esta pesquisa levou-a a Rovigo, em Itália, onde durante três semanas frequentou uma acção de formação que forma mestres em gelataria. Quando voltou a Portugal, Manuela Carabina passou de imediato à parte da montagem do negócio. Aliás, a todos os que quiserem criar a sua empresa, aconselha, desde logo a elaboração de um plano de negócios. «Este passo é muito importante pois obriga-nos a pensar, fazer cálculos e verificar até onde podemos ir no investimento», refere.

Demorou meses nesta fase do projecto. Depois chegou a altura de escolher o local para a abertura da Fragoleto. Explica que «a localização é uma das regras de sucesso deste tipo de negócio. O gelado é uma compra de impulso, compra-se quando se vê. Escolhi a baixa de Lisboa que é um local de passagem, e é também uma zona turística e comercial». Ao fim de todo este processo, o projecto de Manuela Carabina abriu as portas em Julho deste ano.

Mas todo este percurso não foi isento de dificuldades. A empreendedora relembra as dúvidas que teve e considera que «o difícil em todo este processo é saber se estamos a tomar as opções certas. É preciso acreditar muito no negócio para não desistir». No seu caso não desistiu e, além do seu posto de trabalho, criou mais um. Como os gelados são um negócio sazonal, neste estabelecimento existe também cafetaria e pastelaria, para criar sustentabilidade nos meses mais frios. Quanto ao financiamento, Manuela Carabina recorreu à banca e a capitais próprios para a concretização do projecto.

Contrariamente ao que se possa pensar, todo o equipamento para a execução e conservação dos gelados é caro. Dado o pouco tempo de vida deste negócio, o investimento ainda não foi recuperado. Para a empreendedora este projecto está a ser muito gratificante. «Tenho-me vindo a aperceber que as pessoas provam os meus gelados, gostam e voltam. Uma casa não se faz de um dia para o outro e só o vou conseguir se conquistar cliente a cliente», frisa. O seu objectivo de negócio é criar uma casa de gelados de referência e no futuro, quando o nome Fragoleto já for conhecido, abrir novos espaços.

BI Empresarial

Empreendedora: Manuela Carabina
Idade: 39 anos
Formação: Licenciada em comunicação e imagem
Nome do negócio: Fragoleto
Área: Confecção de gelados tradicionais de tipo italiano, cafetaria e pastelaria Início do Negócio: Julho de 2005
Localização: Rua da Prata, em Lisboa
Objectivos a longo prazo: Criar nome no mercado e só depois expandir o negócio com a abertura de mais gelatarias
Conselhos para o sucesso: Ter paixão pelo que se faz, nunca desistir e acreditar no negócio





DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


BRAND MANAGER - TÊXTIL

Experis Sales & Marketing, Retail