Notícias

Um negócio bem 'penteado'

15.02.2003


  PARTILHAR





Cátia Mateus

O CONCEITO é inovador no país e contou com a determinação e espírito de iniciativa de quatro jovens empreendedores para passar da teoria à prática. Desde Novembro de 2002 que para as crianças lisboetas, cortar o cabelo é um acto muito mais divertido.


Tudo porque Elsa Casimiro, Elsa Pinheiro, Pedro Pinheiro e Pedro Antão deram forma à sua necessidade de empreender e criaram a Baetas & Companhia, um cabeleireiro infantil onde além do habitual corte de cabelo os clientes de "palmo e meio" encontram muitos outros serviços.

Embora recente, o negócio é já um sucesso e para os quatro empreendedores, "o próximo passo é a expansão do conceito". A dúvida é se a forma escolhida será, ou não, o "franchising".

Pode parecer estranho que uma economista, uma advogada, um engenheiro e um psicólogo encontrem num cabeleireiro infantil o negócio ideal. Mas a explicação é simples: quando a ideia é boa e exequível, o único caminho é seguir em frente. Foi o que fizeram.

Há cerca de um ano e meio Elsa e Pedro Pinheiro regressaram dos Estados Unidos onde tinham estado a estudar e traziam na "manga" uma ideia de negócio. "Este conceito estava já muito em voga lá. Reparámos que em Portugal não havia nada do género e pensámos: porque não arriscar?", explica Pedro Pinheiro. Ao casal juntaram-se mais dois amigos, Elsa Casimiro e Pedro Antão. Estava formada a equipa e a partir daí era criar o conceito de raiz (ver caixa). E o trabalho não foi pouco.

Sem qualquer modelo nacional que pudesse servir de referência aos quatro empreendedores, havia que começar do zero: delimitar os serviços a prestar, encontrar o espaço ideal, criar todo o aspecto de "design" inerente à marca - "já que este é um negócio feito à medida das crianças, sendo por isso necessário ter um design pensado para elas" - e recrutar uma equipa vocacionada para trabalhar com este público-alvo.

E a verdade é que este processo nada teve de simples. "Logo à partida tivemos de lidar com o facto de não termos nenhum modelo de referência para este negócio. Tudo o que fizéssemos tinha de ser pensado para ter um risco mínimo, já que não sabíamos como o mercado iria acolher o projecto", explica Pedro Pinheiro. Talvez por isso a delimitação dos serviços a prestar e a escolha do local onde o Baetas & Cª seria implantado tenham exigido uma atenção muito especial por parte da equipa.

"Realizámos várias simulações no sentido de delimitar quer os serviços, quer aquela que seria a melhor localização para o público-alvo que queremos atingir", explica Elsa Casimiro. A opção de um centro comercial foi posta de parte logo no início.

Os empreendedores chegaram rapidamente à conclusão que o Baetas & Cª só teria a ganhar ao optar por uma loja de rua, com estacionamento à porta, localizada numa zona residencial habitada por casais jovens. A zona das Laranjeiras, em Lisboa, foi o local escolhido. E uma vez ultrapassada a questão do espaço, havia que tratar da imagem e do "design" da loja. "Foi tudo projectado por nós - imagem, mobiliário, design -, já pensando na eventualidade do modelo de negócio avançar para uma replicação", explica Pedro Antão.

Na realidade, já perspectivando essa hipótese, os quatro sócios quiseram assegurar que as empresas fornecedoras do projecto tivessem capacidade de dar uma resposta célere caso o Baetas avance para a replicação.

Actualmente o Baetas & Cª emprega quatro pessoas, sendo que apenas um dos sócios - a Elsa Pinheiro - se dedica a este projecto a tempo inteiro, os restantes asseguram ainda outros empregos. Para os quatro empreendedores, a grande dificuldade na criação da empresa não foi tanto de ordem burocrática, mas sim no recrutamento do pessoal.

Pedro Antão afirma mesmo que "estivemos em risco de ter a loja pronta a abrir ao público, sem termos os profissionais necessários para assegurar o trabalho". Segundo Elsa Casimiro, "o mercado de cabeleireiros é complicado e era uma realidade que não tínhamos qualquer formação na área que nos permitisse avaliar se o profissional a recrutar era competente ou não".

Mas o certo é que o Baetas & Cª superou todos os entraves e hoje é já um negócio de sucesso para o qual contribui o facto de ser "uma inovação para as crianças e contrariar a ideia intimidatória dos cabeleireiros para adultos". Ainda em fase de lançamento, o espaço tem vindo a crescer quer em termos de facturação quer em termos de visitas diárias.

Uma aceitação do mercado que torna mais provável a ideia dos quatro jovens empreendedores de avançarem para a replicação do conceito. Os empresários não hesitam em afirmar que na criação de uma empresa "é sentir que a ideia é vencedora e que o projecto tem pernas para andar. A partir dai, é rodear-se das pessoas certas e avançar".






O paraíso da diversão

DE "GAMEBOY" em punho e com o olhar irrequieto na Playstation logo ali ao lado, o João está estrategicamente posicionado para cortar o cabelo.

A tarefa, aparentemente complicada, parece correr sem grandes contratempos e envolta em grande animação. O segredo está no ambiente e na cumplicidade com a cabeleireira. E foi com base nestes dois elementos que o Baetas & Companhia foi projectado.

Logo à entrada os anfitriães do espaço, Maria Baeta e o João Baeta, acolhem os visitantes num lugar onde tudo está pensado ao pormenor. Aqui os clientes são crianças dos seis meses aos 15 anos e os serviços prestados foram pensados face às suas necessidades e anseios.

No espaço Baetas & Companhia, além de um bar repleto de guloseimas, há uma loja onde se podem comprar desde produtos ligados à beleza e higiene - champôs, acessórios, maquilhagem própria para crianças - até objectos próprios da marca Baetas.

Mas neste espaço existem ainda outras "maravilhas". São muitos os meios de diversão destinados a ambientar as crianças ao espaço, mas as consolas de jogos e as televisões sempre ligadas nos desenhos animados são, sem dúvida, os favoritos.

Neste espaço, o leque de serviços prestados é vasto. O Baetas & C.ª assegura - além do corte de cabelo, penteados, tranças, pinturas de fantasia, etc. - um serviço de "baby sitting" de curta duração (até três horas), a preparação e animação de festas de aniversário ou até cursos de bijutaria para crianças.

E para quem corta o cabelo pela primeira vez, há mesmo um "Certificado de 1º Corte" acompanhado de fotografia.







DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


BIM MANAGER

Michael Page Portugal

CONTABILISTA CERTIFICADO

Spring Professional Portugal

CONTABILISTA CERTIFICADO

Spring Professional Portugal