Notícias

AKI recruta nova geração de líderes

AKI recruta nova geração de líderes

O grupo de bricolage AKI anunciou recentemente um investimento de €100 milhões de euros na expansão da sua rede nacional de lojas até 2020. A empresa já se prepara para dar resposta a este crescimento com o reforço das suas estruturas de liderança. Sandra Barranquinho, diretora de Recursos Humanos do grupo AKI, está a identificar 30 novos talentos para integrarem a próxima Academia de Trainees da empresa que visa formar os gestores e líderes de equipa do futuro. Em paralelo, estão previstas 600 novas contratações em cinco anos para dar resposta às necessidades das novas unidades.

24.06.2016 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



A presença do grupo AKI em Portugal está a crescer. A empresa de distribuição de bricolage anunciou em março deste ano que investiria €100 milhões para duplicar o seu parque de lojas em solo nacional, passando das atuais 32 para 64 unidades. Um esforço de crescimento que implicará não só novas contratações, mas também uma aposta forte na formação de lideranças futuras. Um plano que a empresa já colocou em marcha. O AKI lançou no ano passado a Academia de Trainees AKI, cujo objetivo é formar chefes de departamento para a empresa que possam no futuro liderar equipas. O programa de formação intensivo on-job tem duração de um ano e visa a integração dos melhores talentos na empresa. A segunda edição começa a aceitar candidatos a partir de segunda-feira e até 9 de outubro. Há 30 vagas disponíveis para jovens até aos 28 anos, “com paixão pelo negócio do retalho e empreendedores, independentemente da sua área de formação”, explica Sandra Barranquinho, diretora de Recursos Humanos (RH) do AKI.

Os primeiros 27 trainees da Academia de Trainees AKI estão em fase de conclusão da sua formação de um ano na empresa. Cerca de metade permanecerão nas estruturas do grupo de bricolage, consolidando um plano de progressão profissional que os deverá conduzir do trabalho em loja - considerado por Sandra Barranquinho como “essencial para quem quer conhecer o negócio, reforçar competências de gestão no terreno e fazer carreira na empresa - a funções de gestão na área de serviços internos do AKI.Os 30 candidatos que venham a ser selecionados para a segunda edição da Academia de Trainees AKI que arranca em janeiro de 2017, terão um percurso semelhante.
O processo de seleção dos trainees é demorado e cirúrgico. A diretora de RH reconhece-o, mas adianta que “só assim faz sentido”. Depois de encerrado o período de candidaturas, em outubro, a empresa realiza uma primeira triagem dos candidatos com base em entrevistas telefónicas. “Cerca de um terço dos candidatos entrevistados passa à fase de assessment e os que a empresa identifique como interessantes serão convocados para entrevista final”, explica a diretora acrescentando que o objetivo da empresa é “atrair jovens que tenham como projeto de vida conhecer uma empresa como esta e o sector do retalho”.

A meta dos 600
O mesmo princípio orientará a contratação dos 600 profissionais que a empresa estima necessitar para fazer face ao processo de expansão da empresa em cinco anos. A maioria das contratações terá como objetivo o preenchimento de vagas nas equipas de vendas e gestão de loja, mas o foco e os critérios de recrutamento têm uma base comum em todas as áreas do grupo. “Procuramos 'pessoas de pessoas', ou seja, perfis orientados para o bem estar das equipas e para colaborar com o outro, seja esse outro um colega ou o cliente, com capacidade para se adaptar a uma cultura informal e muito prática, focada em fazer acontecer e intelectualmente competentes. Por outras palavras, capazes de resolver de forma ágil problemas complexos”, explica a Sandra Barranquinho.

?Na última edição, candidataram-se à Academia de Trainees AKI 927 jovens de áreas tão diversas como o Direito, o Marketing, os Recursos Humanos, a Economia, a Gestão e até as Ciências Criminais. Número semelhante é esperado para a segunda edição. O objetivo da academia é “responder à necessidade do plano de expansão do AKI em Portugal” e “identificar, atrair, desenvolver e reter jovens talentos que tenham um conjunto de competências funcionais, transversais e sobretudo humanas críticas para o negócio”, explica a diretora de RH.?Ao longo de 12 meses os trainees que venham a ser selecionados beneficiarão de um total de 1896 horas de formação, repartidas por formação teórica em sala, formação prática em loja e em contexto de trabalhos de grupo. O programa passará por cinco módulos formativos distintos com vista a estimular os conceitos de Proximidade, Negócios, Pessoas, Progresso e Comunidades. Cada trainee trabalhará com um mentor que lhe garantirá um acompanhamento personalizado.Os trainees que mais destaquem ao longo do processo integrarão a empresa.



OUTRAS NOTÍCIAS
Randstad quer contratar 180 para contact centre a Norte

Randstad quer contratar 180 para contact centre a Norte


A multinacional de recursos humanos Randstad vai instalar em Viana do Castelo um contact centre. O novo centro de atendimento da empresa assegurá o atendimento em língua francesa no &aci...

Onde estão os cursos com desemprego zero?

Onde estão os cursos com desemprego zero?


Entre o ano letivo de 2010/11 e o de 2013/14, a Universidade Católica Portuguesa formou 80 mestres em Teologia. Segundo as contas da Direção-geral de Ensino Superior (DGES), est&a...

É aqui que a Europa tem empregos disponíveis

É aqui que a Europa tem empregos disponíveis


Na Europa dos 28, a taxa de empregos disponíveis nos primeiros quatro meses de 2016 foi de 1,8%, segundo os dados esta semana divulgados pelo organismo de estatística europeu, Eurostat. ...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


Advogado

Anónimo

Advogado

Anónimo

asesor económico/comercial

Embajada en Lisboa