Notícias

A progressão como estratégia de retenção

A progressão como estratégia de retenção

Há 23 anos que a C&A Modas é o seu mundo. O atual diretor ibérico de Vendas, Domingos Esteves, cresceu como gestor da empresa de modas onde já desempenhou múltiplos cargos a nível nacional e internacional. Além da liderança de toda a área operacional de vendas em Portugal e Espanha, dele também depende enquanto responsável máximo da marca em solo nacional, a última palavra na decisão de contratar um novo profissional para a sua equipa.

20.02.2015 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



Cuidadosa e surpreendente. É desta forma que Domingos Esteves, selling director da C&A Modas Ibéria define a equipa de 701 profissionais que integram a marca em Portugal. A empresa que este ano foi considerada uma das melhores para trabalhar no ranking anual da revista Exame segue uma política de recursos humanos onde a retenção de talento encontra os seus pilares numa política estruturada de formação continua e desenvolvimento de carreira dos seus profissionais – de que o percurso de Domingos Esteves na empresa é também exemplo - e num leque de benefícios aliciantes dentro do que é a prática no sector.

Mais de 11.600 horas de formação anuais em áreas tão diversas como a liderança, vendas, atendimento em gabinetes de prova ou visual merchandising, fazem parte da rotina dos mais de 700 profissionais da C&A Modas. A aposta é para Domingos Esteves muito fácil de explicar: “investir na formação das nossas equipas é o grande desafio da C&A Modas para que se sintam orgulhosos do seu trabalho e também para que possam ter uma vertente comercial forte”. O selling director enfatiza ainda que “é necessário que o cliente sinta que somos diferentes, no sentido positivo, pela força e profissionalismo das nossas equipas” e realça o investimento continuo na formação como ponte para este objetivo numa equipa onde 70% dos profissionais têm qualificação ao nível do ensino secundário.

Nos últimos anos, a marca registou um crescimento significativo no seu número de colaboradores, fruto da necessidade de novas contratações gerada por períodos específicos de aumento de vendas. Um reforço que deverá este ano voltar a acontecer, maioritariamente na área das vendas, ainda que Domingos Esteves não avance para já uma previsão concreta de contratações, preferindo referir que estas dependerão sempre da evolução do negócio. Tanto mais que a aposta na retenção e na progressão interna dos seus colaboradores é um dos focos da política de recursos humanos seguida pela C&A.  

E são vários os benefícios oferecidos aos profissionais para fomentar a sua motivação e o seu espírito de pertença à marca. Além do desconto de 20% nas lojas a que qualquer profissional tem acesso, a empresa assegura aos seus profissionais subsídios por casamento e nascimento de filhos, apoio financeiro para a frequência de estudos universitários, apoios em caso de mobilidade profissional decorrente das necessidades da empresa e outros benefícios. Entrar nesta equipa implica ultrapassar com sucesso um processo de recrutamento exigente, com várias etapas onde, explica o diretor, se privilegiam competências como “a atitude de serviço ao cliente, a capacidade de comunicação, o forte sentido comercial”, mas também a facilidade de interação com o público, o dinamismo, a vontade de aprender e o alinhamento com os valores e a cultura da empresa. Uma cultura que valoriza, o desenvolvimento pessoal, garante Domingos Esteves.

Domingos Esteves
45 anos
Diretor de Selling da C&A Modas para Portugal e Espanha (com responsabilidade pela validação de contratações)

Formação:
É licenciado em Gestão de Empresas

Percurso:
Iniciou a carreira há 23 anos como trainee da C&A Modas em Espanha. Passou posteriormente para a área de gestão, assegurando o cargo de gerente em várias lojas da marca em Portugal. Em 2005 foi nomeado diretor regional da marca e quatro anos mais tarde aceitou o desafio de se tornar diretor de lojas na China, cargo que exerceu até 2012. Nesse ano regressou a Portugal para assumir a direção de lojas que em 2013 passou a exercer a nível ibérico.

Maior desafio profissional:
“Cada desafio que tive foi sempre grande, mas talvez a direção de equipas na China tenha sido aquele que me levou mais tempo e exigiu mais esforço, dado que se trata de uma cultura completamente diferente da nossa”, relembra.

Prioridades de contratação:
Área de Vendas.

Estratégia de retenção de talento:
“Formação continua adaptada e focalizada nas funções de cada um, valorização profissional e possibilidades de crescimento profissional”.

Competências mais valorizadas:
Atitude de serviço ao cliente, capacidade de comunicação, forte sentido comercial e capacidade para argumentar as razões da sua adequação à função.



OUTRAS NOTÍCIAS
Checkup: com que frequência avalia a sua carreira?

Checkup: com que frequência avalia a sua carreira?


A definição pode parecer redundante mas a diferença entre estar empregado e ser empregável é muito maior do que a uma primeira análise pode parecer. Mais do q...

Information Security reforça oferta do Grupo Rumos

Information Security reforça oferta do Grupo Rumos


A Escola de Estudos Avançados (EdEA) do grupo Rumos vai iniciar no nínicio do próximo mês um novo curso de pós-graduação em Information Security. O curs...

4500 vagas nas Melhores para Trabalhar

4500 vagas nas Melhores para Trabalhar


Planos de carreira aliciantes, uma aposta constante e bem estrturada na formação dos seus profissionais, salários e benefícios extra-salariais acima da média do merc...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


ADMINISTRATIVO RH C/FRANCÊS - LISBOA

Kelly Services Portugal

ATUÁRIO

Grupo Egor

AUDITOR

Grupo Egor