Notícias

Açores apostam na formação técnica

22.02.2003


  PARTILHAR



Fernanda Pedro

MAIS de 5% da população activa açoriana possuem qualificações técnicas. Um aumento de cerca de quase 4% em relação a 1997, ano a partir do qual o Governo Regional decidiu apostar de forma decisiva no aumento da formação de nível intermédio. A estratégia foi concretizada através da criação de mais 11 escolas profissionais durante aquele período, perfazendo no momento um total de 16.

Para Rui Bettencourt, director-regional da Juventude, Emprego e Formação Profissional, estes números revelam que o arquipélago caminha para um emprego qualificado. "Se em 1997, dos 100 mil trabalhadores apenas 1418 possuíam cursos técnicoprofissionais, em 2002 esse número aumentou para 5897".

Com esta medida, o responsável adianta ainda que o desemprego tem vindo a diminuir anualmente nos Açores. "Através de uma parceria estreita com o meio empresarial da região, damos formação aos trabalhadores, orientando-os para os sectores onde são necessários técnicos qualificados", observa Rui Bettencourt.

De acordo com este responsável, em 2010, o Governo Regional prevê que 25% dos seus activos possuam diplomas técnicoprofissionais.

Para identificar as necessidades específicas de qualificações em cada sector da economia, o Observatório do Emprego dos Açores realiza um estudo de três em três anos para analisar as tendências futuras do mercado de trabalho. Assim, para o período de 2003 a 2005, o Observatório concluiu que o sector do turismo será o mais forte em termos de empregabilidade.

A abertura ao exterior é outra das acções estratégicas da Direcção-Regional da Juventude, Emprego e Formação Profissional. "É importante para os nossos jovens saberem como e o que se faz lá fora", sublinha Rui Bettencourt.

Foi com essa finalidade que surgiu a possibilidade dos jovens açorianos participarem em estágios profissionais na Europa, através do programa "Leonardo da Vinci" e do "Eurodisseia". Este último leva cerca de 20 açorianos a trabalharem anualmente em empresas europeias. Para o programa do presente ano, as candidaturas encontram-se abertas até 30 de Março.

Quanto ao "Leonardo da Vinci", a estrutura é semelhante à do "Eurodisseia", mas limitado apenas aos Estados-membros da UE.Esta iniciativa também permite a 20 jovens adquirirem experiência profissional no estrangeiro.






 





DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


AR ITALIANO

Experis Finance, Tax & Legal

CONTROLLER DE GESTÃO INDUSTRIAL

Spring Professional Portugal