Notícias

Turismo forma para o Euro

26.03.2004


  PARTILHAR





Fernanda Pedro e Maribela Freitas

PORTUGAL tem inegavelmente um grande potencial em termos turísticos. Qualquer região do país pretende mostrar o que tem de melhor e, numa altura em que se esperam muitos turistas para o Euro-2004 (ver caixa), a oferta tem de contar com a qualidade dos seus produtos, serviços e recursos humanos. Nesse sentido, a formação daqueles que trabalham no turismo é hoje uma prioridade.


A funcionar desde 1965, o Instituto de Formação Turística (INFTUR) está sob a tutela da Secretaria de Estado do Turismo - Ministério da Economia - e assegura grande parte da formação nacional na área do turismo.

Segundo dados deste organismo, anualmente cerca de 1700 alunos frequentam as suas 11 escolas e núcleos em áreas como turismo, cozinha, restaurante/bar e alojamento hoteleiro. Proporciona ainda formação a cerca de seis mil profissionais no activo.

Nas suas escolas e núcleos, o INFTUR promove a formação inicial de jovens candidatos a um emprego no sector do turismo.

Ao nível da formação contínua tem uma oferta dirigida aos profissionais do sector organizada em três tipologias: qualificação profissional, aperfeiçoamento e especialização.

No que respeita à certificação profissional reconhece cursos de formação profissional para o turismo desenvolvidos por entidades públicas e privadas, e certifica a aptidão profissional para o exercício das actividades turísticas.

Francisco Vieira, presidente do conselho de administração do INFTUR explica que "até 2006 vamos abrir mais seis escolas e núcleos em zonas como, por exemplo, o Alentejo e Algarve". É que, apesar do bolo formativo que este instituo oferece, "continua a ser insuficiente em relação às necessidades do país", acrescenta o responsável.

Turismo ainda mais profissional

Com larga experiência sobre as necessidades do sector do turismo, Francisco Vieira explica que "o serviço de mesa e a cozinha são as áreas onde existe uma maior carência de profissionais".

Neste momento, a empregabilidade das escolas tuteladas pelo INFTUR é total e "não é possível satisfazer a procura de trabalhadores formados por nós", salienta Francisco Vieira.

O sector do turismo está em mudança e o responsável do INFTUR considera que vão surgir novas profissões nesta área, ligadas às novas tecnologias de informação, ao "marketing" e à animação de natureza e turismo activo.

Nesta medida, este organismo quer avançar até ao final de 2004 com novas áreas formativas que contemplem as oportunidades de trabalho que estão a nascer no sector. Mas para que a actividade turística seja cada vez mais valorizada, "a formação é imprescindível", afirma.

Mata Cáceres, presidente da Câmara Municipal de Portalegre, partilha dessa opinião e tem consciência da importância das competências dos agentes turísticos que trabalham na região.

Foi por essa razão que incentivou a criação de um pólo de formação nesta área bem no coração do centro urbano. Ao desenvolver um projecto cultural para a cidade, onde se integra a escola de turismo e hotelaria, a autarquia pretende, assim, melhorar a qualidade da oferta turística da região.

Com a assinatura do arquitecto Eduardo Souto Moura, o futuro pólo de formação em turismo, será, na opinião do autarca, "uma mais-valia para o concelho".

Mata Cáceres, refere ainda que estão em curso projectos na área do turismo e a necessidade de recorrer a mais profissionais deste sector está para breve. "Temos os produtos mas precisamos de mão-de-obra qualificada", explica o edil.

Também a Câmara Municipal de Vila Real de Santo António acabou de abrir um concurso público para a execução de um pólo da escola de hotelaria e turismo do Algarve.

Um projecto que irá custar cerca de 280 mil euros e que consta da adaptação da antiga escola básica Marquês de Pombal.

Para António Murta, presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, a escola irá colmatar a falta de profissionais do sector na região. "Esta também será uma forma de motivar os jovens a seguirem uma carreira no turismo em vez de enveredarem por outras profissões com poucas saídas no mercado", salienta o autarca.

Sendo o Algarve uma região de turismo por excelência, António Murta admite que a formação dos profissionais desta área é fundamental para o desenvolvimento do sector no concelho.

Formar para o Euro

Com a proximidade do Euro-2004, o Instituto de Formação Turística (INFTUR) desenvolveu um pacote específico de formação para esta ocasião.

São 34.650 horas de formação, orientadas para profissionais de informação turística e da hotelaria e restauração que estejam no activo.

Dez estádios do Euro-2004; iniciação ao fenómeno desportivo; futebol; informação turística Euro-2004; acolhimento a equipas desportivas; primeiro-socorros e combate a incêndios; alimentação para desportistas e higiene e segurança profissional, são algumas das áreas de formação.

No que respeita a idiomas, o INFTUR disponibiliza formação de iniciação em castelhano, inglês, francês e alemão.

Ao todo e neste bolo formativo estão incluídas 11 acções a desenvolver de Norte a Sul do país e que deverão ficar concluídas até ao final de Maio.





DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


Advogado

Anónimo

Advogado

Anónimo

asesor económico/comercial

Embajada en Lisboa