Notícias

Há uma startup portuguesa entre as melhores do mundo

Há uma startup portuguesa entre as melhores do mundo

A Association of MBAs (AMBA) vai voltar a distinguir na próxima semana os melhores projetos mundiais gerados no âmbito de um MBA, com o galardão MBA Entrepreneurial Venture. A plataforma portuguesa Zaask, vocacionada para facilitar a contratação de serviços locais, é um dos seis projetos finalistas do galardão que anualmente reconhece a excelência e potencial de negócios saídos de MBAs.

21.01.2016 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



Há muito que os MBA são apontados como autênticas fábricas de negócios e ninhos de novos conceitos empresariais. São cada vez mais aqueles que ambicionando capacitar-se com as ferramentas necessárias para a consolidação e gestão do seu próprio projeto empresarial, apostam num modelo de formação executiva fortemente orientado para a prática e para a visão global da gestão empresarial. Foi o que fizeram Luís Martins e Kiruba Eswaran, os mentores da Zaask que agora vêm o seu projeto entre os seus melhores do mundo, aos olhos da Association of MBAs. O vencedor será conhecido em Londres, no próximo dia 29 de janeiro.

O The Lisbon MBA uniu Luís Martins a Kiruba Eswaran em torno de um desígnio comum: colocar de pé a Zaask, uma plataforma que facilita o processo de contratação de serviços locais, em função das necessidades pessoais de cada cliente e das suas exigências. O projeto, criado em 2012, que congrega atualmente uma comunidade de mais de oito mil profissionais ativos, 30 mil registados e uma faturação na ordem dos 10 milhões de euros em 2014, está agora entre os seis finalistas do prémio MBA Entrepreneurial Venture 2015, da AMBA – Association of MBAs, que distingue o melhor projeto de empreendedorismo do mundo criando no âmbito de um MBA. Reconhecer o talento e a contribuição das escolas e dos seus alunos nos MBA na comunidade em geral, é o objetivo dos MBA Awards, ao premiar o que de melhor se faz nas escolas de negócios de todo o mundo. Na edição deste ano há presença portuguesa. A equipa da Zaask está entre os finalistas mundiais e para Luís Martins, “é muito relevante vermos o nosso projeto ser reconhecido pelos prémios da AMBA, e acreditamos que este seja o impulso que faltava para expandirmos o nosso negócio”.

O co-fundador da Zaask relembra que a empresa nasceu no âmbito do The Lisbon MBA. “Na altura em que conheci o Kiruba, percebemos que tínhamos uma visão e objetivos similares a nível profissional: queríamos abrir a nossa empresa”, realça acrescentando que “a experiência profissional e o pouco tempo disponível fizeram-nos perceber que existia uma lacuna no mercado no que diz respeito a contratar serviços locais, e foi a partir desta necessidade que surgiu o conceito da Zaask, uma empresa criada de raiz e baseada numa plataforma única”.

Para se qualificarem a este prémio os candidatos são avaliados segundo vários critérios de exigência. Para além da obrigatoriedade do projeto ser fundado ou cofundado por alunos ou ex-alunos do MBA, o negócio tem de estar ativo pelo menos há seis meses e no máximo há três anos, e pode ser baseado em qualquer atividade legal. As empresas devem ser apresentadas pela escola de negócios, onde o aluno em questão está vinculado. Além da categoria em que concorre a Zaask, os prémios anuais MBA Awards, contemplam ainda o The Independent MBA Student of the Year Award que celebra as realizações dos estudantes que demonstraram qualidades de embaixador e capacidades de liderança inspiradoras, e o MBA Innovation Award que reflete o conceito e o apoio da AMBA no que diz respeito a inovação.



OUTRAS NOTÍCIAS
Engenharia: há 'modas' na escolha da especialidade?

Engenharia: há 'modas' na escolha da especialidade?


São mais de 30 as empresas que amanhã estarão estão no campus da Escola de Engenharia da Universidade do Minho (UMinho), em Guimarães, a contratar engenheiros no &ac...

Carnegie Mellon volta a 'recrutar' talentos da investigação

Carnegie Mellon volta a 'recrutar' talentos da investigação


Estudantes de mestrado ou recém-mestres são o público alvo do programa de estágios em investigação na área das Tecnologias de Informação ...

NOS à procura do talento nacional

NOS à procura do talento nacional


São 30 as vagas disponíveis, mas o diretor de Recursos Humanos da NOS, Luís Moura, não é intransigente no número final. “O objetivo é encontrar n...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


.NET DEVELOPER - LISBOA

Kelly Services Portugal

BI EXPERT

Kelly Services Portugal