Notícias

Ecoeficiência: o negócio da poupança energética

Ecoeficiência: o negócio da poupança energética

Rui Brito é um dos três rostos que dão forma á Ecoinside, uma empresa que ajuda os consumidores a otimizar a sua gestão energética.
01.07.2011 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



Em 2006, um grupo de três jovens em fase final de licenciatura decidiu que o seu futuro não passaria por trabalhar por conta de outrem Determinados, empreendedores e com uma visão do mundo empresarial assente nos princípios da sustentabilidade, Rui Brito, Joaquim Guedes e António Cunha Pereira, deram forma à ECOINSIDE - Soluções em ecoeficiência e sustentabilidade. Investiram cerca de 100 mil euros na criação de uma empresa que hoje assegura trabalho a uma equipa de oito pessoas, é já uma referência no mercado nacional na sua área de intervenção e está pronta para a expansão. Tem como core business a prestação de serviços de ecoeficiência e foi pensada para ajudar os seus clientes a minimizar as suas faturas e o consumo energético. A ideia nasceu no final da licenciatura, mas só ganhou forma quando um dos promotores decidiu ir mais além e integrou a turma do Iº Curso de Empreendedorismo da Universidade do Porto. “Queríamos atuar numa área ambiental que fosse inovadora mas que ao mesmo tempo possibilitasse gerar negócio e, simultaneamente, contribuísse ativamente para uma revolução no panorama do tecido empresarial nacional, quer de mentalidades, quer de estratégias e competitividade, contribuindo também para acabar com o mito de que as questões ambientais representam custos, quando são oportunidades de investimento”, explica Rui Brito. Desbravar caminho e hastear a bandeira da ECOINSIDE não foi uma tarefa propriamente fácil para a jovem equipa de empreendedores que desde cedo teve de ultrapassar os difíceis entraves da burocracia e do financiamento. A empresa não recorreu a nenhum tipo de financiamento e, confessa Rui Brito, “não foi por falta de tentativas”. Segundo o empreendedor, “a equipa tentou, na altura, diversas possibilidades de financiamento e até recorreu a business angels e capitais de risco, mas as condições existentes implicavam a perda da nossa ideia ou deixarmos de ter capacidade autónoma sobre a mesma e isso para nós nunca foi uma possibilidade”, revela acrescentando que “ao nível de apoios existentes há muito pouco para quem quer começar que não implique logo hipotecar a sua ideia”. Com financiamentos próprios a ECOINSIDE avançou e foi crescendo, chegando mesmo a sagrar-se vencedora dos prémios Green BIZ, da Associação Nacional de Jovens Empresários, na categoria de Green Biz e Green Energy. Hoje tem como clientes todo um universo empresarial na área do comércio e serviços e garante que as suas soluções permitem reduções de 25 a 30% nas faturas de energia. BI EMPRESARIAL: Promotores: Rui Miguel Brito, 35 anos Joaquim Guedes, 30 anos António Cunha Pereira, 33 anos Formação: Os mentores da ECOINSIDE têm formação nas áreas da Biologia e da Química e possuem Mestrado em Química Ambiental. Início de atividade: Janeiro de 2006. Área de atividade: A empresa tem o seu core business na prestação de serviços em ecoeficiência e sustentabilidade, que permite uma redução efetiva das facturas energéticas, de consumo hídrico, redução de emissões e resíduos e valorização de oportunidades. Outra das áreas de atuação é a conservação da biodiversidade. E neste âmbito a empresa desenvolve projetos de requalificação ambiental, conservação de espécies, turismo de natureza e ecoturismo, eventos pedagógicos de biodiversidade, publicações sobre o património natural, entre diversos outros projetos onde a temática é o ambiente a biodiversidade. Investimento inicial: “O investimento na criação da empresa compreendeu, na altura, o valor para o capital social mínimo que foi depois aumentado totalizando aproximadamente 100 mil euros”, revela Rui Brito. Número de empregos criados: O projeto ECOINSIDE emprega atualmente oito pessoas e tem sete estagiários.


OUTRAS NOTÍCIAS
Estudar no estrangeiro abre portas

Estudar no estrangeiro abre portas


Segundo números do organismo americano Education USA no ano letivo de 2009/10 existiam 1015 estudantes portugueses neste país. Um número que cresceu 4,2% em relação a período homólogo. Ciente do inter...

Liderança para jovens angolanos em Portugal

Liderança para jovens angolanos em Portugal


O Banco BIC e PwC vão lançar, em parceria, uma Academia de Liderança para jovens angolanos que residam e estudem em Portugal. A iniciativa surge sustentada pelo aumento significativo do investimento n...

57% dos jovens querem uma experiência internacional

57% dos jovens querem uma experiência internacional


Relação direta ou não, a realidade, é que os portugueses têm uma histórica tendência de emigração. Os dados são claros e espelham uma tendência que há muito é notória nos bancos das universidades: ...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


Advogado

Anónimo

Advogado

Anónimo

asesor económico/comercial

Embajada en Lisboa