Notícias

Futurália divulga oportunidades

Futurália divulga oportunidades

A edição 2011 do Salão de Oferta Educativa, Formação e Empregabilidade – Futurália, abre as portas esta semana no recinto da FIL, no Parque das Nações, e com expectativas em muito superiores à última edição. Nos três dias do evento, a organização quer ter no recinto mais 70% de visitantes do que na última edição.
11.03.2011 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



Arranca a 16 de março e prolonga-se até 19. Durante três dias, todos os caminhos vão dar ao Parque das Nações, em Lisboa, onde a edição 2011 da Futurália tem palco montado. Para quem procura um rumo para o seu futuro ou simplesmente quer conhecer de perto as profissões do momento, as opções de qualificação disponíveis no mercado, os melhores programas de mobilidade e formação ao longo da vida, esta visita é obrigatória.

Em 2010, a Futurália contou com cerca de 63.838 visitantes, 32 mil alunos e 406 professores, representando 524 escolas de norte a sul do país. Números que Leopoldo Guimarães, presidente da Comissão Consultiva da Futurália, quer ultrapassar. Para o responsável, “um evento desta natureza é particularmente importante numa altura como esta de conjuntura económica adversa”. Razão pela qual o fio condutor escolhido para a edição 2011 é a Educação, “um setor estratégico e vital para o desenvolvimento do país”, acrescenta Leopoldo Guimarães.

Neste sentido, a Futurália mostra aos visitantes uma extensa variedade de opções e soluções para educar, treinar, aprender, orientar e qualificar, em contextos diferenciados e de acordo com necessidades específicas. Sob o lema “A vida é tua! Descobre o teu caminho” o evento convida os mais jovens a um percurso de descoberta consciente, no mundo de oportunidades que se colocam a quem tem de decidir um rumo de futuro.

A organização do evento voltou a apostar na interação dos visitantes com os expositores como forma de adquirir conhecimentos e práticas. Os visitantes terão oportunidade de explorar vários universos ao longo da extensa área de exposições que o certame ocupará. Desde a possibilidade de experimentar uma profissão, passando por testes á sua real vocação profissional, até ao acesso a um leque alargado de informação sobre programas de mobilidade internacional para quem quer estudar ou trabalhar no estrangeiro, passando pela oferta formativa e qualificativa, o programa é vasto.

Segundo Leopoldo Guimarães, “as razões que determinam a organização de um evento desta natureza, já apontado como um acontecimento de referência na área da educação/ formação e orientação educativa, surgem norteadas por questões chave que envolvem os protagonistas deste evento: o que procuram os jovens das mais diversas idades em matéria de formação e emprego? O que esperam os empregadores da formação escolar e complementar dos possíveis candidatos a emprego e o que é realmente importante para o progresso e sustentabilidade da sociedade atual, em termos de educação e formação, mas também em termos de valores e ética?”.

A edição deste ano foi pensada para dar resposta a estas questões e oferecer caminhos à jornada de vida dos públicos mais jovens. Nesse sentido, “foram estruturados diferentes conteúdos, opções e soluções possíveis para ser mais fácil apreender as flutuações sociológicas, as variáveis da economia e a instabilidade do emprego, que vão impregnar as micro e macro sociedades onde os jovens vão projetar o seu futuro”, enfatiza o presidente da Comissão Consultiva. Segundo Leopoldo Guimarães, “o mundo está em mudança e o que hoje temos como certo amanhã não o é.

Torna-se por isso fundamental preparar os nossos jovens para uma aposta continua na mobilidade nacional e internacional, na assunção do risco e na qualificação ao longo da vida como ferramentas de trabalho quotidianas”, explica. Na essência, refere, “é fundamental uma aposta na educação para triunfar no mercado de trabalho e trilhar um caminho profissional de sucesso”.

Leopoldo Guimarães não tem dúvidas de que “uma boa decisão, na altura certa do percurso de vida de cada um dos jovens, aliada ao aconselhamento de quem o pode e deve oferecer, contitui muitas vezes o elemento essencial para uma existência bem sucedida”. O responsável acredita que “esse é precisamente o papel da Futurália”.

Longe de se direcionar apenas aos jovens, o evento é mais abrangente. Professores e famílias são públicos-alvo igualmente importantes, nesta que é a quarta edição do evento, organizado em parceria pela Associação Industrial Portuguesa - Câmara de Comércio e Indústria/ Feira Internacional de Lisboa e por diversos organismos e instituições ligados às áreas da educação, formação e juventude. Na edição deste ano, o programa é vasto e a visita pode ser previamente organizada com a consulta às páginas oficiais do evento em www.futuralia.fil.pt e www.avidaetuafuturalia.com. Workshops, seminários, conferências, testemunhos de experiência de vida e diversas atividades de demonstração, são alguns dos pontos de paragem obrigatórios destes evento (ver caixa) que contará com a participação de 450 empresas e organismos públicos e privados, escolhidos a dedo para esclarecerem os visitantes sofre ofertas formativas e oportunidades na área da formação e educação que lhes premitam trilhar o melhor caminho académico e profissional.

Universidades, Institutos e Escolas Superiores, Escolas Profissionais e Tecnológicas, Centros de Formação Públicos e Privados e outras instituições com oferta de Formação e Inserção na Vida Ativa, estarão dispersos pelos cerca de 20 mil metros quadrados que compõem o espaço da Futurália. Segundo a organização, a mobilidade internacional tem também um importante papel nesta edição do evento, merecendo destaque os programas de mobilidade, intercâmbio e cooperação, através da presença do PROALV que divulgará, entre outros, os programas Erasmus, Comelius, Leonardo da Vinci e Grundvig.

