Notícias

Negócio bem temperado

16.01.2004


  PARTILHAR





Maribela Freitas

CRIAR um negócio próprio é sempre um risco, mais ainda quando se aposta num conceito inovador e em produtos diferentes. Mas mesmo assim há quem feche os olhos ao perigo e siga em frente. Foi o que aconteceu com Isabel Isaac, de 47 anos e o seu sócio Luís Barboza, com 53 anos.


A ideia de criar um negócio ligado à comida há muito que germinava na mente destes empreendedores e foi em 2002, numa feira de retalho que descobriram a Oil&Vinegar, um "franchising" de lojas de prendas culinárias.

No ano passado abriram a Azeite e Vinagre, detentora do "master franchise" para a Península Ibérica da Oil&Vinegar. Transpuseram assim o conceito para Portugal e abriram uma loja própria em Lisboa.

A Oil&Vinegar é uma rede holandesa de "franchising" constituída por lojas de prendas de culinária que assenta na oferta de uma gama de produtos provenientes das regiões mediterrânicas, nomeadamente azeites, vinagres, especiarias e azeitonas.

Além disso, oferece também produtos não alimentares, como livros e acessórios de cozinha. A ideia subjacente a este conceito passa por transformar estes produtos em prendas originais. Perante este cenário, Isabel Isaac e Luís Barboza renderam-se à ideia e apostaram em trazer este conceito para Portugal.

"Investir na área alimentar era uma ideia antiga. Já trabalhava no sector da restauração, mas deixei para me dedicar a este negócio", explica Luís Barboza. Já Isabel Isaac, formada na área do estilismo, estava cansada de trabalhar com roupa e optou por deixar outros projectos e dedicar-se a esta empresa.

"O meu objectivo era mesmo desenvolver um conceito, coisa que consigo com esta loja. Apesar de ser um 'franchising', esta ideia apela bastante à nossa criatividade", salienta Isabel Isaac.

Apenas a funcionar desde Outubro, a Azeite e Vinagre conta neste momento somente com uma loja própria a funcionar em Lisboa, mas até ao final do ano esperam expandir a sua rede. Até agora, confessam, "têm sido muitos os interessados neste conceito".

Antes de avançarem com o negócio, estes empreendedores analisaram o conceito e verificaram a sua viabilidade no mercado nacional. "Quando a Oil&Vinegar foi criada, a ideia era implementá-la no norte da Europa. O sul da Europa nunca foi equacionado uma vez que os criadores do conceito consideravam estranho estar a vender produtos mediterrânicos no local de onde eles são originários", explica Isabel Isaac. Para estes sócios faz todo o sentido ter lojas destas no sul da Europa, uma vez que este espaço se dedica a prendas culinárias.

Dado o pouco tempo de existência desta empresa, ainda não recuperaram o investimento, realizado através de capitais próprios. A sua estratégia futura passa por abrir lojas simultaneamente em Portugal e Espanha. E apesar do seu único espaço estar localizado num centro comercial, os empreendedores explicam que este conceito também se adapta bastante bem à loja de rua.

"Neste momento estamos numa fase de experimentação da loja, de fornecimento dos produtos, para que depois seja mais fácil transmitir essa experiência aos nossos futuros franchisados", refere Isabel Isaac.

Com a abertura da Azeite e Vinagre estes empresários já criaram cinco postos de trabalho e as expectativas para o desenvolvimento do negócio são animadoras. Mas nem tudo são facilidades e "apostar neste tipo de loja em Portugal foi um risco calculado", refere Isabel Isaac. Considera ainda que para investir num "franchising" "é crucial escolher um bom conceito e rodear-se das pessoas adequadas à filosofia da empresa".

'Dicas' de êxito

Para se ser bem sucedido num negócio um dos pilares é diferenciar-se da concorrência. Na opinião de Isabel Isaac "o mix da loja é fundamental. Se o cliente chega ao espaço e não tem poder de escolha, vai-se embora pouco satisfeito".

E este é o primeiro de alguns dos conselhos que dá a quem quer apostar neste "franchising". Aquela empreendedora salienta que muitos franchisados nunca singram no mercado porque descuram este aspecto. Depois, o sítio escolhido para localizar o negócio é fundamental para alcançar o sucesso.

Um outro aspecto que também não pode ser desprezado é a formação. Isabel Isaac considera que um bom atendimento é importantíssimo e por isso, a sua empresa irá disponilizar formação nesta área aos futuros franchisados.

Mas como qualquer negócio exige dedicação, Isabel Isaac salienta ainda que "o franchisado tem de estar envolvido a 100% no seu negócio, porque é um conceito que exige muito acompanhamento a quem nele investe".





DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


Advogado

Anónimo

Advogado

Anónimo

asesor económico/comercial

Embajada en Lisboa