Notícias

Competências para o capital humano

05.09.2003


  PARTILHAR






Ruben Eiras

A OCDE identificou as bases do bem-estar social


A OCDE acaba de lançar uma publicação que identifica as competências-chave essenciais para o desenvolvimento social e individual das pessoas que vivem em sociedades modernas e complexas.

Segundo aquela instituição, este mapeamento é uma ferramenta útil para planear com maior eficácia os investimentos no capital humano, tornando-os mais rentáveis socialmente.

A investigação definiu três categorias de competências-chave: interagir em grupos sociais heterogéneos, actuar autonomamente e utilizar ferramentas de forma interactiva.

A capacidade de se relacionar bem com os outros, de cooperar, de gerir e resolver conflitos estão agrupadas na primeira categoria referida.

"Estas habilidades são particularmente relevantes em sociedades multiculturais e pluralistas", explica Heinz Gilomen, um dos investigadores que participou no projecto "Key Competencies for a Successful Life and a Well-Functioning Society".

Segundo aquele especialista, as pessoas precisam de aprender as formas de se juntarem e funcionarem em grupo e em ordens sociais em que os membros provêm de diferentes contextos. "É necessário saber lidar com as várias diferenças e contradições", sublinha.

Quanto à segunda faixa de competências, "actuar com autonomia", esta inclui capacidades que permitem às pessoas gerirem as suas vidas de forma responsável e assente em objectivos.

Conseguem controlar o seu estilo e condições de vida. E para conseguir actuar efectivamente nas diversas esferas da vida - no local de trabalho, na vida pessoal, familiar, civil e política -, é crucial ser capaz de actuar num contexto de grande plano, de forma a concretizar os projectos pessoais, conhecer os seus limites e defender os seus interesses e direitos.

Por último, a competência de saber utilizar ferramentas de forma interactiva diz respeito às exigências sociais e profissionais da economia global e da sociedade da informação.

Neste plano, é fundamental saber manejar não só instrumentos intangíveis como a língua, a informação e o conhecimento, como também físicos, como computadores.

"Usar as ferramentas de forma interactiva não significa simplesmente possuir as competências técnicas, como saber ler um texto ou utilizar um rato de um PC", salienta Heinz Gilomen.

Para aquele investigador, esta competência implica a existência de uma familiaridade com a ferramenta em si mesma e uma compreensão de como esta muda a forma como "uma pessoa pode interagir com o mundo" e conseguir atingir maiores objectivos através da sua utilização.

As três competências-chave listadas nesta categoria são a capacidade de utilização interactiva da linguagem, símbolos e texto (definidos pela capacidade de leitura e literacia matemática), conhecimento e informação (literacia científica) e a tecnologia.





DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


ACCOUNTANT BANKING SECTOR-PSA BANK

Spring Professional Portugal

ARCHITECT / PROJECT MANAGER

Michael Page Portugal

ASSISTANT ACCOUNTING CONTROLLER

Spring Professional Portugal