Notícias

Empregabilidade elevada no turismo

Empregabilidade elevada no turismo

64% dos alunos de turismo encontraram colocação menos de um mês depois de concluírem a sua formação.
12.05.2011 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



O setor do turismo afirmou-se nos últimos anos como uma das principais atividades exportadoras nacionais e um dos motores da economia nacional. Esta evolução foi sustentada por um investimento continuo na qualificação dos profissionais do turismo que agora começa a dar os seus frutos. Muito se tem falado do impacto da crise neste setor de atividade, mas a verdade é que são cada vez mais os jovens a sentir atração por uma carreira ligada ao turismo. E em matéria de empregabilidade, dependendo da área escolhida, a aposta pode não ser má. O último relatório da Inserção Profissional, realizado pelo Turismo de Portugal, a que o Expresso Emprego teve acesso em exclusivo revela que entre os alunos das 16 escolas que o Turismo de Portugal tem espalhadas pelo país, a taxa de empregabilidade é de 80%, sendo que 64% dos estudantes demorou menos de um mês a encontrar a ambicionada colocação no mercado.

O curso de Técnicas Avançadas de Cozinha é o que regista maiores oportunidades de carreira e também maior investimento na continuidade de estudos. A administradora do Turismo de Portugal, responsável pelo pelouro da formação, Sónia Abreu Sebastian confirma que “a taxa de empregabilidade dos alunos das escolas de hotelaria e turismo tem vindo a apresentar uma tendência crescente”. A responsável explica que “a taxa de empregabilidade dos alunos, seis meses depois da conclusão do curso, é hoje de 80%, mais 7% do que os níveis registados em 2008, sendo que 64% dos alunos encontrou emprego em menos de um mês e 26% ficaram a trabalhar nas unidades onde estagiaram”.

Estatísticas que para Sónia Sebastian têm uma repercução direta no interesse dos jovens pela área do turismo e pelas suas escolas, que têm vindo a registar cada vez maior procura. Entre os cursos mais procurados estão as Técnicas Avançadas de Cozinha, Operações Turísticas e Hoteleiras, Técnicas de Cozinha/ Pastelaria e Técnicas de Restauração e Bebidas. Formações que são também as que garantem maior empregabilidade.

Cerca de 60% destes jovens possuem contratos de trabalho a termo e a78% aufere mensalmente entre 476 e 1000 euros. Uma situação que segundo Sónia Sebastian “é comum a todos os segmentos de atividade onde estão inseridos: hotelaria (83%), Restauração (82%), Turismo (72,5%) e outros setores (50%)”.

A administradora do Turismo de Portugal reforça a crescente importância que os empresários do setor têm vindo a dar à qualificação dos seus recursos humanos e refere que “apesar da atual conjuntura económica, os empresários deste que é um setor estratégico para Portugal, têm cada vez maior consciência de que a qualificação profissional especializada aumenta a produtividade e garante a diferença do serviço, com impacto positivo nos resultados do negócio”.

Facto curioso é que dos 39% dos estudantes de turismo optam por prosseguir os seus estudos indo além da formação base e procurando áreas complementares. E a oferta de cursos tem vindo a crescer a par com o interesse cada vez maior dos jovens. “Para melhor adaptar a formação de recursos qualificados às particularidades regionais da oferta turística, investimentos previstos e produtos estratégicos definidos, assim como a profissões emergentes, estamos a estudar o desenvolvimento de novas ofertas formativas para jovens ou profissionais em áreas como a Gestão e Empreendedorismo, Markting e e-commerce, Saúde e Bem Estar, urismo Cultural e de
Natureza, Equipamentos e Manutenção Hoteleira, entre outros”, anuncia a administradora.

Sónia Sebastian frisa que “o investimento que tem sido feito pelo setor do turismo e acompanhado pelas políticas das autoridades públicas na inovação, diferenciação e promoção do nosso produto turistico, consolidará a importante posição de Portugal e do turismo português”.

O Turismo de Portugal gere atualmente uma rede de 16 escolas de Hotelaria e Turismo espalhadas pelo país. A rede foi alvo de uma forte modernização e alargamento e esta é uma aposta que a administradora assume como continua. O Turismo de Portugal tem como prioridade em matéria de formação, continuar a adequara os seus cursos à realidade do setor, apoiando a transformação do tecido empresarial através da formação e atualização de conhecimentos, aquisição de novas competências e promoção do network empresarial e profissional.



OUTRAS NOTÍCIAS
CIP quer combater o desemprego

CIP quer combater o desemprego


A Confederação da Indústria Portuguesa (CIP) quer criar bolsas de emprego entre os empresários para ajudar a inverter a escalada da taxa de desemprego nacional. Antó...

Portugueses estão mais insatisfeitos no trabalho

Portugueses estão mais insatisfeitos no trabalho


Os índices de satisfação, lealdade e envolvimento dos portugueses no local de trabalho registaram no ano passado um decréscimo face a 2009. Os dados constam do últim...

Mais oportunidades para os financeiros

Mais oportunidades para os financeiros


Apesar da nítida prudência das empresas no momento de contratar, gerada por um quadro nacional de contínua instabilidade económica, o mês de abril não perdeu di...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


AR ITALIANO

Experis Finance, Tax & Legal

CONTROLLER DE GESTÃO INDUSTRIAL

Spring Professional Portugal