Notícias

Angola investe na recuperação de talentos

No último ano, milhares de portugueses rumaram a Angola em busca de uma oportunidade de carreira mais aliciante ou de uma alternativa ao desemprego nacional. O país não fecha as portas ao talento estrangeiro, mas o seu investimento para levar de volta a Angola os filhos da terra, que escolheram qualificar-se noutros países já está em marcha. Termina hoje no Palácio da Bolsa, no Porto, a I Feira de Emprego e Angolanização da Economia, cuja missão é recrutar em Portugal angolanos altamente qualificados para regressar ao país e dinamizar a economia local.
15.11.2012 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



Angola já não quer empresários de passagem, mas sim dos chegam para ficar”. A afirmação é do ministro conselheiro para a área comercial da Embaixada de Angola, António Albuquerque, e aplica-se também aos recursos humanos. Foi com a meta de captar e fixar em Angola investimento e estrangeiro mas, sobretudo, os talentos naturais do território que o Consulado geral de Angola no Porto e a Associação Comercial do Porto organizaram, em conjunto com várias empresas, a primeira Feira de Emprego e Angolanização da Economia. O evento arrancou na terça-feira e termina hoje dando a inúmeros profissionais angolanos a residir ou estudar em Portugal hipóteses aliciantes de emprego. Angola tem carências profissionais em várias áreas, mas está decidida a colmatá-las, sem ficar presa à volatilidade da emigração. O país quer captar novos talentos para as suas empresas mas mais do que isso quer fixá-los no território. Há cinco dias que o Palácio da Bolsa está a ser palco desta missão de recrutamento que conta com empresas como o Grupo Casais, a Telhabel, 7 Cunhas/Tintas Europa, entre outros. Empresas que há muito perceberam o potencial angolano enquanto rota de internacionalização. Engenheiros de várias especialidades, informáticos, especialistas em tecnologias de informação e consultores financeiros são os públicos-alvo deste evento de recrutamento que conta com a participação de cerca de 30 empresas angolanas ou portuguesas com posições em Angola. O target espelha aquilo que vem sendo também o investimento nacional no país. Com efeito, são cada vez mais as construtoras nacionais que apostam em Angola como forma de expansão natural, mas também para escapar à estagnação que está a atingir o sector em Portugal. O grupo Casais é um exemplo deste investimento, tal o são a Mota-Engil, a Somague, a Teixeira Duarte ou a Soares da Costa. Qualquer uma destas empresas conta já com inúmeras obras a decorrer em Angola. Mas também no sector da banca, dinâmica é palavra de ordem. Este é de resto o sector de maior crescimento no território e é crescente o número de instituições bancárias a olhar para o mercado como uma expansão natural. O Montepio, por exemplo, já definiu os seus objetivos para 2013: abrir 40 novos balcões em Angola. António Tomás Correia, presidente do conselho de administração do Montepio, veio a público referir que a estratégia internacional da instituição passa por crescer no mercado angolano e tornar-se um banco de retalho e de apoio ao tecido empresarial, através da marca Finibanco Angola. Investimentos que o cônsul geral de Angola no Porto, Bento Morgado, aplaude defendendo que “é fundamental que as empresas portuguesas com presença em Angola deem formação e contratem angolanos”. O cônsul geral salienta que estas contratações podem diminuir os custos elevados que as empresas portuguesas têm com a mão-de-obra expatriada.


OUTRAS NOTÍCIAS

"A retração económica pode abrir portas a projetos inovadores"


A edição 2012 da Feira do Empreendedor realiza-se num momento de particular adversidade no contexto nacional, onde se sucedem notícias de insolvências e despedimentos. É um desafio acrescido hastear a...

“2013 será um ano de forte reforço da equipa”

“2013 será um ano de forte reforço da equipa”


A nova diretora, que tem também consolidado um percurso enquanto docente universitária, tem metas ambiciosas para os 470 colaboradores da empresa (280 em Portugal). Até porque “2013 será um ano de for...

Integração de sucesso para portadores de deficiência

Integração de sucesso para portadores de deficiência


Ser proativo, tomar a iniciativa, ter pensamento positivo, valorizar-se e apostar na formação são palavras-chave sempre que a meta é conseguir emprego. As qualificações contam, mas a atitude é determi...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


ADMINISTRATIVO CONTROLO DE CRÉDITO

Experis Finance, Tax & Legal

ASSISTENTE FINANCEIRO

Experis Finance, Tax & Legal