Notícias

Japão quer captar talentos na Europa

Japão quer captar talentos na Europa

O Japão está longe de ser o país que recruta maior número de portugueses, talvez pela distância linguística. Mas esta é uma realidade que pode estar a mudar. Há cada vez mais profissionais portugueses rendidos à “aventura asiática” e somam-se os casos de empresas nipónicas que já estudam a viabilidade de investir em Portugal. Uma ligação que a União Europeia apadrinha com o programa de intercâmbio académico Vulcanus.
13.12.2012 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



O Japão está de portas abertas ao talento europeu e aos profissionais portugueses em particular. Depois do país ver confirmado o interesse das empresas nipónicas em investir em Portugal, criando em Lisboa uma cidade inteligente, é agora a vez de cativar os engenheiros e profissionais das ciências formados em Portugal, e noutros países da Europa, a rumar ao Japão para realizarem estágios de um ano em empresas locais. A União Europeia apoia a iniciativa com o programa Vulcanus que já está em fase de candidaturas. Quando o secretário de Estado do Empreendedorismo e Inovação, Carlos Oliveira, assinou na passada semana com a agência governamental japonesa para as Novas Energias, o contrato para o lançamento do concurso para a realização do estudo de viabilidade económica que antecede a criação em Lisboa de uma cidade inteligente, estava a dar mais um passo numa cooperação que há muito se perfila e que conta com a aprovação da Europa. Dificuldades linguísticas à parte, os recrutadores japoneses - líderes numa economia tecnológica madura e conhecida a nível mundial - reconhecem a competência técnica dos profissionais portugueses em áreas como as energias alternativas, sector onde o Japão tem estado a investir em força desde o desastre nuclear de Fukushima. Na verdade, o país está há muito aberto ao talento e cooperação de profissionais do velho continente, Portugal incluído. Em marcha está já a edição 2013 do Programa Vulcanus, direcionado a licenciados portugueses dos diversos ramos das engenharias e ciências que queiram aumentar a sua experiência profissional e cultural, estagiando em empresas japonesas pelo período de um ano. O Vulcanus resulta de uma parceria entre a Comissão europeia e o Ministério da Economia, Comércio e Indústria japonês, sendo financiado por ambas as instituições. A missão deste programa que incentiva o intercâmbio de talentos é, segundo a organização, “proporcionar estágios para estudantes universitários da União Europeia em empresas japonesas, levando-os a familiarizar-se com as tecnologias e as técnicas de gestão empregues na atividade empresarial do país”. Mas ao mesmo tempo, garantem, “o projeto ajuda a promover a imagem da Europa, a sua indústria e os seus produtos junto dos mercados asiáticos”. Uma possibilidade que representa para economias como a portuguesa, um enorme potencial. Candidaturas a decorrer O acesso a este programa está restrito a jovens com perfis de formação centrados nos vários ramos das engenharias e ciências, que poderão candidatar-se até 20 de janeiro. O Vulcanus tem início previsto para setembro de 2013 e prolonga-se até agosto do ano seguinte. Preferencialmente, os candidatos deverão ter já concluído a sua formação académica ou estar a frequentar o terceiro ano dos respetivos cursos. Além da experiência internacional única no currículo, uma incursão profissional na cultura nipónica ponde representar um importante trunfo curricular futuro, numa altura em que um currículo diferenciador é meio caminho para a empregabilidade. Segundo a organização do programa, a participação neste projeto possibilita, além de um contacto com a língua, “uma oportunidade de estar bem colocado no futuro, em termos de relacionamento com o meio empresarial japonês”. Concorrer ao programa implica antes de mais ser cidadão da União Europeia. Aos candidatos selecionados será assegurada uma bolsa de 1900.000 Yen (aproximadamente 18.800 euros) que cobre as despesas de deslocação para o Japão, já que o alojamento e o curso de quatro meses, necessário para um primeiro contacto, com o idioma são gratuitos, bem como a participação num seminário de formação de uma semana. As candidaturas podem ser formalizadas através do site oficial do programa em www.eujapan.com, local onde também é possível ter acesso às oportunidades existentes e ao regulamento do programa. Entre os critérios que selecionarão os candidatos a estes estágios de oito meses em empresas japonesas, estão a relevância do seu currículo académico, a motivação, a opinião dos professores e o perfeito domínio do inglês falado e escrito. Depois, é fundamental a predisposição para mergulhar na cultura nipónica e nos seus inúmeros detalhes e especificidades.


OUTRAS NOTÍCIAS
FNAC e AMI formam nas TIC

FNAC e AMI formam nas TIC


Está já em um novo curso de Iniciação às Tecnologias de Informação (TIC), realizado em parceria pela FNAC e os centros Porta Amiga da AMI ao abrigo do projeto “Infotecas FNAC/AMI contra a Infoexclusão...

Engenheiros mais internacionais

Engenheiros mais internacionais


Um estudo recente do Page Group revela que ser engenheiro ainda é garantia de emprego. Ou pelo menos de maiores oportunidades profissionais. Se há profissão que continua a registar procura em Portu...

Vista Alegre constrói fábrica para fornecer IKEA

Vista Alegre constrói fábrica para fornecer IKEA


O Grupo Vista Alegre, através da empresa Ria Stone, prepara-se para construir, em Ílhavo, uma fábrica de louça de mesa em grés, destinada a fornecer a multinacional sueca IKEA. O projeto prevê um inve...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS



ÚLTIMAS FORMAÇÕES


MMOG/LE V 5

RH OPCO Academia