Notícias

Talent City alarga-se aos profissionais séniores

Talent City alarga-se aos profissionais séniores

Depois de algumas ‘obras’ de remodelação, a cidade do talento está de volta. Renovada, de cara lavada, com novas metas e ambições, a The Talent City já não é só uma plataforma onde os jovens universitários têm um contacto próximo e privilegiado com os maiores recrutadores. Numa época em que o desemprego não escolhe idades nem perfis, a cidade de todos os talentos alargou o seu âmbito à gestão da carreira e posiciona-se também como uma montra de talentos mais séniores.
22.09.2011 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



Quando em fevereiro deste ano a Jason Associates lançou, em colaboração com a Seegno (o seu parceiro tecnológico), a The Talent City sabia que o projeto estava talhado para o sucesso, mas estava longe de prever que a ascensão seria tão rápida. Em sete meses, a cidade do talento, como já é informalmente conhecida, excedeu a fasquia dos 23 mil utilizadores regulares, alcançou cerca de 7.500 fãs no Facebook, seis milhões de views nas oportunidades das empresas e cerca de 10 mil candidaturas às oportunidades da Talent City. Como qualquer cidade que se preze, esta também evoluiu e apresenta-se agora renovada e com maior abrangência. A cidade do talento quer ser global, não estar apenas ligada ao público mais jovem, nem resumir-se a uma abordagem de sucesso centrada apenas na conquista de emprego. Esta é agora uma cidade com um público sem limite de idade ou perfil académico e profissional, para quem o sucesso reside também na arte de bem gerir a carreira. Nasceu há sete meses pelas mãos da Jason Associates, uma consultora especializada em conseguir mudanças comportamentais através das emoções e é hoje um projeto diferente. Para Pedro Brito, managing partner da Jason Associates, não há dúvidas de que a Talent City está ainda mais rica. A nova cidade o talento apresentou-se ao público esta quinta-feira, orientando-se para um conceito de social game. “A The Talent City surge agora direcionada para toda a comunidade de talento portuguesa, sem limite de idades ou perfil profissional ou académico, dentro ou fora do território nacional, e tenha como aspiração potenciar os seu talento e ser profissionalmente bem-sucedidos”, explica o partner, acrescentando ainda que “a nova versão desta cidade é também orientada para todas as empresas que queiram reforçar a sua marca no mercado do talento”. O princípio continua a ser o mesmo: os profissionais procuram orientação na tomada de decisão, acesso a informação sobre o mercado de trabalho e as empresas procuram desafios que os estimulem e exigem que esta comunicação funcione numa lógica de win-win e através de canais e formatos inovadores. Na Talent City estão posicionadas algumas das principais recrutadoras nacionais, que acompanham o projeto desde a fundação: EDP, Novabase, Tabaqueira, Portugal Telecom, Grupo Impresa e Unicer. Entre os parceiros estão também Accenture, Bacardi-Martini, Danon e Deutsche Bank. É daqui que saem as oportunidades divulgadas na plataforma e os novos desafios. E são vários. Segundo o seu porta-voz, “este social game tem várias novidades e será, em primeira instância, um espaço dedicado a toda a comunidade de talento, estejam em fase de pesquisa da sua primeira oportunidade profissional, em evolução na organização ou decididos a empreender”. Para potenciar esta dinâmica, a Talent City oferece um jogo social online onde são lançados desafios que ajudam os profissionais a aumentar as suas hipóteses de sucesso em cinco eixos que suportam a fórmula de sucesso da Jason: Skills & Knowledge, Talents & Powers, Side B of Life, Network & Influence e Fit to Succeed. Estes cinco eixos são trabalhados em forma de desafios. Ao nível do Skills & Knowledge, é trabalhado o desenvolvimento constante de competências e de conhecimento técnico, enquanto ao na vertente dos Talents & Powers , “o sucesso começa por tomar consciência das nossas verdadeiras forças e orientar a nossa vida para as aplicar e desenvolver”, explica Pedro Brito. O Side B of Life, levará os participantes a cultivar uma vida rica em relações e interesses fora do trabalho, tornando-os não só mais felizes, mas também mais bem sucedidos. Trata-se, garante o partner da Jason, de “levar as paixões a sério”. Por sua vez, a área de Network & Influence, treina a capacidade de colaborar e envolver os outros nos nossos objetivos e demonstra aos participantes o verdadeiro sentido da expressão “se queres chegar rápido vai sozinho, mas se queres chegar longe vai acompanhado”. Fit to Succeed, ajudará a ultrapassar os problemas de adaptação, lançando desafios que impliquem o contacto com outras culturas e ambientes. Segundo Pedro Brito, “os desafios propostos nesta cidade acontecerão de forma sistemática e contínua quer por parte da Talent City, quer lançados pelas empresas parceiras”. O responsável explica que este representa um dos aspetos mais inovadores desta evolução do conceito, já que muitos destes desafios implicam recompensas reais. Prémios que podem ser uma formação gratuita numa universidade reconhecida, a oportunidade de uma entrevista de emprego, sessões de coaching e acompanhamento profissional. “São desafios com um impacto real na vida dos jogadores (talentos) e no posicionamento das empresas como marca de referência junto da comunidade da cidade e do mercado em geral”, enfatiza Pedro Brito. Mas o valor deste projeto também depende dos “condóminos” desta cidade, ou por outra, das empresas nela representadas. “Existe um denominador comum nestas empresas: todas elas estão comprometidas de alguma forma com o objetivo de promoverem o sucesso da comunidade de talento, seja através da oferta de oportunidades, ou da partilha de conhecimento, do acesso á informação ou de oportunidades que promovam o aumento do network”, revela. Para 2012, a equipa da Talent City ambiciona alcançar os 150 mil habitantes, seis milhões de visualizações, 100 mil fãs no Facebook, internacionalizar e explorar outros mercados e chegar a mais de um milhão de pessoas.


OUTRAS NOTÍCIAS
Empresas nacionais apostam na formação em e-learning

Empresas nacionais apostam na formação em e-learning


Como se costuma dizer, tempo é dinheiro. Um curso ministrado em regime de e-learning permite que o trabalhador de uma empresa aprenda ao seu ritmo, escolha os conteúdos de que necessita e faça a sua f...

Como contratam as multinacionais

Como contratam as multinacionais


Para as empresas a caça aos melhores talentos das universidades portuguesas já se tornou uma prática corrente e com resultados altamente eficientes. As principais multinacionais presentes em Portugal ...

Oracle recruta 1700 novos colaboradores

Oracle recruta 1700 novos colaboradores


A Oracle anunciou esta semana que tem em marcha um ambicioso programa de recrutamento que visa captar para os quadros da empresa 1700 novos colaboradores. Os portugueses estão na mira da empresa tecno...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


Técnico Superior

Nova School of Business and Economics

.NET DEVELOPER

Kelly Services Portugal