Notícias

Casais fomenta profissionalização

Casais fomenta profissionalização

O Grupo Casais tem em marcha um programa de formação que tem vindo a requalificar profissionalmente os recursos humanos do grupo. Até Novembro, o projeto já envolveu mais de 600 colaboradores. 

19.12.2013 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



Com operações ativas em 13 mercados distintos, as empresas do grupo de engenharia e construção Casais gerem em termos globais um universo que supera os três mil colaboradores. Um número que tem crescido sobretudo em mercados como Angola e Moçambique, onde o recrutamento de mão-de-obra sofreu um forte impulso, indo de encontro ao crescimento da atividade internacional da empresa. Para fazer face a este aumento das contratações António Carlos Rodrigues, CEO da Casais Engenharia e Construção, estruturou em 2012 um programa de formação que além de detetar potenciais talentos para o grupo, requalifica profissionais habilitando-os a trabalhar nesta área de atividade a nível nacional e internacional. Já mais de 600 passaram pelo programa da Casais.

“Um dos principais eixos estratégicos definidos pelos Recursos Humanos do Grupo Casais é o da aposta na seleção e na formação de profissionais externos numa perspetiva de identificar potenciais colaboradores para integrarem o grupo, promovendo a empregabilidade”, explica António Carlos Rodrigues que classifica este projeto como “pioneiro na região de Braga”. Para o CEO, “o projeto é elaborado de forma muito alinhada com as necessidades da atividade da construção, oferecendo um plano de ações com recurso às infraestruturas da nossa empresa que disponibiliza os estaleiros e casos reais de projeto para exercícios  nas ações de formação, beneficiando da experiência e know-how de uma empresa com mais de meio século de obras feitas”.

A empresa está certificada pela DGERT como entidade formadora e é responsável pela criação e organização de programas de formação para as várias empresas do grupo na fileira da construção civil. Num ano, o programa de formação da Casais já integrou cerca de 600 colaboradores. A meta é identificar potenciais colaboradores para o mercado internacional, mas para António Carlos Rodrigues, “a Casais abre as portas aos formandos que passam por um processo rigoroso de assessment center onde são avaliados do ponto de vista técnico e comportamental”. Só depois são integrados num programa de formação intensiva sobre processos construtivos e especialidade e, por fim, numa formação on-job nas obras da Casais em Portugal. Com este projeto o CEO espera qualificar recursos suficientes para dar resposta ao crescimento da atividade internacional do grupo que em 2012 cresceu 70%. “Entre 2012 e 2013 a Casais contratou mais de 500 colaboradores portugueses para a área internacional, um número que se estima que cresça significativamente em 2014”, explica.

Até ao final de 2013 o Grupo Casais abrirá novos cursos de formação nas áreas da Construção Civil, Transportes e Logística e Ambiente. Ao todo, está prevista a realização de 32.250 horas de formação em ações modulares até 2014. Para cumprir este plano, foram definidos percursos profissionais que agrupam formações nas áreas da construção, eletricidade, transportes, ambiente e soldadura, destinadas a desempregados com habilitações inferiores ao 12º ano de escolaridade. A lista completa dos cursos promovidos pela instituição está disponível online, em www.caspformacao.com. Angola, Alemanha, Argélia, Bélgica, Brasil, Cabo Verde, França, Qatar, Moçambique ou Marrocos são alguns dos destinos onde os profissionais formados poderão vir a desempenhar função ao serviço do Grupo Casais.



OUTRAS NOTÍCIAS
Soldadura emprega 30 mil

Soldadura emprega 30 mil


Portugal tem desempenhado um papel relevante na expansão de um sector que, ainda que permaneça tipicamente masculino, é liderado a nível europeu por uma mulher. A portugues...

Microsoft recruta 25

Microsoft recruta 25


Dois meses depois do gigante tecnológico Microsoft ter decidido deslocalizar para a Grécia e Brasil os serviços de apoio ao cliente e suporte técnico que eram assegurados p...

O emprego do futuro

O emprego do futuro


No futuro não se contratarão pessoas, mas sim competências, experiência e tempo. Esta é uma das principais conclusões alcançadas pela investigaç&a...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


BUSINESS ANALYST - BI FINANCE

Spring Professional Portugal

CAMPAIGN MANAGER

Michael Page Portugal