Notícias

Técnico aposta no Oriente

27.11.2008


  PARTILHAR



Maribela Freitas
O Instituto Superior Técnico (IST) está a apostar forte na sua relação com a China. Recentemente assinou um acordo de cooperação com o Beijing Institute of Technology (BIT) que visa o intercâmbio de estudantes e investigadores e a promoção de actividades conjuntas. Esta é mais uma parceria universitária firmada a Oriente.

“Vamos estar a trabalhar com o BIT a nível de doutoramentos”, explica Carlos Matos Ferreira, presidente do IST. A parceria vai começar já no próximo ano e a ideia é ter em Lisboa alunos chineses e mandar portugueses para o Oriente, para a realização de uma parte do trabalho de doutoramento. Apesar de estarem ainda a ser afinados alguns dos contornos da parceria, Carlos Matos Ferreira adianta que esta vai incidir sobretudo nas áreas das tecnologias de informação, biotecnologia e ambiente.

O BIT foi fundado em 1940 e tem cerca de 40 mil alunos em várias áreas da ciência e tecnologia, incluindo 19 mil estudantes envolvidos em programas de ensino à distância. Além desta instituição, o IST está em negociações com a Universidade de Tsinghua, também em Pequim, e recebeu uma delegação da Universidade de Zhejiang, em Hangzhou. Em 2007 tinha já firmado uma parceria com a Universidade de Macau para o intercâmbio de alunos. “Temos estado empenhados na internacionalização e as economias emergentes apresentam grandes necessidades a nível da formação. Existem alguns alunos chineses no IST e a ideia é também atrair talentos desta parte do mundo”, frisa Carlos Matos Ferreira.

No esforço de internacionalização, o IST já desenvolveu parcerias com inúmeras universidades distribuídas pela Europa, América do Norte, América Latina e China.





DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


AR ITALIANO

Experis Finance, Tax & Legal

CONTROLLER DE GESTÃO INDUSTRIAL

Spring Professional Portugal