Notícias

Grupo NAU contrata 500

Grupo NAU contrata 500

O grupo hoteleiro NAU vai iniciar o novo ano com um reforço da sua equipa. A empresa realiza a 6 de janeiro, no Algarve, uma operação de recrutamento - a NAU Recruitment Experience - que visa identificar 500 novos talentos para a empresa. Mário Ferreira, CEO da NAU Hotels & Resorts, está apostado em cimentar o papel da empresa enquanto recrutador de topo e garante apesar da elevada taxa de turnover que carateriza o sector, o grupo tem conseguido aumentar a fixação de capital humano.

23.12.2016 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR
LinkedIn Twitter Facebook Google+



No pico da época alta de verão o Grupo NAU Hotels & Resorts emprega cerca de 1200 profissionais. Tal como noutras unidades, as elevadas taxas de turnover (rotação) de profissionais que afetam o sector - e que em muitos casos podem superar os 50% -, também afetam o grupo. Um cenário que Mário Ferreira, CEO da NAU Hotel & Resorts, quer contrariar. Nos últimos anos a empresa tem vindo a apostar numa política de recursos humanos que privilegia a retenção de quadros e a transformação de contratos a prazo em contratos sem termo. É com esse objetivo que o grupo hoteleiro se prepara para voltar ao mercado já em janeiro e contratar 500 novos profissionais. A NAU Recruitment Experience tem lugar a 6 de janeiro do próximo ano, no Palácio de Congressos do Algarve, e visa preparar a equipa NAU para o reforço de atividade que e esperado ao longo de 2017.

Em três anos o grupo NAU triplicou receitas e segundo o CEO “multiplicou por cinco os resultados operacionais”. Mário Ferreira prevê que o processo de expansão da empresa se mantenha em 2017, tanto mais que nas ambições do gestor está o desenvolvimento e gestão de mais unidades hoteleiras em Portugal. Para dar resposta às necessidades geradas pelo crescimento previsto, o CEO considera essencial que “a empresa prossiga a sua estratégia de redução da sazonalidade do emprego e seja capaz de reforçar a sua imagem enquanto empregador atrativo”.?As 500 contratações previstas para 2017 são parte dessa aposta.

“No próximo ano, os nossos hotéis abrirão mais cedo do que o habitual, e do que é prática no Algarve, fruto de um grande evento de lançamento de um modelo automóvel, da época de golfe e de diversos outros eventos de menor dimensão”, explica o líder da NAU Hotels & Resorts. A empresa irá, por isso, recrutar mais cedo do que o habitual. Já no arranque do ano estará a contratar perfis de Front Office (Receção), Housekeeping, Sala e Banquetes, Cozinha e Manutenção, além de muitas outras posições que podem vir a surgir ao longo do ano.

Previsão de contratações pode ser superada
Mário Ferreira admite que além das 500 contratações que a NAU realizará em janeiro, outras 200 poderão ocorrer ao longo de 2017, em função das necessidades que venham a ser identificadas no grupo. Sem negar que o turnover é um problema global do sector - sustentado quer pela sazonalidade própria da atividade, “que obriga muitos hotéis a encerrarem durante períodos mais ou menos longos e a reduzir custos laborais”, quer pela legislação em vigor que, enfatiza, “não é adequada às características do Turismo” - o CEO reforça que estes contratos são a termo, mas que durante o seu período de vigência, “muitos colaboradores que já estão na empresa há vários anos versão os seus contratos transformados em vínculos sem termo, fruto da capacidade demonstrada durante a sua história na empresa”.

Os 500 profissionais a contratar terão integração imediata na empresa, cumprindo o programa de práticas de acolhimento em vigor no grupo NAU, que varia constante a área em que o colaborador vai trabalhar, e que faz parte de uma estratégia global da empresa de posicionamento no mercado enquanto recrutador de excelência. “No campo do capital humano, temos vindo a implementar progressivamente estratégias capazes de aumentar a fixação de capital humano, em especial nas tarefas e áreas de maior complexidade e tecnicidade, a reforçar os vínculos e fixar os melhores quadros, criar uma imagem de empregador atrativo, não forçosamente pelo nível salarial que oferece, mas pelas condições, ambiente de trabalho e perspetivas de progressão profissional que proporciona e implementar estratégias de progressão interna nas carreiras, e de formação profissional”, realça Mário Ferreira.



OUTRAS NOTÍCIAS
ACT reforça quadro de inspetores

ACT reforça quadro de inspetores


A Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) vai admitir 80 novos inspetores, em linha com o que havia sido anunciado logo no início deste ano pelo Governo. O processo de c...

Startup Braga cria escola para CEO’s

Startup Braga cria escola para CEO’s


Tem uma duração total de 60 horas, “é única em Portugal, vai preparar os futuros CEO para os grandes desafios que terão de enfrentar”. Quem o afirma &...

EY Portugal prepara mil contratações até 2020

EY Portugal prepara mil contratações até 2020


Em 2015, a EY passou a concentrar a integração de novos talentos, recém-graduados, na empresa no programa EY Bootcamp. A crescente proximidade às instituiçõ...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO




ÚLTIMOS EMPREGOS


.NET DEVELOPER

Spring Professional Portugal

.NET DEVELOPER - LISBON

Kelly Services