Um programa de peso que ganha particular realce perante um cenário de conjuntura adverso para o qual, refere Leopoldo Guimarães, “é urgente assumir uma atitude positiva”. Para o presidente da Comissão Consultiva - que integra outros noves de peso como Francisco Madelino (presidente do IEFP), Carlos de Brito (Presidente da Fundação da Juventude), Hans Müller (Administrador da ATEC - Academia de Formação) e António Câmara (Presidente da YDreams), entre outros - Portugal tem uma das gerações mais qualificadas de sempre, “é preciso prepará-la para aceitar a mudança, para buscar a constante atualização de conhecimentos e qualificações e para assumir o risco e um postura profissional empreendedora mesmo trabalhando conta de outrem, como uma realidade inerente ao mundo profissional atual”. Leopoldo Guimarães acredita que a Futurália vai acolher ainda mais visitantes do que na edição passada. A organização do evento estabeleceu como meta aumentar 70% o número de visitantes. O presidente da comissão consultiva diz que “90 mil já seria um bom número”.

Pontos de paragem obrigatória

Medialab: para os apaixonados da comunicação
Interatividade é a palavra chave deste espaço. No MediaLab, os amantes do mundo da comunicação e jornalismo, podem testar de perto os novos conceitos de comunicação. Este espaço é simultaneamente uma área de demonstração ao nível da formação e desenvolvimento de competências profissionais na área dos Media (televisão, web e rádio) e uma zona de sensibilização para a relação dos cidadãos com os órgãos de informação. Aqui, os jovens poderão participar na iniciativa “Repórter por 1 dia” que os levará, com o acompanhamento de uma equipa de profissionais, a realizar reportagens no recinto da Futurália, na FIL. Ou conhecer mais de perto o poder da entrevista participando no “Eu, entrevistador” que os desafia a realizar entrevistas a conhecidos jornalistas da nossa praça. Estes conteúdos, pertencentes ao universo FuturáliaTV, serão exibidos na RTP, no YouTube e Vimeo, em streaming nos sites Sapo, IPJ e RTP online, e ainda, no canal interno UP e nos diversos ecrãs espalhados pela FIL. Paralelamente, o certame possibilita ainda aos jovens conhecer e experimentar estar nos batidores de um programa televisivo. No recinto do evento será simulado o backstage das gravações do programa Sociedade Civil, emitido pela RTP2. Atividades aliciantes para quem tem por meta um percurso profissional associado ao universo da comunicação e fazem deste um ponto de paragem obrigatório durante os três dias do evento.

Colóquios, seminários e debates
O programa de atividades da Futurália 2011 é vasto e contempla, por exemplo o colóquio “Potencialidades Pedagógicas das Tecnologias de Informação e Comunicação”, agendado para 19 de março, às 9h30. Um dia antes, o tema em análise será “Empreender com tecnologias de aprendizagem”, desenvolvido em parceria com a TecMinho, com recurso ao eLearning. Tudo o que convém saber sobre empregabilidade e mobilidade está também aqui, com várias sessões de esclarecimento e partilhas de experiência. A experiência é, de resto, particularmente valorizada nesta edição da Futurália que integrou no programa deste ano uma zona destinada à partilha de testemunhos de vida. São pessoas iguais a todos nós que um dia tiveram indecisões e que decidiram partilhar a sua experiência de formação e aprendizagem. E para os que ainda têm dúvidas sobre a sua real vocação, é obrigatório parar na zona reservada à vocação profissional. No recinto da Futurália estarão também figuras públicas de várias áreas que partilharão o seu dia a dia mostrando o quotidiano de diversos universos profissionais.

LanParty e atividades de lazer
A Futurália terá reservado no recinto da exposição, uma zona lounge destinada ao universo do lazer e da tecnologia. A Lan Party coloca ao dispor dos visitantes o melhor do universo dos videojogos. São 30 consolas (Xbox 360; wii e PS3), simuladores, pistas de carros digitais e computadores que servirão de palco a vários torneios: Torneio PES 2011, Torneio GT5 e Torneio Tekken 6. Paralelamente, nos diversos stands decorrem outras atividades como o “Retrato de Turma” onde é possível realizar fotografias em grupo gratuitamente. E porque no dia 19 a Futurália é dedicada às famílias, há um espaço dedicado aos que visitam a feira e querem saber como se constrói um álbum de família. A cultura é também fio condutor de todo o evento e, por isso, a organização tem também prevista a realização de um teatro interativo em inglês. Com a ajuda do público presente no certame, o espetáculo vai crescendo e envolver os participantes numa hilariante experiência, em inglês. E a organização garante: “mesmo que estejas em guerra com a língua do país de sua magestade, não te preocupes. A peça está pensada para todos os níveis de inglês e o objetivo é derrubar as barreiras pela via da diversão”.



OUTRAS NOTÍCIAS
Cidade do talento cativa jovens

Cidade do talento cativa jovens


Ajudar os jovens a tomar as melhores decisões para o seu futuro profissional é grande missão desta cidade virtual onde as empresas se reúnem para estar mais perto dos candi...

À descoberta do mundo

À descoberta do mundo


O programa Erasmus comemora 25 anos em 2012 e até à data já participaram nesta iniciativa mais de 50 mil portugueses. Durante três a 12 meses os estudantes podem ter uma exp...

Saber escolher para vencer

Saber escolher para vencer


Com a “geração à rasca” na ordem do dia, a Futurália vai abrir as suas portas na próxima semana para dar a conhecer centenas de opções de carreira e de...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


ACCOUNT MANAGER - INCENTIVOS À I&D

Michael Page Portugal

ACCOUNTANT BANKING SECTOR-PSA BANK

Spring Professional Portugal

ASSISTANT ACCOUNTING CONTROLLER

Spring Professional Portugal