Notícias

'Fitness made in' Portugal

Arriscaram investir no sector têxtil e combatem no mercado com os gigantes do vestuário desportivo. Uma batalha ganha por um grupo de jovens empresários lusos
27.10.2006


  PARTILHAR



Cátia Mateus
Mais difícil do que criar uma empresa em Portugal é criá-la num segmento onde não somos um país de referência a nível europeu e onde, para vencer, é necessário enfrentar os gigantes do sector. Mas como a essência de empreender é essa mesmo, arriscar, os irmãos Rui e Susana Gateira criaram, a partir de Ílhavo, a ‘Susana Gateira', uma marca de roupa de «fitness» com «design» próprio e exclusivo. Arriscaram competir no mercado com as grandes marcas ligadas ao desporto e com uma estratégia de crescimento sustentado e seguro, a aposta foi ganha. A marca ‘Susana Gateira' factura anualmente um milhão de euros. Tem sete lojas próprias em território nacional, uma loja franchisada e prepara-se agora para a internacionalização. Espanha e França serão os primeiros destinos. O «franchising», é o modelo escolhido para a expansão.


O projecto ‘Susana Gateira' teve início em 1993, quando a «designer» que dá nome à marca decidiu expor os modelos que criava. Mas a empresa, inicialmente familiar, só é formalmente criada quatro anos mais tarde, em 1997, fomentada pelo aumento da procura e direccionando-se desde logo para o nicho da roupa desportiva com forte componente de «design». Nesta fase de arranque, onde os dois irmãos investiram apenas cinco mil euros, foi fundamental o incentivo dos pais que possuíam uma empresa de confecção de vestuário desportivo, evitando a necessidade de investimento em infra-estruturas.

O grande desafio era “criar uma marca e torná-la conhecida com pouco dinheiro”, relembra um dos mentores do projecto. Num momento inicial, a dupla de irmãos Gateira apostou em vender à consignação as colecções que produzia em ginásios e lojas da especialidade. Mas cedo “o sucesso da marca justificou a abertura de lojas próprias, o que se traduz num menor risco comercial e financeiro”, explica Rui Gateira. Desde então, a marca tem vindo a crescer ao ritmo de uma loja por ano e o seu crescimento justificou também a entrada de um parceiro para o negócio. À dupla Gateira, juntou-se o actor e modelo Alexandre Silva.

Lisboa, Porto, Aveiro, Braga, Cascais e Leiria, são para já os pontos onde a marca está presente. Mas nesta conquista nem tudo foi fácil. “É muito difícil implantar em Portugal uma empresa que vai operar num mercado onde não temos uma imagem de referência a nível internacional. E é também um risco elevado apostar num segmento onde sabemos que a concorrência é dominada por grandes marcas como a Adidas, Puma e Nike”, explica Rui Gateira que realça ainda como entrave “o facto de grande parte da população não praticar desporto, nem sentir necessidade de o fazer portanto não ter apetência pela aquisição de equipamentos”.

Em termos técnicos, a empresa teve ainda de lidar com o facto de, por ser pequena, não ter acesso a certas matérias-primas que exigiam quantidades mínimas de encomenda muito elevadas. Uma dificuldade que a equipa eliminou tentando arranjar tais matérias em fábricas de malhas que vendessem a retalho. Ainda assim, a empresa traçou um percurso de expansão positivo, “sempre pautado por investimentos sustentados”.

A marca portuguesa de vestuário desportivo, prepara-se para entrar nos mercados espanhol e francês (onde já é conhecida com sucesso), sem descuidar a expansão contínua em território nacional. Em qualquer dos destinos de investimento, a aposta passa pela replicação à luz do «franchising». De acordo com o porta-voz da marca “neste momento a marca está a negociar em Espanha com alguns interessados no projecto de «franchising» Susana Gateira”.

Rui Gateira explica a opção do «franchising» pela “possibilidade de atingir um crescimento a um ritmo bastante rápido e de forma sustentada, transmitindo simultaneamente o «know-how» a empresários que queiram apostar na marca Susana Gateira”. Para consolidar esta estratégia de internacionalização, os três sócios da empresa têm vindo a apresentar o seu projecto em feiras internacionais relacionados com o «fitness».

O sócio da empresa — que tem como público-alvo os profissionais do «fitness» e desportistas, mas também todos os que gostam de um guarda-roupa mais ‘casual' — tem como guru Bill Gates e acredita que a melhor ferramenta de gestão quotidiana é “nunca crescer sem sustentação nem estratégia”. E não tem dúvidas de que “se continuarmos a realizar o mesmo trabalho que fizemos em Portugal, apresentando um produto inovador, com um «design» próprio e avançando passo-a-passo, o mercado internacional vai aceitar-nos e reconhecer o nosso mérito”.

Até porque, no mundo empresarial é fundamental não subestimar a concorrência mas também, “criar empresas com uma entidade própria e sem copiar ninguém”.

BI Empresarial

Nome: Susana Gateira
Fundadores: Susana Gateira (38 anos), Rui Gateira (35 anos) e Alexandre Silva (31 anos)
Data de criação: 1997
Sede: Ílhavo (ateliê)
Área de actividade: Design, confecção e comercialização de roupa desportiva exclusiva
Investimento inicial: 5000 euros
Facturação: 1 milhão de euros anuais
Público-alvo: Profissionais de «fitness» e desportistas, mas também todos aqueles que gostam se libertar de um guarda-roupa formal
Princípio de gestão de que não abdica: “Nunca crescer sem sustentação nem estratégia”
Dicas: “Apostar sempre com dedicação e antes de avançar identificar as mais-valias do projecto e aquilo que o pode diferenciar no mercado”
Lema: “Nunca subestimar a concorrência, nem copiar ninguém. As empresas, tal como as pessoas também têm de ter uma identidade própria”
Guru: Bill Gates





DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


COMPRADOR - INDIRECTOS

Michael Page Portugal

CONSULTOR DE INCENTIVOS FINANCEIROS

Michael Page Portugal

CONTABILISTA CERTIFICADO

Spring Professional Portugal