Notícias

Mais flexibilidade no trabalho

Ajudar os trabalhadores e as empresas a gerir a sua mobilidade é o objetivo do programa Businessworld da Regus.
01.07.2010 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



Flexibilidade é a palavra de ordem quando se fala de trabalho. Uma realidade certificada pela Regus, fornecedora mundial de soluções de espaços de trabalho inovadores. A empresa que lançou em 2008 o programa Businessworld divulgou que o número de aderentes a este projeto registou um crescimento de 82% do último ano, alcançando atualmente os 320 mil membros.

O Businessworld foi pensado para disponibilizar aos seus membros soluções de locais de trabalho a baixo-custo, como sejam salas de reuniões, equipamentos de escritório e outras utilidades, em mais de mil localizações espalhadas pelo mundo inteiro. Lançado às vésperas da recessão, em 2008, a ideia ganhou de imediato adeptos. Nos últimos 12 meses, à medida que a crise atingia o seu pico o número de membros subscritores desta solução centrada na resolução de problemas de mobilidade de indivíduos e empresas, quase duplicou passando dos 170 mil, para os 320 mil.

Segundo Paulo Dias, CEO da Regus, “o programa Businessworld assumiu-se como uma solução para profissionais sempre em movimento que procuram um ambiente de trabalho que não seja muito dispendioso, nem comprometa a sua mobilidade”. O líder explica que o programa arrancou em plena época de recessão e “o seu sucesso imediato ficou a dever-se ao facto de possibilitar aos indivíduos e empresas reduções de custos na ordem dos 60 ou 70%, quando comparado com os custos tradicionais de escritórios”. Paralelamente, argumenta Paulo Dias, “possibilita um aumento da flexibilidade e efetividade do trabalho de quem está em movimento ou numa localização que não um escritório”.

O CEO da Regus faz um balanço positivo da conquista de mercado desta solução e afiança que o programa Businessworld irá apresentar todo o seu potencial de crescimento nos próximos 10 anos “à medida que o trabalho flexível se torna uma norma”. Paulo Dias refere mesmo que a tendência é para o crescimento dos designados trabalhadores móveis. “À luz de um estudo recente do IDC existem três tipos de trabalhadores móveis – os que estão em escritórios, os que não têm escritório e os que trabalham a partir de casa – e estes profissionais podem crescer até 1,2 milhões até 2013”. Com esta população a aumentar, Paulo Dias acredita que serão necessárias cada vez mais soluções de apoio à mobilidade. A Regus permite aos seus clientes subcontratarem os seus escritórios e equipamentos. Diariamente tem pais de 500 mil clientes em mil centros de negócios, espalhados por 450 cidades e 80 países. A tendência é ver aumentar estes números.



OUTRAS NOTÍCIAS
A nova Era do recrutamento em TI

A nova Era do recrutamento em TI


Atualmente os profissionais das Tecnologias de Informação (TI) vivem uma situação próxima do pleno emprego, apesar da difícil conjuntura económica que ...

TI criam 7500 empregos

TI criam 7500 empregos


Um estudo recente da consultora IDC Portugal revela que em quatro anos o mercado das Tecnologias de Informação deverá criar, em Portugal, qualquer coisa como 7500 novos postos de ...

“É difícil contratar profissionais da área tecnológica”

“É difícil contratar profissionais da área tecnológica”


Como avalia o emprego tecnológico que existe em Portugal? A ANETIE realizou um estudo nacional e concluiu que o mercado, em termos de profissionais qualificados nas chamadas hard skills - que ...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


ACCOUNTANT BANKING SECTOR-PSA BANK

Spring Professional Portugal

ASSISTANT ACCOUNTING CONTROLLER

Spring Professional Portugal

BUSINESS ANALYST

Spring Professional Portugal