Notícias

Falta trabalho na Beira Interior

07.01.2005


  PARTILHAR




O Interior/Rede Expresso

O NÚMERO de desempregados na área abrangida pelo Centro de Emprego da Covilhã (Covilhã, Belmonte, Fundão e Penamacor) deverá passar de 5.235 inscritos - registados em Agosto de 2004 -, para 5.457 desempregados, no final deste mês.


A previsão é do Observatório do Desenvolvimento Económico e Social (ODES), da Universidade da Beira Interior, liderado pelo professor Pires Manso, que estima, por outro lado, uma diminuição do número de desempregados na Guarda e Castelo Branco, entre Agosto de 2004 e o final deste mês.

Aquele responsável adianta que, este mês, será de esperar um decréscimo de 57 desempregados no Centro de Emprego da Guarda (de 2.491 para 2.434), enquanto o de Castelo Branco terá uma diminuição de 20,3% no número total de inscritos. Neste caso, prevê-se que o número de desempregados passe de 2.181 para 1.739, sendo assim a área geográfica da Beira Interior menos afectada pelo desemprego.

No entanto, o balanço global ao nível da região é claramente negativo pois, segundo o estudo do ODES, no final de Janeiro a Beira Interior deverá contar com 9.600 pessoas desempregadas. De acordo com o mesmo documento, os dados apresentados pelos vários centros de emprego da região levam a concluir que predominam os desempregados à procura de novo emprego.

As previsões para as áreas dos centros de emprego da Guarda e Castelo Branco são mais optimistas em relação à Covilhã que, de resto, «é a que apresenta o cenário menos positivo, onde os resultados apontam para aumentos de desemprego total, do número de desempregados com mais de 25 anos, do desemprego masculino e feminino e ainda do número de desempregados à procura de novo emprego», salienta Pires Manso.

O ODES prevê, porém, uma diminuição do número de desempregados com menos de 25 anos nos três centros de emprego analisados. Na Covilhã, o número de desempregados com esta característica deverá passar de 696 para 671, enquanto na Guarda se espera uma diminuição de 473 para 454. Para Castelo Branco, o decréscimo neste grupo etário deverá ser maior (menos 32), de 391 inscritos em Agosto para 359 em Janeiro de 2005.

Para a faixa etária compreendida entre os 25 e os 34 anos, a previsão aponta para uma diminuição do número de desempregados em Castelo Branco (de 557 para 513) e na Guarda (de 696 para 678), enquanto na Covilhã se perspectiva um aumento de 8 desempregados (de 1.112 para 1.120 desempregados). No grupo etário dos 35 aos 54 anos, apenas o Centro de Emprego de Castelo Branco vê a taxa a diminuir (de 753 para 713), enquanto se aponta para uma subida destes desempregados nos centros da Covilhã (2.249 para 2.376) e da Guarda (859 para 860). No entanto, e de acordo com as previsões do ODES, «é de esperar um aumento dos desempregados com 55 anos ou mais nos três Centros de Emprego», sendo que é na Covilhã que esse crescimento mais se fará sentir, passando de 1.178 para 1.216. Já Castelo Branco terá mais quatro pessoas com mais de 55 anos no desemprego (480 para 484), enquanto na Guarda haverá apenas mais duas pessoas (463 para 465).

O número de desempregados do sexo feminino continua a ser bastante superior em todos os Centros, em comparação com os homens. Mas até ao final deste mês, o número de desempregadas deverá aumentar apenas na Covilhã (3.087 para 3.155) e diminuir na Guarda (de 1.489 para 1.455) e em Castelo Branco (de 1.386 para 1.332). Quanto aos homens, o número de desempregados apenas aumentará nos centros de emprego da Covilhã (2.148 para 2.295) e da Guarda, com mais 115 inscritos (1.002 para 1.117). Castelo Branco é o único que regista uma diminuição, esperando-se que passe de 795 para 753 desempregados. Prevê-se ainda uma redução do número de desempregados à procura do primeiro emprego, sendo que a mais significativa se verificará no Centro de Emprego da Guarda (de 312 para 302), seguido da Covilhã (de 388 para 371) e de Castelo Branco (de 249 para 239). O estudo indica, por outro lado, uma subida do número de desempregados à procura de novo emprego na Covilhã (de 4.847 para 5.109) e uma diminuição em Castelo Branco (1.932 para 1.874) e na Guarda (2.179 para 2.169). De salientar ainda que o Centro de Emprego da Covilhã «foi o único que viu aumentar as inscrições entre Janeiro de 2003 e Agosto de 2004, enquanto os da Guarda e de Castelo Branco (sobretudo este último) registam uma diminuição do total de desempregados inscritos», conclui Pires Manso.





DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


CANDIDATURAS AO CARGO DE REITOR

UAlg – Universidade do Algarve

DIRETOR DE OBRA

Companhia das Obras

Responsável da Qualidade

GAC – Ingredientes & Produtos Alimentares, Lda.