Notícias

Licenciados com dois empregos aumentam 69% numa década

14.10.2022 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



Desde 2011 que a percentagem de trabalhadores com formação superior a acumular dois ou mais empregos não era tão alta em Portugal. No segundo trimestre deste ano, havia 240 mil pessoas com dois ou mais empregos. Desses, 153 mil (64%) eram profissionais qualificados, com formação superior, mostram os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) fornecidos ao Expresso. O número de licenciados com duplo emprego é, em termos absolutos, o mais alto de sempre e traduz um aumento de 69% ao longo dos últimos 11 anos.

Uma crise financeira, uma pandemia e uma nova crise, com cenário de recessão no horizonte da Europa, mudaram por completo o panorama do duplo emprego em Portugal. Nos últimos anos, não só o número de profissionais a acumular duas ou mais ocupações regressou a máximos de 2011 como o perfil dos trabalhadores mudou radicalmente. Segundo os cálculos realizados pelo Expresso, a EMPREGO partir dos números do INE, o perfil do trabalhador menos qualificado que se dividia por vários empregos, para garantir um rendimento que assegurasse a sua subsistência, já não espelha a realidade.

O peso dos trabalhadores menos qualificados (ao nível do terceiro ciclo), no total dos profissionais com duplo emprego, sofreu entre 2011 e junho deste ano uma redução de 72% (-94,5 mil trabalhadores). Apesar dos licenciados representarem mais de metade do total dos trabalhadores com dois ou mais empregos, foi entre os profissionais com o ensino secundário, ou pós-secundário, que o duplo emprego mais aumentou em 11 anos, passando de cerca de 29 mil trabalhadores para 51 mil, no final do segundo trimestre deste ano (+76%).  

Impacto do teletrabalho

Dois em cada três trabalhadores que, em junho deste ano, acumulavam pelo menos dois empregos tinham formação superior. Parte destes dados é fácil de explicar: o número de licenciados em Portugal (31,1%) era em 2021 muito superior ao de 2011 (14,7%). “O  aumento das qualificações, naturalmente, reflete-se nestes indicadores”, explica o economista Pedro Martins, ex-secretário de Estado do Emprego, e professor na NovaSBE, acrescentando, porém, que há outros fatores. Nomeadamente, o impacto no mercado de  trabalho que “favorece a acumulação de empregos”. O ex-secretário de Estado vinca que “muitos trabalhadores, por problemas económicos, tiveram necessidade de acumular dois ou mais empregos” e, ao mesmo tempo, o trabalho remoto também possibilitou “somar várias ocupações”.

Uma explicação que a análise sectorial dos dados parece corroborar. O duplo emprego recuou perto de 50% nos sectores de atividade presencial — agricultura, pescas, indústria, construção, energia e água — e cresceu nos serviços (15,3%). Em termos absolutos, no espaço de 11 anos, o sector dos serviços ganhou quase 600 mil novos trabalhadores. Em junho deste ano o sector — que inclui atividades comerciais, mas também serviços especializados de consultoria, tecnologias e outros — empregava 3585 mil pessoas, 209 mil acumulavam trabalhos. Em junho deste ano, a maioria dos trabalhadores com duplo emprego (123,4 mil) tinha mais de 45 anos. É o grupo com maior peso (51,3%) no universo dos que acumulam ocupações. 



OUTRAS NOTÍCIAS
“A escassez de talento qualificado é o maior desafio atual”

“A escassez de talento qualificado é o maior desafio atual”


No rescaldo da crise pandémica e com uma crise económica e energética global no horizonte, Alistair Cox, o presidente-executivo (CEO) da consultora de recrutam...

Que sectores estão a ‘roubar’ trabalhadores ao turismo?

Que sectores estão a ‘roubar’ trabalhadores ao turismo?


A forte recuperação do turismo — que espera ultrapassar este verão o patamar de 2019 — está a puxar pelo crescimento da economia&n...

Espanha - Telefónica fracassa na semana laboral de quatro dias

Espanha - Telefónica fracassa na semana laboral de quatro dias


A primeira experiência de implantação da semana laboral de quatro dias numa grande empresa espanhola resultou frustrada. Apenas 2% do quadro de efetivos da Telefónica respon...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS