Notícias

Inovação dirigida para animais de companhia

Inovação dirigida para animais de companhia

Apesar da crise há quem arrisque na criação de um negócio próprio. Foi o caso de Pedro Parreira, Cistina Ribeiro, João Ribeiro, Rui Oliveira e Rui Onça, cinco médicos veterinários que em outubro abriram as portas da Referência Veterinária, um centro médico veterinário dedicado a animais de companhia que visa dar resposta a casos complexos. Como os tempos que se vivem são difíceis, estes empreendedores apontam o profissionalismo, a diferenciação nos serviços prestados e a dedicação como alguns dos trunfos para se ser bem sucedido no mercado.
22.12.2011 | Por Maribela Freitas


  PARTILHAR



Ao longo dos anos de profissão estes cinco empreendedores foram estabelecendo contacto e cimentando relações. Há algum tempo resolveram juntar-se e criar a Referência Veterinária. Na prática este negócio funciona como um centro de excelência que reúne serviços e meios de diagnóstico exclusivo para animais de companhia - como por exemplo a ressonância magnética -, nas seguintes valências: neurologia, neurocirurgia, cardiologia, cirurgia cardiotorácica, ortopedia, cirurgia ortopédica, oftalmologia, cirurgia oftalmológica, dermatologia, oncologia e área de animais exóticos.

“Os casos que recebemos chegam-nos de outros veterinários” , frisa Pedro Parreira. Na prática este centro funciona como uma unidade multidisciplinar exclusivamente de referência veterinária, permitindo dar resposta a casos mais complexos. Não recebe consultas de rotina, apenas animais referenciados por outros veterinários, em urgência ou de segunda opinião nas especialidades ativas. As valências de cirurgia maxilo-facial, odontologia e o alargamento dos serviços de imagiologia, são áreas que em breve este centro vai também abarcar.

Antes do lançamento do centro os empreendedores avançaram com um plano de negócio. Conta Pedro Parreira que “juntamos as nossas referências de trabalho e à luz do que existe noutros países, consideramos que era possível criar este tipo de negócio” . O passo seguinte foi encontrar um espaço à altura do projeto, o que acabou por acontecer em Alcabideche, no conselho de Cascais. Para concretizar a ideia que tinham em mente, investiram mais de um milhão de euros, tendo recorrido a meios próprios e a empréstimos bancários.

Aumentar o leque de valências e a aposta na formação já no próximo ano, são as perspetivas de futuro da Referência Veterinária. Os empreendedores ambicionam abrir a área de cuidados intensivos e fisioterapia, assim que for possível. “Não procuramos o investimento a curto, mas sim no médio e longo prazo. Queremos colaborar com os centros veterinários, resolvendo os casos a que não conseguem dar resposta, devolvendo depois o animal à clínica” , frisa Pedro Parreira. Salienta que cerca de 95% dos clientes são veterinários que lhes encaminham os casos e uma franja mais pequena é de segunda opinião.

Profissionalismo, colaboração multidisciplinar e dedicação são na opinião de Pedro Parreira pontos-chave para se ser bem-sucedido na condução de um negócio. “Consideramos que só existe um caminho para a área do serviços em Portugal, ou seja, apresentar serviços diferenciados e com qualidade” , realça o empreendedor. Acrescenta que se deve apostar em áreas com potencial, rentáveis e acima de tudo ter os pés bem assentes na terra e acreditar que é possível levar uma ideia avante.

BI Empresarial

Promotores:
Cristina Ribeiro
João Ribeiro
Pedro Parreira
Rui Oliveira
Rui Onça
(Idades compreendidas entre os 30 e os 45 anos)

Área de atividade:
Unidade multidisciplinar exclusivamente de referência veterinária que serve de retaguarda para consultórios, clínicas e hospitais veterinários, permitindo dar resposta aos casos mais complexos.

Data de criação:
Outubro de 2011

Serviços:
Este centro reúne serviços e meios de diagnóstico exclusivo para animais de companhia, como por exemplo a ressonância magnética. Possui as valências de neurologia, neurocirurgia, cardiologia, cirurgia cardiotorácica, ortopedia, cirurgia ortopédica, oftalmologia, cirurgia oftalmológica, área de animais exóticos, oncologia e oftalmologia. A unidade não está aberta a consultas de rotina, mas apenas irá receber animais referenciados, em urgência ou de segunda opinião nas especialidades ativas.

Empregos criados:
Seis postos de trabalho e mais quatro colaboradores.

Investimento inicial:
Um milhão e 200 mil euros.

Principais clientes:
Consultórios, clínicas e hospitais veterinários.

Conselhos:
Coragem, pés bem assentes na terra, acreditar que é possível avançar com um negócio mesmo em tempos de crise, ser dedicado, profissional, fazer o que se gosta numa área com potencial.



OUTRAS NOTÍCIAS
APG forma gemólogos

APG forma gemólogos


O ambiente económico nacional é de grande austeridade, mas está a gerar no país um interesse crescente pela compra de joias e gemas preciosas, por quem possui ainda oportunidades reais de investimento...

Angola a caminho da qualificação

Angola a caminho da qualificação


O Fundo Monetário Internacional (FMI) já adiantou nas suas previsões para 2012 a perspetiva de que a economia angolana possa crescer na ordem dos 10,38%. Um valor que o próprio Governo encara com maio...

Portal forma para a energia

Portal forma para a energia


A Schneider Electric está a apostar cada vez mais na formação. Uma das suas mais recentes apostas nesta matéria foi a criação da Energy University. Uma plataforma de aprendizagem online gratuita, diri...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


ARQUITETO GRÂNDOLA

Michael Page Portugal

ASSISTANT STORE MANAGER BEJA

Michael Page Portugal

ASSISTANT STORE MANAGER PORTALEGRE

Michael Page Portugal