Notícias

Empresas em movimento

Chamam-lhe ginástica laboral porque é praticada durante o horário de trabalho. São 15 minutos de exercícios, logo pela manhã, para os colaboradores da empresa. Todos ficam a ganhar.
16.11.2007


  PARTILHAR



Marisa Antunes
Existe há muito nos países mais desenvolvidos mas só agora a ginástica laboral chegou a Portugal. Alguns empresários já perceberam que investir numa pausa para que os seus trabalhadores pratiquem exercício físico pode trazer ganhos significativos na produtividade, motivação, redução de acidentes de trabalho e de absentismo, através da prevenção de doenças.

A empresa Prisma é uma das empresas formadoras nesta área através de acções direccionadas para técnicos em ginástica laboral. Partindo da constatação de que certas profissões, ou simplesmente os maus hábitos ou posturas decorrentes de uma jornada normal de trabalho podem provocar doenças dos sistemas muscular e nervoso, o instituto criou os denominados “programas de saúde do trabalhador” para implementar nas organizações.

Tendinites, problemas de coluna e de visão, enxaquecas, fibromialgias, problemas de circulação e um sem-número de outras maleitas podem ser minimizadas através da ginástica laboral. Como realça Jackeline Rangel, fisioterapeuta e consultora da Prisma, “esta prática promove a saúde e o empenho dos colaboradores, mas não só. Em simultâneo favorece também o relacionamento social e o trabalho em equipa”.

Para definir o programa de exercícios para um determinado grupo de trabalhadores, começa-se por fazer uma avaliação criteriosa do ambiente de trabalho e, idealmente, de cada colaborador em particular, respeitando a realidade da empresa, as condições disponíveis e a capacidade funcional de cada colaborador. “Depois pode ser dado início às acções de intervenção para a prevenção das lesões ocupacionais, diminuindo o stresse, controlando a ansiedade e actuando até nas alterações de humor geradas por insatisfação no ambiente de trabalho”, pormenoriza a especialista.

Assim, o período médio recomendado como opção terapêutica para diminuir o número de baixas do trabalho, é de 15 minutos, de exercícios de alongamento, exercícios respiratórios e fortalecimento dos músculos, mas sempre tendo em conta os sectores de actividade específicos.

Para praticar a ‘solo'

Se a sua empresa não está propriamente virada para investir em ginástica laboral, basta activar a sua força de vontade e disciplina para criar o seu próprio programa de exercícios, que poderá seguir de forma discreta, ao longo do dia de trabalho.

Lembre-se que o computador tornou-se a principal ferramenta de trabalho dos dias de hoje e quem passa o dia todo a teclar, corre o sério risco de ‘ganhar' uma tendinite. É, pois, fundamental fazer alongamentos nos membros superiores. Algo que poderá fazer sem sair do lugar. Assim, estique os braços na frente do corpo com os dedos entrelaçados e tente virar as mãos unidas para fora, alongando os antebraços. Depois, solte os pulsos, girando as mãos, e faça uma massagem em cada dedo, puxando e alongando para a frente e para trás. O exercício deve ser repetido 3 a 4 vezes ao dia. Para aliviar a vista cansada provocada pelo monitor, experimente focar objectos distantes do local onde se encontra.

Outra dica para quem usa o computador por tempo prolongado: quando vai à casa-de-banho pode sempre aproveitar para fazer alongamentos nas pernas e na coluna. Discretamente no WC, estique-se e baixe-se lentamente para tocar nos dedos dos pés. Repita três vezes. E, claro, há ainda o clássico das escadas: subi-las evita as varizes, estimula a circulação e ajuda a controlar o peso.





DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


ACCOUNT MANAGER | VISEU

Michael Page Portugal

ACCOUNTING QUALITY CONTROLLER

Spring Professional Portugal

ADMINISTRATIVO COMPLIANCE

Kelly Services Portugal