Notícias

Um negócio de cor e fantasia

04.07.2003


  PARTILHAR






Cátia Mateus

A decoração apareceu por "acidente". Mas nem por isso as quatro autoras do projecto Trapos d'Encantar voltaram costas à oportunidade







BI empresarial



A PAIXÃO pelo "design" traçou-lhes o caminho, mas foi a vontade de criar um negócio próprio que as juntou. Depois de um percurso académico centrado no Design de Moda, Susana Fialho, Cristina Caetano, Isabel Rodrigues e Ana Boal preferiram criar a sua própria empresa ao invés de investir no trabalho por conta de outrem.

A ideia deu lugar à prática e no ano passado, depois de um projecto bem pensado e de muitas entraves ultrapassadas, o ateliê Trapos d'Encantar abriu pela primeira vez as portas ao público. A "jovem empresa" propõe-se criar peças de decoração com "design" exclusivo, onde a cor e a forma deixam transparecer a irreverência, garra e originalidade de uma equipa de empreendedoras sub-30.

Confessam que nunca foi sua ideia trabalhar na área da decoração. Contudo, já dizia o velho ditado que as boas oportunidades só surgem uma vez na vida e é preciso não deixá-las fugir e por isso, as quatro empreendedoras não voltaram costas a uma nova experiência.

"Trabalhar em decoração nunca foi um objectivo definido, mas as coisas foram acontecendo e descobrimos que este é um ramo fascinante", explica Susana Fialho que assegura que "neste trabalho, a equipa descobriu um novo talento".

Criado em Julho de 2002, o ateliê Trapos d'Encantar transpõe as histórias que povoam o imaginário infantil para o tecido. Um composto de sucesso feito com muita cor, dedicação e imaginação.

Para as quatro empreendedoras, não há dúvidas de que a decoração infantil é uma área de negócio onde vale a pena apostar. "Após uma pesquisa de mercado chegámos à conclusão que podíamos contribuir de forma muito positiva no campo da decoração. Não existia nada semelhante ao que queríamos fazer", explica Ana Boal.

Na realidade, a Trapos d'Encantar assenta num conceito inovador. A empresa trabalha para um público-alvo onde impera o gosto dos mais pequenos.

Na essência os trabalhos das empreendedoras são requisitados por gente que quer fugir à decoração convencional "e fazer dos quartos das suas crianças uma explosão de cor e alegria". O segredo, explicam, "é criar uma vida própria em cada ambiente, um lugar onde entramos e sorrimos".

A actividade da empresa consiste na criação, concepção e distribuição de peças de decoração originais e com "design" exclusivo. As empreendedoras trabalham apenas com tecidos e modelos próprios, apostando em detalhes bordados e "design" contemporâneo.

Embora o principal enfoque da empresa seja na criação de quartos infantis, Cristina Caetano explica que "a diversificação da actividade da empresa para outras áreas é o grande objectivo que nos propomos atingir".

O futuro passa pela roupa infantil

O segmento da roupa infantil e a criação de uma linha industrial de textêis-lar (toalhas de banho, lençóis), são potenciais áreas de aposta para as quatro empreendedoras. O único problema, garantem, "é termos milhares de projectos e não termos tempo para tudo".

O ateliê Trapos d'Encantar emprega neste momento quatro pessoas. Para criar esta empresa, as empreendedoras investiram um total de dez mil euros. Susana Fialho relembra que "era pouco para o que precisávamos, mas fomos investindo aos poucos".

Uma estratégia pensada à luz da teoria dos pequenos passos, que foi suficiente para minimizar o risco inicial inerente a qualquer projecto. É que para as empreendedoras, a fase de lançamento de uma empresa acarreta sempre grandes dificuldades e um risco que é acrescido pela inexperiência.

A par com os entraves burocráticos, Susana Fialho aponta a falta de informação como uma das grandes dificuldades inerentes à criação de um negócio em Portugal.

Um entrave que Isabel Rodrigues defende só se ultrapassa com grande determinação e persistência. A empreendedora garante que a empresa está no bom caminho e que "apesar do futuro nestas áreas ser sempre muito incerto, confiamos muito no nosso projecto".

Nesta fase, a empresa ainda procura estabilizar-se no mercado. O investimento inicial ainda não foi totalmente recuperado já que "tudo o que entra é para voltar a investir na empresa".

Ainda assim, as quatro empreendedoras não hesitam em afirmar que "acreditar no que se faz, ter confiança no projecto, coragem para avançar e a consciência de que todos os negócios são um risco mas que é importante lutar pelo que acreditamos", são os pilares para a construção de um projecto de sucesso, seja nesta ou em qualquer outra área.




BI empresarial

Nome: Trapos d' Encantar - Design e Decoração

Ano de criação: 2002

Sede: Linda-a-Velha

Responsáveis: Susana Fialho (26 anos), Cristina Caetano (25 anos), Isabel Rodrigues (24 anos) e Ana Boal (28 anos)

Área de actuação: Decoração de interiores com peças de Design próprio e exclusivo

Investimento inicial:
10.000 euros

Principais clientes: Lojas de decoração para crianças e clientes particulares que querem fugir à decoração convencional

Postos de Trabalho criados: Quatro a tempo inteiro

Lema: Criar e distribuir peças de decoração apostando em detalhes e "design" contemporâneo

Conselhos: Acreditar no que se faz e ter confiança no potencial de negócio. Depois há que transmitir estes valores aos clientes!





DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


Técnico Superior

Nova School of Business and Economics

.NET DEVELOPER

Kelly Services Portugal