Notícias

O triunfo da estratégia

29.08.2003


  PARTILHAR






Cátia Mateus e Fernanda Pedro

MESMO quando a palavra de ordem no país parece ser "crise", o momento pode ser de oportunidade para quem procura ingressar no mercado de trabalho.







Como vencer o desemprego



Mais do que consultar os classificados em busca de uma oferta à sua medida, o candidato tem de vencer pela estratégia e determinação.

Há que definir um "plano de ataque" à empregabilidade, voltar as costas ao espírito derrotista e mostrar ao mercado o seu valor profissional.

É verdade que em época de desaceleração económica alguns sectores de actividade restringem as suas contratações. Ao procurar emprego, o candidato não deverá ignorar tal realidade, mas deverá pensar que nem todas as empresas adoptam esta estratégia.

De acordo com o departamento de emprego do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), na globalidade do território continental a área de actividade que evidencia maior dinamismo no momento é a dos serviços por contraponto a outros sectores que indiciam alguma retracção como as indústrias têxtil e do calçado.

A esta lista de potenciais empregadores, Marcelino Pena Costa, administrador da Manpower Portuguesa e Carla Oliveira, assistente de qualidade e selecção da Adecco, acrescentam: a exportação, o sector automóvel, as tecnologias de ponta, os "call-centers", logística e distribuição. Sectores onde neste momento é mais fácil encontrar emprego, mas onde a estratégia não deve dissociar-se do processo de procura.

Segundo Marcelino Pena Costa, "a procura não pode ser o cumprir do calvário diário de ler os anúncios, enviar mais uma dezena de currículos policopiados. Enfim, cumprir a rotina do desalento e do insucesso".

Para o especialista, todos os meios de procura são bons, o que o candidato deve saber é "o que quer e como quer integrar o mercado de trabalho". Depois, tudo vale, desde a leitura das ofertas de emprego em jornais, à consulta das páginas da Internet das empresas onde pretendem ingressar.

Os centros de emprego também podem ser uma solução, "contudo, a sua oferta é normalmente reduzida", adianta Marcelino Pena Costa.

Porém, a postura do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) é de que "a melhor forma para um candidato a emprego conseguir obtê-lo é não se limitar à utilização de uma única estratégia mas recorrer-se de todas as que lhe possibilitem activamente encontrar colocação no mercado laboral".

Segundo o departamento de Emprego da instituição, "os períodos de crise constituem uma oportunidade para os que possuem melhores condições para abordar o mercado de trabalho conseguirem inserir-se profissionalmente, em detrimento dos que apresentam défices de empregabilidade".

Para o IEFP, hoje, quem procura um emprego tem de obedecer a um conjunto de requisitos diferentes dos que se exigiam há poucos anos.

Possuir sólidas competências profissionais, informar-se sobre o mercado de trabalho, equacionar diferentes oportunidades de inserção, quer em termos funcionais quer de modalidade de inserção, adoptar uma atitude pró-activa e positiva na procura de emprego são, segundo a instituição, condições essenciais para o sucesso na procura de emprego.

Também Marcelino Pena Costa garante que a procura de emprego deve ser uma acção estudada, planificada e baseada em informação.

"O cuidado consigo próprio é fundamental tanto ao nível da apresentação como das suas capacidades técnico-profissionais. Conhecer-se, saber os seus pontos fortes e fracos, vulnerabilidades,

A conquista de um emprego passa também por diversificar os meios e processos utilizados na sua pesquisa aspirações, mais valias, enfim, saber de si e como falar de si como profissional, como pessoa e como cidadão
", explica.

Carla Oliveira, reconhece que uma pessoa à procura de emprego deve recorrer às diversas fontes, não descurando uma inscrição numa agência de trabalho temporário.

Além disso, deve apostar nas tradicionais, como a consulta de recrutamento em jornais, a inscrição nos centros de emprego, "sites" e centros Univa.

"O candidato ao procurar emprego deve ter em atenção que tem de demonstrar as suas capacidades de trabalho e motivação, dinamismo e interesse de forma a valorizar-se, mas, o que nunca deve fazer é prestar falsas informações no currículo", explica a responsável.

Marcelino Pena Costa, reforça também que um dos erros considerado de palmatória num processo de recrutamento "é não saber o sector de actividade económica da empresa a que a pessoa se candidata, quais os produtos ou serviços que a empresa comercializa, as potencialidades do sector e como é considerada a empresa em relação aos seus competidores".

Este especialista assegura ainda que, não basta uma sólida formação profissional, é preciso demonstrar determinação e vontade para ganhar os desafios e as dificuldades que vão ser o duro quotidiano.

"Outra das vertentes fundamentais para o sucesso é querer aprender sempre, ter cuidados permanentes com a sua formação e reciclagem profissional e humildade quanto baste para aprender. Humildade mas não subserviência", remata.




Como vencer o desemprego

MESMO quando a conjuntura económica não é de feição, a tarefa de encontrar um emprego depende em grande escala do empenho do candidato.

Não chega ter vontade de trabalhar, é preciso determinação na procura de um emprego. Conheça os "trunfos" que podem contar a seu favor na altura de conquistar um lugar no mercado laboral

Determine um plano (flexível) de procura de emprego


Para encontrar um emprego é necessário saber promover o seu talento. Deverá ter em atenção que nada acontece de repente e que encontrar um trabalho poderá demorar o seu tempo. Mantenha-se determinado e não desista ao primeiro embate

Defina os seus objectivos

É importante saber que tipo de função procura, o que gosta de fazer, a área geográfica onde tem preferência em trabalhar. Mas lembre-se que numa época em que o emprego escasseia, os limites que se impuser poderão limitar as suas oportunidades no mercado. Não seja excessivamente rígido

Identifique o seu valor

É importante que identifique as suas mais-valias em termos profissionais, os seus pontos de interesse, qualidades, valores, necessidades e ambições. Em função da sua personalidade será mais fácil aferir o tipo de emprego que o satisfaz e aquele que não terá perfil para desempenhar

Organize-se!

Deverá organizar toda a documentação necessária à procura de emprego: currículo, cartas de recomendação, diplomas dos vários cursos que frequentou, cartas de resposta a anúncio e candidaturas espontâneas, etc

Seleccione as empresas-alvo da sua candidatura

Uma boa forma de facilitar a procura de emprego é analisar o mercado e seleccionar as empresas que considera serem potenciais contratadoras de profissionais com o seu perfil

Utilize os seus contactos

Lembre-se que muitas vezes as ofertas de emprego não são publicitadas. Além de se dar a conhecer, o círculo de contactos pessoal de um candidato pode facilitar-lhe o acesso a informações importantes na procura de emprego (vagas abertas, formas de recrutamento da empresa)

Prepare-se para a entrevista

Antes da entrevista deverá informar-se sobre a empresa em causa. Cuide da sua apresentação e entre pronto a negociar as condições da sua contratação, sem perder a humildade

Pondere a oferta que lhe foi feita


Depois da entrevista avalie as condições que lhe foram propostas. Caso aceite, informe a empresa e em caso de recusa, comunique a sua decisão e agradeça a oportunidade.





DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


ARQUITETO GRÂNDOLA

Michael Page Portugal

ASSISTANT STORE MANAGER BEJA

Michael Page Portugal

ASSISTANT STORE MANAGER PORTALEGRE

Michael Page Portugal