Notícias

Aquabiking já cativa portugueses

Aquabiking já cativa portugueses

Um enfermeiro, um empresário e um reformado bancário formam a equipa de ouro responsável pela implantação em Portugal da marca Biklas D’ Água.

13.06.2013 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR
LinkedIn Twitter Facebook Google+



Desafiando o mais negro cenário da crise e da austeridade, os três empreendedores investiram 150 mil euros na abertura do primeiro centro de waterbike no Porto. Reconhecem que a austeridade em que vive mergulhado o país aconselhava à prudência, mas enfatizam que os momentos de adversidade são focos de oportunidade. Acreditaram na ideia e arriscaram. Em apenas seis meses de funcionamento já perspetivam novas aberturas. Até ao final do ano, o conceito chegará a Lisboa, Faro, Coimbra e Braga.

Na cabeça de Rui Teixeira (o empresário), Vítor Machado (o enfermeiro) e António Lopes (o reformado bancário), o conceito não poderia ser mais simples e genial: colocar o aquabiking - até aqui utilizado na reabilitação médica em ambiente hospitalar - ao dispor do público em geral, acrescentando-lhe novas funcionalidades ao nível da saúde e do bem-estar. Certos do potencial da sua ideia e da adesão dos portugueses ao projeto, trouxeram para Portugal uma marca que em França já soma mais de cinquenta centros, com elevado grau de sucesso.

Segundo os empresários, os benefícios do aquabiking ao nível da melhoria do sistema cardiovascular estão mais do que reconhecidos, mas a prática tem também potencialidades ao nível do combate à celulite, drenagem linfática, cromoterapia e outras. Na sua estratégia de implantação em Portugal, a equipa da Waterbike - Biklas D’ Água apostou em três áreas de negócio: criação de centros próprios, franchising da marca e comercialização do equipamento.

“O conceito Waterbike assenta num sistema inteligente de cabines individuais, onde é possível pedalar sem esforço (protegendo as articulações) ”, explica Rui Teixeira. O sistema, “utiliza fases luminosas (cromoterapia) com tons suaves, propícios ao relaxamento, e a produção de ozono na água, juntamente com os jatos de hidromassagem, permitem efetuar o micro peeling da pele”, acrescenta Vítor Machado. Os equipamentos Waterbike permitem também trabalhar o reforço muscular, diminuir a retenção de líquidos e a sensação de pernas pesadas. Esculpir o corpo e afinar a silhueta queimando cerca de 500 calorias por cada sessão de 30 minutos, são aliciantes que convencem um público-alvo que, segundo António José Lopes não faz distinção entre homens e mulheres. “É benéfico para todos, independentemente da idade e benefícios que procura”, enfatiza.

O primeiro centro da marca surgiu em janeiro no Porto e até ao final do ano há mais quatro aberturas previstas, procurando marcar presença de norte a sul do país. Rui Teixeira, um dos sócios tinha já experiência na expansão do conceito uma vez que detém dois centros Waterbike em França. Ainda assim, a equipa não se livrou do principal entrave à chegada a Portugal: além de lidar com a crise, ultrapassar o excesso de burocracia, foi para a equipa o verdadeiro teste de resistência. Certos do potencial do seu projeto, realizaram uma cuidada prospeção de mercado e avaliação dos potenciais locais de implantação dos centros e avançaram.

Os 150 mil euros que investiram no lançamento da marca em solo nacional foram totalmente financiados por capitais próprios. O investimento ainda não foi recuperado, mas a equipa espera que tal possa acontecer até ao final do ano uma vez que a expansão do conceito está a merecer um balanço positivo. Em Portugal a Biklas D´Água deverá expandir-se através do modelo de franchising e a equipa está atenta a potenciais parceiros que possam surgir.

 BI EMPRESARIAL


Promotores:
Rui Teixeira, 36 anos
Vítor Machado, 38 anos
António Lopes, 52 anos

Data de arranque:
Janeiro de 2013

Área de atividade:
A Waterbike entrou em Portugal com a marca Biklas D’Água, Lda atuando no segmento da saúde e bem-estar.
Investimento inicial:
Cerca de 150 mil euros, totalmente financiados por capitais próprios.

Empregos criados:
A marca assegura emprego a 15 profissionais e está em expansão.

Público-alvo:
“Todos os que se preocupam e valorizam hábitos de vida saudável, que se preocupam com a beleza e a estética”, explicam os empreendedores.

Princípios de gestão:
Qualidade e excelência do serviço prestado.

Principais dificuldades:
“O sentimento quase generalizado de que a crise em que vivemos é profunda” foi a principal dificuldade sentida no arranque do projeto. Para a ultrapassar, a equipa realizou uma cuidada prospeção no mercado e selecionou cuidadosamente os locais de implantação dos centros.

Perspetivas futuras:
A marca Biklas D’Água perspetiva abrir ainda este ano novos centros em Coimbra, Braga, Lisboa e Faro. Neste processo de expansão, os três sócios não colocam de lado a diversificação da atividade para outras áreas, nem a entrada de novos parceiros para o negócio.

Método de expansão:
Franchising.

Sítio online:
www.waterbike.pt



OUTRAS NOTÍCIAS
O emprego pode estar no seu Iphone

O emprego pode estar no seu Iphone


Depois da internet e das redes sociais, são agora os smartphones e os tablets que estão a revolucionar os processos de recrutamento. Procurar um emprego é, nos dias que correm, um...

Inovação aberta chega ao ISEG

Inovação aberta chega ao ISEG


O Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG) inicia este mês a primeira edição um curso de Inovação Aberta. A formação tem duraç&atild...

Empresas querem consultores

Empresas querem consultores


Ainda que engenheiros e perfis mais tecnológicos figurem entre os profissionais com maior facilidade de encontrar colocação no mercado de trabalho nacional e internacional, em mai...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO




ÚLTIMOS EMPREGOS


ACCOUNTS PAYABLE ACCOUNTANT

Michael Page Portugal

ADVOGADO SÉNIOR

Spring Professional Portugal