Notícias

'Respirar' boas ideias

01.02.2003


  PARTILHAR





Cátia Mateus

"SÃO jovens, têm espírito de iniciativa e vontade de contribuir para a construção de um país mais "respirável". Há três anos, Fernando Santos, Hugo Vieira e João Santos delinearam um projecto para a criação de uma empresa centrada na prestação de serviços ambientais.


A persistência e a convicção de que se tratava de um projecto com futuro foram determinantes para a criação do negócio.

E nem mesmo a dificuldade em obter financiamentos para "jovens" empresas que ainda paira em Portugal, foi suficiente para travar o sonho dos três empreendedores de Aveiro. A Enarpur nasceu em 2001 e é já um sucesso.

Há quem nasça com vocação para criar, inovar, com espírito para concretizar ideias, com "garra" para empreender. E, quando assim é, não há como fugir. Que o digam Fernando Santos, Hugo Vieira e João Santos, os três jovens empresários de Aveiro, criadores da Enarpur. Com idades compreendidas entre os 27 e os 29 anos e formação académica na áreas da Engenharia do Ambiente e Química Industrial, os jovens cedo souberam que o seu futuro passaria pelo empresariado. Em 2000, surgiu a ideia de criarem a sua própria empresa, mas apenas um ano mais tarde o projecto passou da teoria à prática e ganhou forma.

Deixaram os seus empregos para se dedicar por inteiro à Enarpur que começava a dar os primeiros passos. E se é verdade o lema de que "quem não insiste não existe", bem pode dizer-se que esta equipa de empreendedores sub-30 é um exemplo de persistência.

É que numa batalha contra o financiamento inicial, o "elo mais fraco" é regra geral o empreendedor. Vencer num campo de adversidade exige, antes de mais, estratégia. A partir daí, é acreditar. Foi o que fizeram. Não tinham dúvidas de que a ideia tinha potencial e por isso apresentaram uma candidatura a um subsídio do III Quadro Comunitário (SIPIE) para minimizar o problema do investimento.

A candidatura foi aprovada, mas as primeiras dificuldades não demoraram muito a surgir. "Apesar da aprovação, a entrada do capital do SIPIE ainda não aconteceu e tivemos de encontrar outra solução", explicam os empreendedores.

Conscientes da dificuldade que é para as "empresas jovens" aceder ao crédito bancário, os três empresários aplicaram os seus capitais próprios, recorreram a amigos e familiares na fase inicial do projecto. "Alguns meses depois do início de actividade, conseguimos finalmente um crédito bancário", explicam.

Ao todo investiram 200 mil euros que, garantem, "estão perto de ser recuperados". Neste negócio, Fernando Santos, Hugo Vieira e João Santos têm outros parceiros. Para os empreendedores "um cliente quer soluções globais. Por isso, procurámos para áreas afins aos serviços que prestamos, os parceiros que consideramos mais adequados, tendo em conta a sua valia técnica".

Ambiente: um negócio com futuro

Actualmente a Enarpur presta serviços na área do ambiente, nomeadamente ao nível da "caracterização de emissões gasosas, avaliação da qualidade do ar, medição de níveis de ruído e estudos de eficiência energética". Como principais clientes, a empresa tem as autarquias e o sector industrial (em diversos ramos de actividade).

Para Fernando Santos, não há dúvidas de que "esta é uma área com algum potencial de crescimento, não só por via do rigor legislativo que tende a crescer, mas também pela cada vez maior influência que os aspectos ambiental/higiene e segurança no trabalho assumem na produtividade e competitividade das empresas". Talvez por isso, os empreendedores não hesitem em afirmar que a Enarpur está numa fase de franco crescimento e "é já uma referência num sector onde a concorrência tem seis anos de actividade".

Para este ano, os jovens empresários prevêem um crescimento da facturação de cerca de 100%, quando comparado com o ano anterior. A criação de novas parcerias não está fora de questão. Segundo Fernando Santos, "poderemos, eventualmente, encontrar novos parceiros e avançar para outros nichos de mercado dentro das áreas da poluição atmosférica e ruído".

Um projecto de sucesso que a persistência ajudou a vencer. Mas ainda assim, para os três empreendedores há que minimizar os riscos. Para a equipa da Enarpur, antes de "mergulhar" em qualquer negócio há que "fazer muitas contas, ouvir conselhos, conhecer o mercado e jamais desperdiçar capital em aquisições não essenciais".







DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


ACCOUNTANT BANKING SECTOR-PSA BANK

Spring Professional Portugal

ARCHITECT / PROJECT MANAGER

Michael Page Portugal

ASSISTANT ACCOUNTING CONTROLLER

Spring Professional Portugal