Notícias

Corrida aos estágios

As candidaturas a estágios nas empresas excedem as vagas abertas
21.07.2006


  PARTILHAR



Marisa Antunes e Maribela Freitas
A época de final de curso é sempre sinónimo de encontrar estratégias e tentar alcançar um lugar no competitivo mercado de trabalho. Nesta altura do ano os licenciados correm para os centros de emprego — totalizando actualmente cerca de 40 mil inscritos — e dividem o seu tempo entre a resposta a anúncios e o envio de currículos através de candidatura espontânea. As empresas que procuram recém-licenciados para programas de «trainees» ou estágios são por isso literalmente inundadas de propostas.


É o que acontece na HP Portugal. A multinacional de soluções informáticas criou a HP University dirigida a recém-licenciados em engenharia de telecomunicações e informática, física, matemática, gestão e economia, de todas as faculdades do país, privadas ou estatais. Os felizardos que são seleccionados passam por um curso de três meses onde lhes é dada preparação para encetarem uma carreira na empresa.

O programa, que começou no início desta semana depois de um rigoroso processo de selecção, vai já na sua quarta edição e o «feedback» dos alunos tem sido esmagador. Para se fazer uma ideia, para apenas 15 lugares a HP recebeu três mil respostas. «Recebemos cerca de três mil candidaturas, das quais foi feita uma selecção de 200 através da média final de curso. Depois foi feita uma avaliação com base no pensamento analítico, sintético e sentido comercial dos candidatos que eram confrontados com situações muito próximas da realidade», pormenoriza Ilda Ventura, directora de recursos humanos da multinacional.

Nesta fase passaram 80, dos quais foram depois seleccionados 15, que deverão começar a trabalhar na empresa no fim da aprendizagem. Uma formação que inclui um programa de certificação cujo valor de mercado excede os seis mil euros e cujo custo é totalmente assumido pela empresa.

O programa de «trainees» da Galp Energia tem também muita procura pelos que possuem diplomas em economia, engenharia ou gestão. Com a duração de nove meses, a formação da última edição iniciou-se em Outubro e está agora a terminar. Vinte e oito recém-licenciados receberam uma formação intensiva nas várias unidades de negócio da empresa, das áreas industriais (refinarias) às comerciais e sistemas de informação, passando pelas finanças, gestão ou «marketing». «Nestas áreas desempenham funções de cariz técnico que lhes permite aliar os conhecimentos adquiridos na faculdade com a realidade prática vivida na empresa», realça fonte do gabinete de comunicação da Galp.

Tal como as duas empresas anteriores, também a representação da SAP em Portugal realiza programas de estágios para recém-licenciados. «Normalmente os programas de estágios iniciam-se em Março ou Setembro, de acordo com a estratégia da empresa para o ano ou com as necessidades acrescidas decorrentes da actividade dos departamentos», refere Cátia Monteiro, responsável pelo departamento de recursos humanos da SAP em Portugal.

Por norma abrem dez vagas e são contratados 80% dos estagiários. «O recrutamento é feito directamente nas universidades, através da afixação de anúncios de estágios ou contactando directamente os departamentos de estágios das próprias universidades», acrescenta. Os interessados podem também autocandidatar-se enviando o seu currículo por «e-mail» para a SAP e diariamente, «recebemos mais de dez candidaturas a programas de estágios», conta Cátia Monteiro.

Também a Portugal Telecom (PT) utiliza os currículos que lhe chegam — e que em média são mais de dez por dia —, para seleccionar recém-licenciados para os seus programas de estágio. Além disso, recorre a «road-shows» que realiza em diversas universidades nacionais. De acordo com Luís Moura, director de recursos humanos da PT, «normalmente abrangemos uma média de 50 pessoas por programa de estágios. A percentagem das que são contratadas depende da avaliação dos estagiários e das necessidades evidenciadas na altura pela empresa».

Estes programas de estágios para recém-licenciados existem há mais de dez anos na PT e as licenciaturas que privilegiam são as das áreas de engenharia, gestão e economia. Após a selecção dos candidatos a estagiários, os programas da PT iniciam-se em Setembro ou Outubro e têm uma duração variável. «Os participantes recebem formação e a duração do programa pode ir de nove a 12 meses, período durante o qual circulam por várias áreas da empresa», explica Luís Moura.





DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS



ÚLTIMAS FORMAÇÕES


MMOG/LE V 5

RH OPCO Academia