Notícias

Matemática em competição

05.11.2004


  PARTILHAR




Fernanda Pedro

PELA primeira vez em Portugal vai realizar-se um Campeonato Nacional de Jogos Matemáticos. No dia 26 de Novembro, o Pavilhão do Conhecimento no Parque das Nações vai receber jovens vindos de todo o país para uma competição em torno da matemática. Esta iniciativa pretende acima de tudo motivar os jovens para a formação nesta disciplina.


Os melhores participantes dos jogos poliédricos, amazonas, pontos e quadrados, hex, ouri e peões irão disputar quatro categorias correspondentes aos três ciclos do ensino básico e secundário. A iniciativa é organizada pela Associação de Professores de Matemática, Centro de Competência «Entre Mar e Serra», Centro de Matemática e Aplicações Fundamentais da Universidade de Lisboa, Pavilhão do Conhecimento — Ciência Viva e Sociedade Portuguesa de Matemática.

Para Jorge Nuno Silva, da comissão organizadora em representação do Centro de Matemática e Aplicações Fundamentais da Universidade de Lisboa, este campeonato é uma acção complementar ao currículo escolar. «Não se trata de mostrar a matemática como uma disciplina de números evidentes, mas sim na difusão do seu raciocínio lógico e abstracto», explica o responsável.

Para Luís Reis, também da comissão organizadora em representação da Associação de Professores de Matemática, este campeonato integra-se nos eventos realizados no âmbito dos anos temáticos de Matemática. Para 2004, o tema é dedicado à «Matemática em jogo».

Segundo Luís Reis, o campeonato tem como objectivo unir a vertente lúdica com a vertente de aprendizagem, ou seja «de conseguir ligar o abstracto à capacidade de raciocínio lógico». Para o responsável, a competição pretende também popularizar a matemática junto dos jovens. Numa altura em que se discute o insucesso escolar e o desinteresse desta disciplina, «estes jogos podem muito bem funcionar como uma motivação para a formação da matemática», salienta o professor.

Não tendo a competição uma vertente curricular, Luís Reis, refere contudo, que a iniciativa pode no futuro combater a imagem negativa da matemática. «O facto é que os jogos fazem parte da cultura dos povos e o raciocínio lógico e estratégico a eles inerente, podem perfeitamente motivar para a aprendizagem da matemática», esclarece. O sucesso para esta iniciativa está garantido. Para o comprovar estão as pré-inscrições de 203 de escolas e de 990 alunos.

 






DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


Arquiteto

Anónimo

Colaborador

Anónimo

Comercial / Diretor(a) Comercial

ERA BELÉM RESTELO & ERA ALCÂNTARA/AJUDA