Notícias

Braga 2026: criar emprego

Braga 2026: criar emprego

Colocar Braga no radar do investimento das empresas nacionais e estrangeiras é a meta do Plano Estratégico para o Desenvolvimento Económico de Braga que foi esta semana apresentado. O documento vigorará até 2026 e fixa como meta a criação de seis mil novos empregos na cidade. 

19.12.2014 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



Ao longo dos próximos 12 anos, a cidade de Braga deverá criar cerca de 500 novos empregos por ano em setores prioritários como as Tecnologias de Informação Comunicação e Eletrónica (TICE), Centros de Serviços Partilhados (Nearshoring), Engenharia, Construção e Ambiente, Comércio, Turismo e Cultura. Carlos Oliveira, presidente da InvestBraga, a agência de desenvolvimento que atua em parceria com autarquia local e foi responsável pela elaboração do Plano Estratégico para o Desenvolvimento Económico de Braga 2014-2026, fala da necessidade de “uma mudança de paradigma no desenvolvimento económico português” e assume a missão colocar a cidade no top 10 das cidades ibéricas até 2026 e reforçar a presença da cidade no top 3 das cidades nacionais, levando a região a crescer 1% acima da média da península ibérica.

Apresentado como um “farol” para o desenvolvimento do município, o documento estratégico para o desenvolvimento de Braga surge, segundo Carlos Oliveira, alicerçado numa “visão integrada de vontades dos atores locais e de parceiros nacionais”. Para o responsável da agência InvestBraga, o plano “representa uma aposta clara naquilo que é uma cidade inovadora e que deve ser uma referência para a região e para o país, uma cidade conhecida pela inovação, assente na cultura e num património bimilenário”.
Entre as diversas ações previstas estão a criação de uma “Innovation Arena” (área de inovação), um espaço dedicado ao investidor, um portal de georreferenciação de parques industriais e empresariais, a par com uma aposta na diplomacia económica – já em marcha – e várias outras ações que poderão vir a ser consideradas, já que este é um “documento dinâmico, que não se esgota neste momento”, realça o presidente. Carlos Oliveira confirma que novas ações serão identificadas e introduzidas no plano estratégico à medida que aumentem também os parceiros envolvidos no projeto. “Este é claramente um documento orientado para a execução, com ações e iniciativas que partem do trabalho de identificação das vantagens competitivas de Braga”, reforça.

E são muitas. Conhecida pela sua proximidade ao meio académico, uma demografia jovem, inovadora e altamente qualificada com grande enfoque nas áreas tecnológicas – a cidade regista a segunda taxa mais elevada do país na proporção de inscritos no ensino superior nas áreas das ciências e tecnologias -, Braga tem cindo a posicionar-se de forma crescente como uma cidade onde vale a pena investir e muito atrativa para um número crescente de empreendedores e empresas multinacionais de diversos setores de atividade. Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, confirma-o. “Aqui temos a excelência do conhecimento traduzido nas nossas universidades e institutos de investigação. Aqui temos o dinamismo de um tecido empresarial diversificado, inovador e arrojado, com reforçadas perspetivas de sucesso ao ritmo de uma internacionalização sustentada”, defende. O edil destaca o envolvimento da comunidade e dos parceiros institucionais no desenvolvimento do plano estratégico para a cidade que diz estar totalmente orientado para “a criação de emprego, a captação de investimento, a colaboração ativa com todo o ativo económico local e associações empresariais”.

Desde março deste ano que a InvestBraga tem prestado apoio a empresas que queiram instalar-se na região. Um propósito que está plasmado no plano estratégico agora apresentado. A meta de criar seis mil empregos até 2026 será alicerçada em sectores prioritários para a região como a indústria, os centros de serviços partilhados, o comércio, o turismo, a engenharia, o ambiente ou a cultura, ainda que a indústria seja apontada como a principal área de expansão da região. “O desenvolvimento económico tem como finalidade fomentar a criação de emprego, incentivar o investimento sustentável, disseminar a cultura cosmopolita e contemporânea, atrair e reter visitantes e dinamizar o comércio”, explica Carlos Oliveira enfatizando a ambição de fazer convergir Braga para o conceito de “smart and trendy city”.

Sectores de referência mantêm-se
Não se pense porém que a estratégia de crescimento e criação de emprego na cidade passa por desinvestir nos setores que tradicionalmente têm potenciado a taxa de empregabilidade local. O presidente da InvestBraga explica que “o que Braga procura é todo o bom investimento: o investimento sustentável que cria emprego e que dá qualidade de vida às populações”. Para Carlos Oliveira, “a decisão das áreas em que se investe cabe aos investidores, não botante o facto de acharmos importante a identificação de setores prioritários que resultou de uma extensa e rigorosa análise dos recursos e competências comparáveis/únicas de Braga que formam a base da sua diferenciação no mercado global”.

