Notícias

Ele vende bilhetes online e procura talento para internacionalizar

Ele vende bilhetes online e procura talento para internacionalizar

Tem 41 anos e integra o leque de profissionais, cada vez mais raros, que consolidaram toda a sua carreira ao serviço da mesma empresa. De programador a diretor-geral, com tutela exclusiva da área de recursos humanos, Ricardo Nuno cresceu profissionalmente na consultora tecnológica Etnaga, detentora da BOL.pt (Bilheteira Online). O lançamento da plataforma foi, assumidamente, o maior desafio da sua carreira que ultrapassou com sucesso graças ao que diz ter sido uma aposta estratégica na seleção dos recursos humanos certos. A meta atual é internacionalizar a empresa, com recurso às mesmas ferramentas.

10.07.2015 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR



Lançada em 2008, a BOL (Bilheteira Online), a empresa de tickting (venda de bilhetes) integrada no universo da consultora tecnológica Etnaga, conta com uma rede de 1300 pontos de venda fixos e um portal de venda online que soma mais de 15.200 visitas diárias. Colocar no mercado a plataforma que no último ano emitiu mais de 4,2 milhões de bilhetes, automatizando cerca de 80% das salas de eventos e festivais com bilhetes pagos em Portugal, foi tudo menos uma tarefa fácil para o engenheiro informático Ricardo Nuno.

Com um longo percurso no grupo Etnaga, o gestor enfrentou “um mercado muito fechado” para concretizar a sua ideia. O sucesso, não tem dúvidas, “decorreu de uma estratégia recrutamento criterioso que alimentou o projeto com profissionais competentes e dinâmicos, capazes de o levar à liderança de mercado”. Uma estratégia a que se mantém fiel na liderança quotidiana da empresa.?No projeto BOL trabalham atualmente 16 profissionais a tempo inteiro, reforçados por uma equipa de quatro freelancer que dão apoio à atividade da empresa. Crescer faz parte dos planos de Ricardo Nuno, mas a grande prioridade é a retenção de profissionais. “Os conhecimentos adquiridos em projetos altamente tecnológicos são muito importantes para a empresa”, explica enfatizando a sua aposta na retenção: “mais do que detetar novos reforços, o objetivo é manter o talento existente”. Ainda assim, a empresa tem previstas cinco novas contratações para este ano, essencialmente nas áreas de programação .NET, SQL Server e acompanhamento de clientes. ?

O foco da identificação de talento na empresa são os jovens, abaixo dos 32 anos, com qualificações na área das tecnologias de informação. Ricardo Nunco reconhece que o crescimento da empresa tem decorrido de forma gradual, embora mais lenta do que o esperado. A fuga de talento para o estrangeiro, tem gerado o seu impacto levando o líder a reconhecer a relevência de manter ativa uma estratégia permanente de identificação de talento, tal como a aposta na retenção. E na sua aposta em “segurar os melhores”, Ricardo Nuno garante que o princípio de que “cada colaborador é um caso diferente dos outros” e com necessidades específicas e soluções pensadas à sua medida, faz toda a diferença.

Ricardo Nuno?
41 anos?
Diretor de Recursos Humanos da Bilheteira Online (BOL)

Formação:  
É licenciado em Engenharia Informática, pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa. 

Percurso de carreira:
Iniciou a carreira aos 18 anos na consultora de sistemas de informação Etnaga, empresa detentora da Bilheteira Online (BOL), onde desenvolveu todo o seu percurso profissional. Entrou na empresa como programador assumindo seis anos depois a função de consultor analista, gestor de projetos e, mais tarde, diretor geral. Função que acumulou nos últimos 14 anos com a direção de recursos humanos.

Experiência internacional:
Ao longo do seu percurso na Etnaga desenvolveu vários projetos com empresas angolanas e espanholas, mas sempre a partir de Portugal.

Maior desafio profissional:?
“A impelmentação da plataforma BOL.pt (Bilheteira Online) num mercado muito fechado”, relembra.

Missão atual:
Internacionalizar a empresa.

Competências que valoriza:?
Autoconfiança, proatividade e capacidade de compromisso.

Hóbis:?
Dedica o seu tempo livre à descoberta e formação em novas tecnologias na área da informática.??

Desporto:
?É praticante de atletismo, participando em provas de 10km e 21km.



OUTRAS NOTÍCIAS
O horário de trabalho é um mito

O horário de trabalho é um mito


Muitos portugueses respondem a um horário de trabalho fixo que só o é no papel. Na prática, trabalham diariamente “fora de horas”. Fazem-no ao telefone, de auri...

Gestão de talento para profissionais

Gestão de talento para profissionais


A D. Dinis Business School, um projeto de qualificação e formação fundado por iniciativa de um conjunto de atores empresas e educaticos da região de Leiria, onde se ...

Como trabalham os portugueses

Como trabalham os portugueses


Em 2014, 21,7% dos profissionais portugueses eram trabalhadores independentes e estavam maioritariamente concentrados no sector da construção e na agricultura. O número é a...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


Área Jurídica

Assembleia da República

Business Development Assistant

ARC International Design Consultants