Notícias

Desafio Ousar estimula empreendedorismo nacional

Desafio Ousar estimula empreendedorismo nacional

Está de volta o Desafio Ousar com a sua segunda edição e vai apoiar a criação de dez novas empresas. Quem quiser criar o seu negócio pode submeter a sua ideia a este concurso até 16 de dezembro. Pedro Almeida e Natália Rego são um exemplo de que arriscar compensa. Em 2009 participaram na primeira edição desta iniciativa e viram os seus projetos singrar. Explicam na primeira pessoa como é que um concurso como este contribui realmente para dinamizar o empreendedorismo nacional.
28.10.2011 | Por Maribela Freitas


  PARTILHAR



O apoio ao empreendedorismo e à inovação é o objetivo principal do Desafio Ousar que está de volta este ano e vai apoiar a criação de novos negócios. As melhores ideias serão apoiadas com prémios pecuniários, consultoria e assistência técnica, incubação, mentoring e ajuda na procura de financiamento. Podem concorrer jovens de forma individual ou em equipa, com idades entre os 18 e 35 anos da zona norte e centro do país. Promovido pela AIMinho – Associação Empresarial, a primeira edição deste concurso decorreu entre 2009 e 2010 e teve 236 candidaturas, das quais resultaram 20 novas empresas e 40 postos de trabalho. A ANR – Applied Neurobehavioural Research e a Atelier Atelier resultaram deste desafio. “Concorremos ao Ousar no sentido de perceber se a ideia que tínhamos fazia sentido aos olhos das associações empresariais ou se era descabida”, conta Pedro Almeida que em conjunto com Bruno Ribeiro, Pedro Chaves e Francisco Marques Teixeira criaram a ANR que atua na área de estudos de mercado e investigação em neurociência cognitiva aplicada. Explica que o Ousar constitui um processo muito fácil e desburocratizado de formalizar e estruturar ideias. “Muitas vezes a participação formal num evento deste género dá o ‘push’ aos promotores para passarem à ação e se envolverem a sério nos seus projetos”, acrescenta Pedro Almeida. Há um ano que os empreendedores estão a preparar devidamente a estrutura e a amadurecer a ANR, cuja atividade vão iniciar em novembro com a prestação de serviços no domínio clínico. No âmbito deste concurso, tiveram acesso a apoio na execução do plano de negócios e aconselhamento jurídico. Para além dos apoios a que formalmente tiveram direito, sentiram-se bastante acompanhados por parte da AIMinho que facilitou o contacto com business angels e outras empresas. A visibilidade que a participação no Ousar deu aos empreendedores foi também fundamental para algumas das parcerias que estabeleceram. A quem quer avançar com a criação de um negócio próprio Pedro Almeida aconselha a “se têm uma boa ideia, formalizarem-na e colocarem-na no mercado para perceber qual o feedback e agir de acordo”. Tal como a ANR, também a Atelier Atelier que se dedica ao design, decoração e remodelação de interiores, criada por Natália Rego e Teresa Araújo, resultou do Desafio Ousar. “Ajudou-nos a planificar a nossa estratégia, a organizar ideias e a termos uma melhor perceção dos nossos pontos forte e fracos, para conseguirmos gerir essa informação de uma forma cuidada e pensada”, refere Natália Rego. Acrescenta que o aconselhamento que têm tido é muito importante, pois os negócios são paradigmas e processos evolutivos. Na perspetiva de Natália Rego “ser empreendedor em Portugal é muito difícil, principalmente em tempo de crise, pelo que o apoio de programas como o Desafio Ousar é fundamental. Não que torne as coisas fáceis, mas de facto atenua muitas barreiras”. O grande problema da maioria das empresas é o crescimento das mesmas de uma forma desorganizada e desestruturada. Para Natália Rego, desafios como estes ajudam os novos empresários a criarem empresas com bases bastante sólidas e por isso com maiores probabilidades de singrarem numa altura em que tanto se fala de crise. O facto de termos desenvolvido um plano de negócios com a ajuda do desafio ousar ajudou a consolidar os pontos fortes da Atelier Atelier que já está no mercado há quase um ano. A quem quer criar a sua empresa Natália Rego aconselha a ser organizado e a ponderar todas as decisões a tomar. “É importante conhecer os nossos concorrentes, saber em que mercado estamos a entrar e como fazê-lo”, finaliza a empreendedora. No Desafio Ousar são consideradas ideias de negócio de qualquer setor de atividade, sendo a área das tecnologias de informação, da comunicação e da eletrónica; biotecnologia, saúde e bem-estar; energia e indústrias criativas as preferenciais. A candidatura é realizada integralmente online em www.ousar.pt. Esta segunda edição vai contar uma novidade: o clube de mentores que com a sua experiência, conhecimento e rede de contactos irão ser mentores das ideias vencedoras.


OUTRAS NOTÍCIAS
Redicom: uma história de sucesso nas TIC

Redicom: uma história de sucesso nas TIC


Este foi o ponto de partida para Ricardo Moreira e Serafim Costa quando deixaram para trás os empregos que tinham e associaram o ‘know-how' do Ricardo em administração e contabili...

Autarquias dinamizam emprego e investem no empreendedorismo

Autarquias dinamizam emprego e investem no empreendedorismo


A Organização Internacional do Trabalho revelou recentemente os dados do seu estudo “Tendências Globais de Emprego para os Jovens” que não trouxe resultados animadores. O relatório argumenta que têm s...

Médicos recusam ajustes salariais e ameaçam deixar o SNS

Médicos recusam ajustes salariais e ameaçam deixar o SNS


O descontentamento já não se esconde e centenas de médicos especialistas com Contrato Individual de Trabalho (CIT) estão prontos para rescindir já em janeiro os seus vínculos com o Serviço Nacional de...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


1 estagiário

INPI Instituto Nacional da Propriedade Industrial

COLABORADORES

ERA BELÉM/RESTELO - ERA ALCÂNTARA/AJUDA

COLABORADORES

RE/MAX MAJESTIC