Notícias

Como marcar a diferença no mercado laboral

Está a começar um novo ano e para muitos esta data significa lançar-se no mercado de trabalho. Para se valorizar e marcar a diferença perante a concorrência há que estar nas redes sociais, apostar na formação e desenvolver o espírito empreendedor.
20.12.2012 | Por Maribela Freitas


  PARTILHAR



Encontrar um posto de trabalho não é tarefa fácil. A concorrência é grande e é preciso marcar a diferença para ser atrativo aos olhos do futuro empregador. Não desespere que este caminho não é tão difícil quanto parece. Basta seguir alguns conselhos que podem ser decisivos na tarefa de conseguir um emprego. Estar presente nas redes sociais é fundamental. “Os recém-licenciados atuais fazem parte da geração da informação e da tecnologia e por isso, as empresas já esperam e procuram estes jovens nas redes sociais”, explica Pedro Brito, managing partner da Jason Associates, empresa portuguesa de consultoria estratégica, especializada em gestão de talento. Cada vez mais empresas e consultores procuram potenciais talentos através destes formatos. Este conselho funciona não apenas para quem se está a lançar no mercado, mas também para quem está desempregado ou quer mudar de trabalho. Se a vida não lhe sorriu e perdeu o emprego ou não está contente com o que faz, não comece a disparar currículos para todos os lados. Pense no que quer para o futuro e só depois deve agir. Pedro Brito revela que construir e manter uma rede de contactos que conheçam o seu potencial e o possam recomendar é importante para conseguir novas oportunidades laborais. A diferenciação do candidato a um emprego passa também pelo seu curriculum e carta de apresentação que são o cartão-de-visita para o empregador. “Esperam-se candidaturas mais originais por parte da atual geração, mais assentes nos seus talentos e características diferenciadoras. Por isso é tão importante um curriculum ou candidatura marcante”, revela o managing partner da Jason Associates. Aconselha na altura de preparar o curriculum, pensar no impacto que quer criar, na mensagem que este transmite e depois de compreender que tipo de cultura e pessoa o irá analisar, pensar no seu formato. Este pode ir do mais tradicional até ao mais arrojado, de acordo com os casos. Na perspetiva de Pedro Brito “o mercado de trabalho continua a sofrer de forte turbulência e mudança. Um dos aspetos positivos é o facto das empresas estarem a voltar-se cada vez mais para o lado ‘soft’ do candidato, como as suas preferências, áreas fortes e talentos”. A aposta na formação é valorizada bem como a preocupação com o enriquecimento pessoal através da realização de atividades como: formação comportamental, prática de desporto, a vivência de uma experiência internacional, experiências artísticas e voluntariado. Como as empresas não se podem dar ao luxo de errar na altura de selecionar um candidato, Pedro Brito aconselha a ser honesto, sincero e transparente numa situação de entrevista. Esta é a melhor forma de se valorizar e diferenciar. Acrescenta ainda que “as empresas valorizam a atitude certa, nomeadamente uma atitude proativa e humilde, vontade de aprender e curiosidade. Aliar a tudo isso confiança, positivismo e capacidade de fazer acontecer, é a fórmula de sucesso em momentos como este e no futuro”. Numa sociedade como a atual o managing partner da Jason Associates acredita que empreendedor é a profissão do futuro. Mais do que uma necessidade o empreendedorismo é cada vez mais visto como uma escolha profissional. “As empresas valorizam mais e mais profissionais que tiveram coragem de arriscar, empreender e compreender a diferença de gerir recursos versus gerir a falta deles”, finaliza Pedro Brito.


OUTRAS NOTÍCIAS
Compal forma empreendedores agrícolas

Compal forma empreendedores agrícolas


A Compal vai apoiar os jovens empreendedores agrícolas que pretendam instalar-se, aumentar ou reconverter as suas explorações. Para isso, está a selecionar os primeiros empreendedores que integrarão a...

A Era da reconversão profissional

A Era da reconversão profissional


Portugal continua a falhar na ligação entre o que as empresas precisam e as competências que os profissionais têm para oferecer. Portugal não está a conseguir adequar o seu elevado número de desemp...

Ministério das Finanças recruta inspetores

Ministério das Finanças recruta inspetores


Está em marcha um programa de recrutamento de mil inspetores tributários para o Ministério das Finanças. As novas contratações inserem-se na meta definida pelo Governo de combate à evasão fiscal e têm...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


Advogado

Anónimo

Chemistry Teacher

St. Dominic’s International School

CYBERSECURITY ENGINEER

Michael Page Portugal