Notícias

barba, Cabelo & Cultura

António Almeida reinventou no Porto, o conceito da tradicional barbearia e fez do Barba & Cabelo um espaço cultural pensado para os homens, mas onde as mulheres também podem entrar
26.01.2007


  PARTILHAR



Cátia Mateus Uma das regras básicas para minimizar as hipóteses de fracasso de um projecto empresarial é investir apenas numa área de actividade que se conheça bem. António Almeida não o fez, mas nem por isso o seu projecto sofre das “dores de crescimento” próprias dos primeiros anos de vida. O gestor de recursos humanos percebe pouco de cabelos, mas o suficiente para saber que ir ao barbeiro é, para a maioria dos homens, um “mal necessário” e que os cabeleireiros mistos não foram feitos a pensar num público masculino cada vez mais exigente com a sua imagem. Da combinação de todas estas constatações surgiu um negócio que recupera o mais tradicional de uma barbearia de bairro, reinventando o conceito. António Almeida criou há meio ano a Barba & Cabelo, no Porto. Uma barbearia que é também tabacaria, bar e galeria de arte. Um espaço onde apenas os homens são clientes, mas que as mulheres são também convidadas a visitar.


“As coisas boas da vida caminham juntas”. Foi à luz deste conceito que António Almeida estruturou a Barba & Cabelo. A ideia, afiança, “era transportar para este negócio um ambiente de tertúlia, reunindo várias valências que merecem o interesse masculino e que permitissem fazer da visita necessária ao barbeiro, um acto agradável e de descontracção”. Uma aposta que teve tanto de ousada como de arriscada, tendo em conta que à data da criação da empresa, a conjuntura económica não era das mais optimistas em Portugal.

Neste cabeleireiro não se trata só da imagem. Além dos cortes de cabelo, barba, depilação e demais serviços estéticos para homens exigentes, aqui lêem-se livros e revistas, discute-se arte, acompanham-se exposições de pintura, escultura e fotografia, provam-se vinhos e encontram-se os mais variados acessórios para os amantes de charutos. Tudo harmoniosamente combinado num espaço, em plena cidade do Porto, recuperado pelo arquitecto Rui Ventura.

Quando começou a projectar o seu primeiro negócio, António Almeida estava desempregado e foi um debate entre amigos que o lançou na vida empresarial. Ironicamente, por alturas do lançamento da Barba & Cabelo, em Junho de 2006, o empresário era convidado para rumar a Lisboa e exercer o cargo de director de recursos humanos numa empresa. Aceitou o convite, consciente de que a acumulação de dois ‘empregos' exigiria um grande esforço de conciliação, principalmente na fase de arranque do negócio e a mais de 300 quilómetros de distância.

Ainda assim, não virou costas à ‘segurança' adicional que confere um emprego por conta de outrem. É que, como refere, “quando se cria uma empresa, estamos a investir o fruto da nossa vida, as nossas economias num projecto que pode não dar certo. E isso, psicologicamente, é um grande encargo”. Depois, uma das grandes dificuldades que sentiu na altura de criar a empresa foi ao nível do financiamento. “No sistema bancário português, quando se quer criar uma empresa, não vale a ideia mas sim o património que temos, as garantias que podemos dar à banca”, lamenta.

Fruto desta dualidade de funções — a de empresário e trabalhador por conta de outrem — António Almeida confessa que “a Barba & Cabelo está a ter uma expansão lenta, mas a dar passos sólidos. Até porque, não tem dúvidas de que, “os homens estão cada vez mais preocupados com a imagem, que é cada vez mais valorizada em termos pessoais, sociais e laborais”.

E nesta matéria, assegura, “a cidade do Porto é um filtro muito importante”. O empresário confessa não ter nenhum afecto especial Lisboa ou ao Porto, mas não tem dúvidas de que “a cidade Invicta é o melhor filtro para conceitos de negócio diferentes. O seu público é muito conservador e precisa de coisas verdadeiramente boas para dar o seu aval”. António Almeida acredita que se o conceito vingar no Porto, vingará em qualquer cidade do país.

Neste momento a empresa dá emprego permanente a quatro pessoas. O empresário tem como objectivos a médio prazo iniciar a expansão do conceito, mas é cauteloso no que toca à definição de prazos. “O conceito está pensado para vários cenários, um deles é que a loja tenha sucesso mas apenas para se manter a ela mesma. Esse não é o cenário mais aliciante para mim. A outra possibilidade é que o sucesso de alastre a outras zonas do país”, explica.

Neste último caso, o empresário apostará num modelo de replicação misto que combina «franchising» com lojas próprias, mas confessa que “para chegar a esse ponto há dificuldades que têm de ser ultrapassadas”. Por se tratar de um negócio que combina várias valências, é necessário definir como seria solucionada a questão das exposições de arte que poderiam ser feitas com recurso a artistas locais ou num sistema de rotatividade a um ritmo mensal. Em todo o caso, António Almeida frisa que nesta fase está ainda a testar o conceito e a aperfeiçoar o sistema de gestão e que “na melhor das hipóteses, a replicação pela via do «franchising» avançará apenas em 2008”. Nessa altura, o empresário sabe que terá de ter mais disponibilidade e, eventualmente, a Barba & Cabelo terá de ser a sua única actividade profissional.

António Almeida não tem gurus e é avesso a seguidismos de toda a espécie. Aos 45 anos, o empresário tem como o único princípio de gestão quotidiano ‘a ética'. A quem queira criar o seu próprio negócio, aconselha uma aposta consciente. Até porque, para o empresário “vivemos num país de não empresários, onde as coisas não são fáceis, mas que só encontrará um novo rumo a partir do momento em que as pessoas se tornarem mais propensas à acção do que à reacção”.


BI Empresarial

Nome: Barba & Cabelo
Fundadores: António Almeida (45 anos)
Data de criação: Junho de 2006
Sede: Porto
Área de actividade: Barbearia, galeria de arte e bar
Investimento inicial: (não divulgado)
Empregos criados: Quatro postos de trabalho permanentes
Público-alvo: Homens que se preocupam com a imagem.
Principais dificuldades: Financiamento já que “é difícil vender o valor de uma ideia à banca”.
Princípio de gestão de que não abdica: Gerir sempre com ética!
Perspectivas futuras: Expandir o conceito para outros pontos do país através de um modelo misto que combina o «franchising» e a abertura de lojas próprias
Lema: “Agir e não apenas reagir”
Sítio «on-line»: www.barbaecabelo.com





DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


Diretor-Geral

FAROL ATT - Associação de Tratamento das Toxicodependências