Áreas de referência como a indústria metalúrgica e metalomecânica, o setor logístico, automóvel ou o têxtil, mantêm-se críticos e determinantes para o crescimento da região e para a criação de emprego. O mesmo se aplica às indústrias criativas que “têm um papel diferenciador e gerador de competitividade numa economia global”, reforça o líder da InvestBraga.

Resultado da visão partilhada de instituições como a AICEP Portugal, a Universidade do Minho, o IAPMEI, o Instituto do Emprego e Formação Profissional, a AIMinho, a Associaçãoo Comercial de Braga e várias outras entidades e empresas, o Plano Estratégico para o Desenvolvimento Económico de Braga não pretende, segundo Carlos Oliveira, “revolucionar Braga”. Para o líder, o propósito do projeto que ajudou a conceber é “construir exaustivamente sobre as potencialidades existentes, facilitar a desconstrução dos constrangimentos e preparar Braga para se assumir como uma referência na região”.


Como Braga vai criar emprego
No âmbito do Plano Estratégico para o Desenvolvimento Económico de Braga, são várias as ações com vista a alcançar a meta de seis mil empregos até 2016, com a ajuda de vários stakeholders da região. Damos a conhecer alguns.
. Innovation Arena
 Será criada uma área de inovação que agregará empresas inovadoras e tecnológicas e que possibilitará um estímulo constante à criatividade e inovação, reforçando a capacidade de captar o investimento e a fixação de empresas do setor TICE e nearshoring.

. Espaço Investidor
Criação de um espaço que atuará ao nível da captação de investimento num conceito de “via verde do investimento”. A meta é reforçar o desenvolvimento e o crescimento económico do município.

. Parque Empresarial
Será criado um novo parque empresarial junto ao aeródromo e autódromo que privilegiará a fixação de empresas ligadas aos setores automóvel e aeronáutico.

. Licenciamento zero
O plano prevê a aceleração do “licenciamento zero” para setores ou atividades ambientalmente sustentáveis e identificados como críticos na estratégia de desenvolvimento económico da região.

. Portal de georreferenciação
Será criado um portal que permitirá referenciar os parques industriais e empresariais existentes (empresas residentes, espaços disponíveis, preços de vendas e de arrendamento indicativos).

. Aumento dos RH disponíveis
Incrementar a oferta de recursos humanos especializados na área TICE e saúde orientados para a Investigação & Desenvolvimento, através do acréscimo do número de vagas disponíveis nas instituições de ensino da cidade/região.

. Requalificar RH
Converter profissionais de áreas não tecnológicas para carreiras nas TICE, com programas de formação técnica adequados, nomeadamente, através da nova estrutura de formação a criar na UMinho para este propósito.

. Reforço da investigação Clínica na Saúde
Será reforçada a parceria com o Hospital de Braga e com o Centro Clínico Académico da UMinho para alavancar a investigação clínica e assim captar o interesse da indústria farmacêutica.

. Fomentar o turismo sénior
Consolidar a região como uma escolha de turismo senior associado à saúde, através do reforço da oferta disponível nesta área.

. Atrair empresas MedTech e Phama
Captar para a região novos negócios nas áreas da saúde e farmacêutica

. Parque temático de jogos digitais
Atrair investidores para a criação de um novo parque temático na cidade baseado em jogos digitais.

. Mapa de ordenamento comercial
Serão criadas regras de restrição à abertura de estabelecimentos comerciais ‘sem critério’.

. Turismo de Braga
Criar o novo site Turismo de Braga (Welcome Braga ou visitbraga).



OUTRAS NOTÍCIAS
Parlamento Europeu procura assistentes

Parlamento Europeu procura assistentes


O Parlamento Europeu tem a decorrer um processo de candidaturas para preencher 30 vagas. Em causa esta a contratação de assistentes parlamentares que deverão desempenhar fun&ccedi...

Método inovador testa cura de cancro em ovos

Método inovador testa cura de cancro em ovos


Trabalham desde 2013 sem auferir remuneração na empresa da criaram e estão totalmente orientados para o desenvolvimento de um projeto que tem muito a dar à ciência. A...

'Guerra de talento' no sector financeiro

'Guerra de talento' no sector financeiro


A disputa pelo talento está ao rubro no sector financeiro. Esta é a convicção de Trina Gordom, presidente e CEO da empresa de executive search Boyden World Corporation, par...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


ASSISTENTE JURÍDICA

Michael Page Portugal

BIM MANAGER

Michael Page Portugal

CONTABILISTA CERTIFICADO

Spring Professional Portugal