Notícias

5 caraterísticas dos 'fracos' líderes

5 caraterísticas dos 'fracos' líderes

Detêm nas mãos o destino de negócios e equipas, mas estão longe de ser infalíveis. Sim, tal como há profissionais que não reúnem as competências necessárias à função que exercem, também há líderes fracos que não cumprem os requisitos para a função. É de maus líderes que falamos e para identificá-los até bastam apenas cinco caraterísticas.

13.02.2017


  PARTILHAR
LinkedIn Twitter Facebook Google+



1 Incapacidade para decidir
Que tome decisões e que assuma responsabilidade, é o que se espera de um líder. Se o líder não consegue decidir, quem seguirão os profissionais e quem orientará a estratégia da empresa ou departamento?

2 Ausência de foco
Ter dificuldades de concentração e foco na resolução de problemas quotidianos é, no contexto empresarial, visto como um sinal de imaturidade, não admissível em cargos de liderança.

3 Dificuldade em gerar empatia
Uma das caraterísticas-chave de um bom líder é sua capacidade para conhecer os elementos da sua equipa, as suas necessidades e, por essa via, gerar empatia com os seus profissionais. Em muitos casos, sucede o inverso, um distanciamento e uma indisponibilidade para assumir “o lugar do outro” que é prejudicial à motivação das equipas.

4 Confiança é tudo
O líder tem de ser a figura de gestão na qual os profissionais depositam a sua máxima confiança e mais podem contar. Frequentemente, acontece o inverso. Liderar pelo exemplo é hoje apontado pelo gurus da gestão como o mandamento-chave que todos os líderes devem cumprir, sob pena de não conseguirem gerar equipas coesas.

5 Otimismo precisa-se!
Não tem de ser um otimista irracional, daqueles que quando tudo está a ruir continuar a afirmar que o negócio está em crescimento, mas enquanto líder - e de forma realista - deve conseguir convencer e motivar as suas equipas de que determinado projeto vale todo o investimento e dedicação.



OUTRAS NOTÍCIAS
Startup Lisboa, cinco anos e 1500 empregos depois

Startup Lisboa, cinco anos e 1500 empregos depois


“Os últimos cinco anos foram passados a criar o futuro”. É desta forma que Miguel Fontes, diretor executivo da Startup Lisboa, gosta de sintetizar a atividade da incubador...

Growin entra no Reino Unido e prepara 40 contratações

Growin entra no Reino Unido e prepara 40 contratações


Em dois anos de atividade, o negócio da tecnológica Growin superou as previsões iniciais e antecipou etapas que Sónia Jerónimo, diretora executiva (CEO) da empres...

Banca contrata mais do que TI

Banca contrata mais do que TI


Durante o último mês de janeiro, o inédito aconteceu: as empresas do sector da banca, seguros e área financeira superaram as tecnologias de informação (TI) ...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO




ÚLTIMOS EMPREGOS


ACCOUNT MANAGER

Michael Page Portugal

ACCOUNTING & TAX MANAGER

Michael Page Portugal