Notícias

Lisboa: capital do espírito empresarial

02.01.2004


  PARTILHAR





Cátia Mateus

A META era seleccionar um conjunto de projectos empresariais de base tecnológica e forte componente de inovação e a partir daí apoiar os empreendedores na concretização das suas ideias, dando-lhes formação especializada e avaliando as potencialidades do negócio. Um objectivo que foi alcançado com sucesso.


Depois de um rigoroso processo de selecção e vários meses de formação, o Programa Lispolis-Inovação - vocacionado para apoiar os finalistas e recém-licenciados das universidades da Região de Lisboa e Vale do Tejo nos seus projectos empresariais na área tecnológica - encerrou a sua primeira edição com 16 projectos vencedores.

Foram mais 200 os candidatos, mas a selecção ditou que apenas 30 empreendedores pudessem fazer parte da lista final. Integrado no programa Lisaction que financia com fundos europeus as actividades ligadas ao fomento da iniciativa empresarial, o Lispolis-Inovação é um projecto luso-holandês que resulta de um consórcio formado pela Lispolis, o INETI, o Instituto Europeu de Estudos Superiores e Formação (IEESF) e o grupo holandês Zernike.

Direccionado a recém-licenciados e finalistas das várias universidades da Região de Lisboa e Vale do Tejo (RLVT), mas também a dirigentes de empresas já criadas e instaladas nas incubadoras dos vários Pólos Tecnológicos da RLVT com protocolos de cooperação com a Lispolis, o programa contempla um apoio efectivo à concretização das ideias de negócio vencedoras.

Um apoio sustentado quer pela via da formação em áreas basilares à gestão empresarial, e elaboração de planos de negócio, ou na possibilidade das empresas vencedoras implantarem os seus projectos nos vários pólos tecnológicos de Lisboa.

Se a detecção de projectos de sucesso era um dos objectivos, para o coordenador do Programa Lispolis-Inovação, Júlio Dias, "a formação dos candidatos foi uma das grandes mais-valias deste projecto".

Depois de seleccionados, os empreendedores integraram o Curso de Empreendedorismo e Inovação, ministrado à luz de um programa elaborado pelo IEESF e a International University of Enterperneurship (IUE), do Zernike Group.

Ultrapassaram a experiência com sucesso 16 empresas mas, para Júlio Dias, este é um desafio que não se resume a esta etapa (ver caixa). Para o responsável, as empresas vencedoras têm agora o desafio de vencer num mercado muito competitivo.

Para o coordenador do programa, "este é um período decisivo". Júlio Dias faz um balanço extremamente positivo da primeira edição do Lispolis-Inovação - "contrariando a tendência de fraca iniciativa empresarial que ainda afecta os portugueses" -, mas não tem dúvidas em afirmar que este tipo de projectos carece de apoio.

"O perigo de morte destas empresas no primeiro ano é muito elevado e seria essencial que o programa pudesse assegurar o apoio aos jovens empresários ao nível da consultoria em matérias de gestão", explica.

Uma hipótese que está a ser estudada em paralelo com a segunda edição do Lispolis-Inovação. A partir de agora o programa deixa de contar com o financiamento europeu proveniente do Lisaction e por isso "estamos a reunir um conjunto de parceiros que permitam dar continuidade à iniciativa que já provou ser um importante parceiro no fomento ao empreendedorismo", frisa Júlio Dias.

Projectos vencedores

O PROCESSO foi longo, mas depois deu frutos. Depois de uma selecção rigorosa e de um processo de formação exigente, 16 empresas mereceram a distinção do programa Lispolis-Inovação. Com actividades centradas em áreas tão distintas como a saúde ou as tecnologias de informação, estes projectos empresariais enfrentam agora o desafio de consolidar as suas posições no mercado nacional. Alguns aspiram já à internacionalização. Eis os projectos que se distinguiram pela sua inovação e exequibilidade na primeira edição do Programa Lispolis Inovação:

CLICK-DOC, de José Luís Ferreira
MULTICERT, de Ricardo Barroso
GESTDOTCOM, de Jorge Freitas
LEMIS, de João Antunes Pinto
DATARROBA, de Paula Arrobas
e Manuel Mariano
TUR ISTEK, de Rita Gama
ENDE, de Vanessa Manjericão
e Pedro Fonseca
BIO-SOLUTIONS, de Sofia Côrte Real
UNI, de Susana da Luz
MEDICALTROP, de Pedro Nunes da Silva
CLARIVIDÊNCIA, de Pedro Oliveira
ADIS, de Cândido Lopes e José Jorge
MÓVEIS LAUREANO, de António Laureano
TOONET, de Luís Brites de Sousa
MHP Waste-Engineering, de José João Sousa
O AZEITEIRO, de José Brito Figueiredo





DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


AR ITALIANO

Experis Finance, Tax & Legal

CONTROLLER DE GESTÃO INDUSTRIAL

Spring Professional Portugal