Notícias

Profissões técnicas atraem mais jovens

31.10.2003


  PARTILHAR





Fernanda Pedro

Coimbra foi palco de uma mostra dos ofícios


NEM MESMO a chuva e o frio demoveram os jovens de observar "in loco" os diversos profissionais que demonstraram as suas actividades nos primeiros encontros Educação/Formação organizados pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) e pela Direcção Geral de Formação Vocacional, realizados em Coimbra.

SerPro foi o tema desta mostra formativa que levou até à cidade dos "estudantes" milhares de jovens e profissionais vindos de todo o país. Com o objectivo de os orientar para uma carreira, o certame teve a particularidade de mostrar como se trabalha com qualidade.

O evento conseguiu cativar os jovens que percorreram as ruas de Coimbra em busca de informações sobre as saídas profissionais existentes no mercado de trabalho português. O ponto de partida para a caminhada das profissões foi no Convento de S. Francisco, onde uma peça de teatro delineava um percurso profissional para jovens, realçando o factor formação.

Na Praça do Comércio, apresentaram-se os percursos possíveis na área dos serviços, cuidados de beleza, comércio, hotelaria e restauração. Teresa Ferreira, finalista do curso Restaurante/Bar da Escola de Turismo e Hotelaria de Coimbra dava as boas-vindas no espaço dedicado às diversas actividades desenvolvidas.

Com 21 anos de idade, Teresa está convicta que terá emprego garantido quando terminar o curso. A estudante aconselhava os jovens a verem de perto as várias oportunidades que poderiam "agarrar" se optassem por esta saída profissional.

Mais perto do salão de cabeleireiro, encontrava-se João Santos, aluno de um curso profissional de metalomecânica ministrado pelo IEF. Não estava à espera de um corte de cabelo, mas deambulava pela exposição.

Aos 19 anos de idade já traçou o seu percurso profissional, mas não fecha as portas a outras experiências laborais. João Santos adiantou que apesar de já ter escolhido uma carreira não quer dizer que no futuro não possa mudar de percurso e por isso "é sempre bom ver o que se faz por aí".

A próxima paragem foi a Praça da República onde se exibiam ateliês de formação na área da cerâmica, vidro, madeiras e jardinagem, cujo tema era "Aprender".

A curiosidade imperou nesta zona da exposição. Os jovens debatiam-se para conseguir um lugar perto dos artesãos, que calmamente faziam surgir das mãos vários objectos, quer de madeira, quer de cerâmica, quer de vidro.

A arte vidreira foi a que ganhou mais adeptos - hipnotizou os jovens, que não perdiam pitada de cada movimento criativo dos artesãos. Karina Saldanha, de 16 anos, veio expressamente de Vila Nova de Gaia para o evento. Não escapou ao fascínio do vidro, mas, para si, este não foi o único atractivo do certame.

"Este contacto directo com as profissões é muito enriquecedor para nós", explicou a jovem. Karina está a frequentar um curso profissional de técnica de serviços pessoais e à comunidade e espera ter trabalho no futuro.

Na realidade, são várias as artes e ofícios em Portugal que podem empregar muitos destes estudantes. Algumas estão mesmo em risco de extinção se os jovens não apostarem nelas. Idalina Ferreira, formadora na área da encadernação da CEARTE, explicou como esta arte pode funcionar como uma saída profissional rentável.

"Há falta de técnicos neste sector, e enquanto houver livros há trabalho", adiantou a formadora. Idalina referiu ainda a curiosidade que muitos destes jovens revelaram quando passaram pelo "stand". A maioria desconhecia o que era esta profissão: "Para eles, ser dourador não tinha qualquer significado, mas ao verem com os seus próprios olhos como se gravam os livros, foi uma descoberta".

Também Manuel Ribeiro, formador do curso de marcenaria, referiu como esta profissão está carente de profissionais qualificados. "Há mercado de trabalho para jovens marceneiros. Se hoje tivesse seis formandos disponíveis, eles teriam emprego garantido", explicou Manuel Ribeiro. Este responsável salienta que é crucial reconquistar os jovens para esta arte milenar.

No final do périplo por Coimbra em busca de informação sobre o mundo das profissões, chegou-se ao novíssimo Estádio Municipal de Futebol onde se encontrou os percursos formativos para as profissões do sector secundário.

Para Fernando Baptista, vice-presidente do IEFP, estas acções vieram informar o que se está a desenvolver em termos de formação. "Achamos que é importante apresentar às pessoas as saídas profissionais existentes, bem como a estabelecer um percurso para aqueles que ainda procuram um caminho profissional", referiu o responsável.

Do ser ao fazer, Coimbra apresentou de tudo um pouco. Resta aos jovens ponderarem nas suas escolhas e conseguirem alcançar no futuro uma carreira profissional de sucesso.

.





DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


ADMINISTRATIVO RH C/FRANCÊS - LISBOA

Kelly Services Portugal

ATUÁRIO

Grupo Egor

AUDITOR

Grupo Egor