Notícias

Arriscar contra a crise

Arriscar contra a crise

Apesar dos tempos que se vivem ainda serem de crise, há quem não hesite em criar um negócio próprio. Pedro Seromenho é disso exemplo. No início do ano lançou em Braga a Paleta de Letras, uma editora vocacionada para o álbum ilustrado e livro infantojuvenil.
25.02.2011 | Por Maribela Freitas


  PARTILHAR



“A criação desta editora não é mera obra do acaso. Resultou naturalmente de um processo introspetivo, de uma vivência amadurecida no mundo editorial e livreiro e estava, por isso, destinada a acontecer”, conta Pedro Seromenho. Nos últimos anos e depois de um percurso profissional na área da economia, dedicou-se a escrever e ilustrar livros para várias editoras nacionais e estrangeiras. Foi durante a promoção das suas obras em escolas, bibliotecas e feiras do livro que surgiu a ideia de criar uma editora. “Apercebi-me da existência de muitos e jovens talentos e das dificuldades com que os mesmos se deparam até publicarem as suas criações. Além disso, detetei alguns hiatos de mercado que estavam por preencher”. Avançou assim com a constituição da Paleta de Letras, uma estrutura que quer apostar nos jovens escritores portugueses e da região Minho.

“O primeiro passo para a concretização do negócio foi encontrar as pessoas certas para a formação da equipa ideal, pois acredito que as pessoas fazem a diferença. Depois veio a criação do plano de negócios e do programa editorial anual”, explica Pedro Seromenho. Sara Rocha e Cristina Mouta são as colaboradoras que o empreendedor encontrou para levar o projeto a bom porto. “A Paleta de Letras resulta da combinação dos nossos gostos, preferências, perspetivas e da riqueza da diferença dos nossos talentos, percursos e personalidades”, refere. Com um investimento inicial de 40 mil euros, a expectativa é para faturar 80 mil euros este ano e 150 mil euros no próximo.

O início de atividade da editora foi celebrado com a primeira edição do livro «Porque é que os animais não conduzem?», ilustrado e escrito por Pedro Seromenho. A obra versa sobre a segurança rodoviária e a Paleta de Letras está agora a ultimar uma obra sobre reciclagem. “Os nossos projetos regem-se sempre pela mesma ideologia: livros que ensinam e que ao mesmo tempo divertem. Para nós o ato de ler deve ser um prazer”, salienta o empreendedor. Futuramente querem apoiar alguns prémios literários e estão a avançar com parcerias no mercado espanhol e brasileiro. A sua principal aposta são os novos valores, uma vez que a editora está bem ciente de que o seu sucesso depende da boa aceitação pelo público dos escritores que representa.

Nesta fase Pedro Seromenho sente-se realizado com a sua atividade profissional, tendo uma nova atitude para com a vida. O ambiente de trabalho na Paleta de Letras é de entreajuda e de identificação total com o projeto criado. O que facilita e muito a actividade diária. Paixão, criatividade, trabalho em equipa, parcerias, inovação, empenho e persistência fazem parte do léxico para o sucesso desta editora de Braga.


BI EMPRESARIAL

Nome: Pedro Seromenho
Idade: 36 anos
Cargo: Gestor financeiro e editorial
Sítio na internet: www.paletadeletras.pt
Formação:
Licenciado em economia pela Universidade do Algarve

Guru:
Ao nível da gestão empresarial Michael Porter é o nome que detém a admiração deste empreendedor. A explicação é simples. Em tempos realizou projetos de consultoria na área da cooperação, competitividade e desenvolvimento de clusters, áreas que interessam a Pedro Seromenho. No domínio da escrita, Sofia de Mello Breyner Andresen é alguém que faz parte do seu imaginário.

Conselhos:
Acreditar veementemente no projeto que se vai criar é uma das condições para se lançar na aventura de criar um negócio próprio. Qualquer empreendedor deve partilhar o seu sonho com as pessoas certas. Ou seja, deve sempre pensar em criar uma equipa que o ajude a concretizar o seu sonho. Não pode ser lírico ou narcisista ao ponto de pensar que vai conquistar o mundo sozinho.

Grandes desafios:
O mundo livreiro enfrenta desafios e apesar deste empreendedor não ser apologista de que o livro tradicional tem os dias contados, acredita que o caminho que este vai trilhar aponta para o digital. A ideia é marcar presença nessa área e diversificar a oferta. Pretende por isso incorporar tecnologia nos livros a editar para ser único no mercado. Inovar e internacionalizar a empresa são as metas futuras.



OUTRAS NOTÍCIAS
PME chumbam diversidade

PME chumbam diversidade


O poder da diversidade ainda não entrou na mentalidade dos dirigentes da grande maioria das Pequenas e Médias Empresas (PME's) nacionais. No rescaldo das celebrações do Dia...

Estratégias para conseguir o 'tal' emprego

Estratégias para conseguir o 'tal' emprego


Um ano após a publicação do decreto-lei que viabiliza a constituição de sociedades financeiras de microcrédito em Portugal, o saldo é positivo e ganha ...

Diplomados precários duplicam

Diplomados precários duplicam


A letra da canção dos Deolinda deu voz a uma geração que, sendo a mais qualificada de sempre no país, não conhece outra realidade no mercado de trabalho que n...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


1 estagiário

INPI Instituto Nacional da Propriedade Industrial

COLABORADORES

ERA BELÉM/RESTELO - ERA ALCÂNTARA/AJUDA

COLABORADORES

RE/MAX MAJESTIC