Notícias

«Método» ensina a estudar melhor

26.03.2004


  PARTILHAR





Cátia Mateus

A IDEIA de que a necessidade gera o negócio resume a essência da Método. Com apenas dois meses de existência esta empresa fundou os seus pilares nas dificuldades sentidas pela empreendedora Paula Farinha em motivar o seu filho para o estudo e melhorar o seu aproveitamento escolar. Do projecto à concretização foi um salto. Reuniu duas sócias e com apenas cinco mil euros de investimento, colocou no mercado uma empresa cujo principal objectivo é "dar aos alunos um ensino individualizado e ensinar-lhes um método de estudo".


A Método não é um centro de explicações. Eis a primeira distinção que Paula Farinha, assistente social na Casa Pia de Lisboa, impõe à empresa que criou.

A empreendedora delineou um conceito de empresa vocacionado para "ajudar os alunos a ultrapassar as suas dificuldades, aferindo quais os seus problemas em matéria de conhecimento desde a base, mas mais do que isso, temos o objectivo de auxiliá-los na criação do seu próprio método de estudo".

Estruturada que estava a ideia, Paula Farinha reuniu duas adeptas do projecto e em conjunto com a gestora Manuela Martins, de 43 anos, e Marta Cunha, de 24 anos e licenciada em Relações Internacionais, criou a Método.

A empresa, sedeada em Lisboa, reúne várias valências que a distinguem dos comuns centros de explicações.

"Além de colocarmos a tónica da nossa intervenção na consolidação de um método de estudo que perdurará pela vida académica do aluno e de apostarmos na identificação das lacunas de aprendizagem, fornecemos um acompanhamento personalizado na própria habitação do estudante", explica a empreendedora.

Uma estratégia que não se justifica com "o facto de o apoio decorrer no ambiente usual do aluno, ajudando-o a criar regras e hábitos de estudo".

Além do acompanhamento escolar, a Método tem outras áreas de intervenção (ver www.metodoensinar.com).

Aqui detecta-se a base das dificuldades do aluno através de um diagnóstico, fazem-se sessões de terapia da fala e acompanhamento psicológico, testes de orientação vocacional e estruturam-se programas específicos de apoio caso-a-caso para alunos que estejam a tentar o ingresso ao ensino superior.

A Método tem também um programa especial de ensino de português para estrangeiros e várias iniciativas vocacionados para apoiar alunos com dislexia e outras dificuldades de aprendizagem.

"Neste momento estamos a preparar também os programas de férias, onde se pretende que os alunos tenham contacto com actividades culturais, desportivas e também ligadas à terra e ao campo", explica Paula Farinha.

Estruturar a empresa não foi difícil e a questão burocrática também não foi um problema para as empreendedoras. A principal dificuldade reside em escolher o professor indicado para cada aluno. É aqui que reside o segredo da Método.

"É fundamental, num serviço destes, que o aluno e o professor criem uma empatia. Por isso, é fundamental saber adequar o perfil do aluno ao professor mais indicado para ele, dos que temos disponíveis na nossa bolsa de docentes", explica Marta Cunha.

Uma dificuldade que parece não ser entrave para o projecto já que, com apenas dois meses de existência, a empresa conta com 23 alunos e uma bolsa de 50 professores.

A Método apoia estudantes de todas as idades e vários horários, incluindo o fim-de-semana.

Os grandes trunfos deste projecto são, para as suas responsáveis, "um ensino individualizado, de professor para aluno e a capacidade em dar resposta imediata às necessidades de apoio. Quando nos procuram, os pais saem daqui com um horário e o nome do professor que vai acompanhar o seu filho".

Ainda em fase de implementação, as empreendedoras querem, para já, fazer crescer a Método em Lisboa, "sempre associada a um projecto de qualidade".

A principal prioridade não é crescer, "é fazer bem, de forma credível, com um crescimento sustentado e de bases sólidas". Como qualquer projecto educativo.

BI EMPRESARIAL

Nome: Método
Ano de criação: Janeiro 2004
Sede: Lisboa
Responsáveis: Paula Farinha, 45 anos, Assistente Social
Manuela Martins, 43 anos, licenciada em Gestão
Marta Cunha, 24 anos, licenciada em Relações Internacionais
Área de actuação: Apoio escolar, programas de ocupação de férias, orientação vocacional e ensino de português para estrangeiros
Investimento inicial: cerca de 5 mil euros
Principais clientes: pais de crianças com dificuldades de estudo ou baixo rendimento escolar;
Postos de Trabalho criados: 50 professores (maioritariamente jovens em situação de desemprego ou docentes já reformados), em regime de colaboração e um posto de trabalho em regime permanente
Grandes trunfos: acompanhamento individualizado na própria casa do estudante (no seu ambiente de estudo) facilitando a criação de um método de estudo.
Conselhos: Pensar que os negócios são as pessoas e que por isso as boas condições de trabalho são vitais. Além disso, para triunfar no mundo empresarial há que acreditar no projecto que se lidera e nunca desmotivar





DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


Arquiteto

Anónimo

Colaborador

Anónimo

Comercial / Diretor(a) Comercial

ERA BELÉM RESTELO & ERA ALCÂNTARA/AJUDA